Número total de visualizações de páginas

sexta-feira, 26 de novembro de 2021

primeiro Festival Internacional de Cultura Pop chega ao Porto este fim de semana

A primeira edição do Festival Internacional de Cultura Pop junta autores especializados "de várias partes do mundo para celebrar a música", de sexta-feira a domingo, no Círculo Católico de Operários do Porto, anunciou hoje a organização.


Durante "três dias dedicados aos heróis do imaginário musical", serão promovidas conversas com escritores e jornalistas que se dedicaram à música.
O festival abre, às 17:00 de sexta-feira, com John Robb, "um dos mais carismáticos jornalistas do punk e post-punk britânico, líder dos Membranes, ativista e responsável pelo 'Louder than War', e Richie Unterberger, um guardião das palavras que mantêm os heróis esquecidos do rock'n'roll vivos, nas estórias por detrás dos discos e nas personalidades por detrás das canções", adianta a organização em comunicado.
O realizador, DJ e membro dos Big Audio Dynamite Don Letts é quem assume 'as rédeas' no sábado, às 18:00.
No mesmo dia, às 19:00, pode-se ouvir Vivien Goldman, jornalista da revista NME (New Musical Express), divulgadora musical de reggae e punk, autora de "Revenge of the She-Punks", membro dos Flying Lizards, professora de reggae e punk na Universidade de Nova Iorque e ativista feminista.
O último dia do festival, domingo, começa com Martin Aston, às 18:00, que vai partilhar a sua experiência como jornalista na Mojo, Q e no The Guardian, entre outros, e 'olheiro' da editora e loja de discos londrina Rough Trade. @ Sapo

uma palestra sobre SIDA/VIH

Na próxima segunda-feira, dia 29 de Novembro pelas 8h 50min, realizar-se-á  uma “Palestra sobre SIDA/VIH”, no âmbito da Educação Sexual dinamizada  pelos alunos do Curso Profissional de Técnico Auxiliar de Saúde, 11ºL.

A palestra terá uma duração de 1h 10min e será realizada no  auditório.

Esta palestra será dinamizada por técnicos do CAD (CENTRO DE ACONSELHAMENTO E DETENÇÃO PRECOCE DO VIH/ SIDA DO PORTO).

A Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (SIDA) é uma doença que resulta da infeção causada pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH) e está relacionada com a degradação progressiva do sistema imunitário, podendo surgir anos após a infeção.

Uma vez instalado, o vírus invade e destrói um certo tipo de células do sangue que são responsáveis pela defesa do nosso organismo contra as infeções e alguns tipos de cancros.


O VIH é um vírus que destrói o sistema imunitário da pessoa infetada, isto é, destrói os mecanismos de defesa que nos protegem das doenças.

 O VIH penetra nas células do sistema imunitário, integra-se no código genético (ADN) das células infetadas, multiplica-se e provoca a sua destruição, libertando-se para infetar novas células.

As infeções pode ser transmitidas  a partir do sangue, pela gravidez , por relações sexuais desprotegidas e por partilhas de seringa.

Com esta palestra, o 11º L pretende sensibilizar a comunidade escolar para este flagelo que é a Síndrome da Imunodeficiência Adquirida (SIDA) doença que resulta da infeção causada pelo Vírus da Imunodeficiência Humana (VIH). 

texto e imagens de Rafaela Cunha, aluna do 11º L

Conselho de Ministros à lupa: reforço do certificado digital, da testagem e a “semana de contenção”

País regressa a situação de calamidade a 1 de dezembro, com utilização de máscaras obrigatória em espaços fechados, teletrabalho aconselhado, maior vigilância nas fronteiras e companhias aéreas debaixo de fogo.
êxito do plano de vacinação contra a Covid permitiu ao primeiro-ministro começar a conferência de imprensa no final do Conselho de Ministros, nesta quinta-feira, com uma boa notícia. Mas o tom do seu discurso a seguir levaria outro rumo: embora a situação epidemiológica do País fique aquém daquela que se verificou em vagas anteriores, Portugal acompanha a escalada pandémica que se faz sentir no resto da Europa, e, como tal, o Governo decidiu pôr em prática novas restrições, que consistem num reforço do uso de máscara, do certificado digital e da testagem.
A partir do dia 1 de dezembro, o País regressa à situação de calamidade – um nível acima da atual situação de alerta na Lei de Bases da Proteção Civil – e passa também a ser obrigatório mostrar o certificado digital para entrar em restaurantes, estabelecimentos turísticos, alojamento local, eventos com lugares marcados e ginásios.
A máscara estará de regresso, com caráter de obrigatoriedade, em todos os espaços fechados.
Para fazer visitas em lares ou em unidades de saúde, bem como para chegar a Portugal passa a ser imperativo apresentar um teste negativo (PCR ou antigénio). O mesmo se aplica à entrada em discotecas, bares e em grande eventos sem lugares marcados. As companhias aéreas estão encarregues de fazer cumprir a exigência do teste negativo para aterrar em território nacional. Caso contrário, serão multadas em 20 mil euros por passageiro, podendo mesmo colocar em causa a sua licença, alertou António Costa. 
O teletrabalho e o aumento dos autotestes são fortemente aconselhados.
E na semana de 2 a 9 de janeiro – “a semana da contenção de contactos” – o Governo pede a todos os portugueses para reduzirem ao máximo os seus contactos, no período pós Natal e Ano Novo. Nestes dias, bares e discotecas estarão encerrados; o teletrabalho é obrigatório e as escolas não abrirão, sendo depois a semana escolar compensada no período do Carnaval (menos dois dias) e da Páscoa (menos três dias). Excepção feita para as universidades, que podem permanecer em funcionamento. @ Sapo


Covid-19: aulas recomeçam a 10 de janeiro depois das férias do Natal


As aulas vão recomeçar a 10 de janeiro depois das férias do Natal para conter o aumento do número de casos de covid-19, anunciou hoje o primeiro-ministro.
“Introduzimos uma ligeira alteração no calendário escolar, adiando a reabertura do início do segundo período para o dia 10 de janeiro”, disse António Costa no conferência de imprensa do final da reunião do Conselho de Ministros no qual foram decididas novas medidas para combater a pandemia.
O primeiro-ministro adiantou que estes cinco dias vão ser compensados “com a redução de dois dias da interrupção do Carnaval e de três dias da interrupção na Páscoa”.
O chefe do Governo explicou ainda que esta “semana de contenção [de 02 a 09 de janeiro] visa assegurar que depois de um período de intenso contacto e convívio familiar se evite o cruzamento de pessoas de diferentes agregados familiares”. @ Sapo

quinta-feira, 25 de novembro de 2021

Dia Nacional do Pijama no J/I de Moutidos

Mais uma vez, o Jardim de Infância de Moutidos aderiu/participou nesta iniciativa solidária onde as crianças aprendem a partilhar.

As crianças vieram com os seus pijamas, para simbolicamente lembrarem que todas as crianças têm direito a crescer numa FAMÍLIA.
Trouxeram as  Casinhas Mealheiro com o donativo, para ajudar as crianças que vivem na Instituição Mundos de Vida.

Assim, as "nossas" crianças começam a perceber a importância desta missão de solidariedade.

                                                                                             cortesia de Olga Dias, docente de 1º ciclo

7 em cada 10 alunos concluem o ensino secundário nos três anos esperados

Sete em cada 10 alunos concluem o ensino secundário nos três anos esperados, segundo dados divulgados pelo Ministério da Educação que retratam uma tendência de melhoria que se repete no ensino profissional.
© Octavio Passos/Arquivo Global Imagens

As conclusões fazem parte de dois estudos da Direção-Geral de Estatísticas de Educação e Ciência (DGEEC) publicados sobre a situação após três anos dos alunos que ingressam em cursos científico-humanísticos e profissionais.
Nos dois casos, são cada vez mais os alunos que conseguem chegar ao final do curso sem chumbar, terminando nos habituais três anos.
Por outro lado, os alunos com melhores resultados no ensino secundário frequentaram os cursos gerais ou artísticos especializados no básico.
Já os alunos que iniciam o secundário com 15 anos, a idade normal, têm melhores resultados.
Sobre este aspeto, a tutela considera que os dados comprovam que "a retenção e consequente atraso na idade de desenvolvimento dos estudos não revela eficácia comprovada".
"Estes dados atestam ainda a importância da diversificação das ofertas no ensino secundário, refletindo o investimento feito em Portugal no ensino secundário, e o sucesso continuado e sustentado das políticas e das práticas localmente desenvolvidas pelas escolas e pelos professores para a melhoria dos resultados", lê-se no comunicado.
O Ministério da Educação acrescenta que é no ensino secundário que se encontram os principais focos de exclusão e que se "justifica que este investimento continue". (adaptado daqui)

"o microscópio, a cebola e as tabuinhas do soalho"

O conhecimento e a inovação crescem com a cultura e esta cresce com as instituições que estimulam e praticam a cidadania e a inclusividade. E estamos certos de que os mais pequenos crescem assim com uma visão e uma capacidade de ação para um mundo melhor.

Era domingo no dia 24 de novembro de 1996. Rómulo de Carvalho celebrava 90 anos e o ministro José Mariano Gago oferecia-lhe uma prenda de aniversário: o Dia Nacional da Cultura Científica. 

E escrevia então no Jornal de Letras “Hoje é, mais que nunca, imperioso lutar por uma cultura científica viva e crítica, estudiosa, partilhável e disponível, fonte de cidadania e de libertação”. Sabemos hoje como é além disso imperioso começar muito cedo a trabalhar a cultura científica na escola. É aí que a natural curiosidade dos mais novos torna mais fácil o caminho para o muito que ainda têm para aprender. Estimular a cultura científica desde os primeiros anos poderá ser a diferença entre ter cidadãs e cidadãos críticos, ativos e que valorizam o conhecimento ou ter uma sociedade que não reconhece construtores de futuro. É destes que precisamos mais do que nunca e até poderíamos perguntar: já viu hoje uma criança curiosa? Olhe que vai precisar de um adulto inovador amanhã! 

Em Quarenta anos de investigação – Na voragem do tempo1 , cuja leitura não nos deixa indiferentes como livro escrito na primeira pessoa, a investigadora Claudina Rodrigues Pousada fala dos filhos – três filhos – e diz que o Renato, aos seis anos, quando viu uma preparação que a mãe estava a fazer com a epiderme da casca da cebola, exclamou: “Mas são como se fossem as tabuinhas do nosso chão!?”. E de facto parecem mesmo. Quando li esta parte do livro achei muita graça, porque quando olhamos para o soalho lá de casa vemos claramente as formas da epiderme da casca da cebola observada ao microscópio. É muito assim o ensino experimental das ciências, na verdade – e também é assim que se constrói a cultura científica assente em modelos que nos rodeiam. Claudina era bióloga molecular e foi inspirada por um livro que leu sobre Marie Curie, tendo depois inspirado muitos jovens para a ciência em todas as dimensões.

Portugal tem, desde há mais de duas décadas, um programa audacioso de cultura científica, aberto à discussão de problemas e longe de verdades retangulares – como sempre nos dizia Mariano Gago. A ciência é para a sociedade e deve estar aberta a todos, numa atitude que nada tem a ver com centralismo e arrogância do conhecimento. O sistema científico nacional cresceu muito nos últimos 25 anos, e a cultura científica também cresceu e acompanhou este desenvolvimento. Hoje há muitos “ciências vivas” pelo país. E também muitas pessoas e instituições, professores e educadores que vivem de igual forma o gosto pela ciência e contribuem de muitas formas para o seu enraizamento na sociedade. Desde bem cedo para todos. 

Queremos uma geração que viva num mundo sem emissões de carbono? Que tenha uma vida longa e mais saudável? Com uma cidadania política assente no conhecimento? A resposta a estas questões implica fomentar nos mais novos o exercício de uma cultura científica capaz de envolver as novas gerações.com a ciência e o conhecimento inovador.

Foi lançado recentemente na Europa uma ampla discussão atenta às novas tendências na educação – E Se…? (What If…?). Podemos dizer que as crianças de 6 anos são ensinadas a usar o alfabeto para construir palavras e frases, a matemática para somar, multiplicar, dividir…. Então e se o sistema educativo as envolver no alfabeto do código informático, as desafiar a desenvolverem projetos colaborativos ou a fazer apresentações para audiências nacionais e internacionais? E se… praticassem a cidadania e o respeito pelo planeta? Construir competências de pensamento crítico, apoiar os professores num ensino orientado por projetos, orientar a educação pela curiosidade têm sido práticas da Ciência Viva. E estas competências são mais necessárias do que nunca.

A próxima geração está agora nos primeiros anos de escolaridade, pronta para todos os desafios e inovações. Os tempos estão a mudar e a escola tem que estar nessa linha de ação. Os centros e os museus de ciência estão no âmago dessas ações. As suas exposições proporcionam um contacto direto e muito vivo com a ciência em áreas como o ambiente, alterações climáticas, saúde, alimentação ou inclusão social.

Acreditamos que assim – construindo parcerias e redes de conhecimento – se alimentam as novas gerações desde cedo, para um futuro justo e sustentável. A cultura científica, desde os primeiros anos, é a pedra basilar que sustentará esse desenvolvimento. @ NOESIS     

 Ciência Viva – Agência Nacional para a Cultura Científica e Tecnológica                                                                                                                                                                   

                                                                                                                                      cortesia do envio de Carmen Madureira

quarta-feira, 24 de novembro de 2021

o futuro?

 



Covid-19: preocupações natalícias


O Natal 2021 está a chegar e as altas taxas do vírus na Europa têm preocupado os Governos para o que esperar após as celebrações natalícias. “Não adianta ter um Natal muito feliz e depois enterrar amigos e parentes em janeiro e fevereiro”, frisou Gabriel Scally, professor de saúde pública da Universidade de Bristol, em relação ao Natal do ano transato. 
Já sobre o Natal 2021 Susan Michie, da University College London, frisou “As taxas de transmissão ainda são muito altas, os números de mortes semanais da Covid-19 continuam a subir e ainda não chegámos ao inverno". "Nessas circunstâncias, o meu conselho seria adiar o planeamento do Natal o máximo possível”, disse.
No entanto, para aqueles que já estão a lidar com a logística natalícia, os especialistas dizem que há medidas que devem ser tomadas para reduzir os riscos. “Isso inclui todos aqueles que considerámos no ano passado – pensando na vulnerabilidade daqueles que visitamos; maximizar a chance de não ser infecioso [por exemplo] testando, restringindo o contacto de antemão; e tornar os espaços interiores o mais seguros possível em termos de ventilação, limitando o número e aglomeração de pessoas, e usando desinfetante e máscaras faciais”, lembrou Michie. Mas não esquecer que a variante Delta é altamente contagiosa, com muitas pessoas que a contraem, apesar da vacinação dupla e do comportamento cauteloso.” (adaptado daqui)

Projeto Solidário - Família AESCAS

Quase a chegar a uma nova época natalícia, período da família e dos afetos por excelência, a família AESCAS não pode ficar indiferente, apelando ao espírito de solidariedade, dádiva e bondade, pretendemos angariar bens para cabazes de Natal, a serem entregues às nossas famílias mais carenciadas.

A campanha inicia-se no dia 29 de novembro e termina no dia 16 de dezembro. No dia 17 de dezembro, os cabazes serão montados e a sua entrega está prevista entre os dias 20 e 22 de dezembro.


Gostaríamos que os cabazes pudessem oferecer:
- bacalhau;
- azeite;
- óleo;
- queijo;
- leite;
- compotas;
- marmelada;
- bolachas;
- especiarias;
- frutos secos;
- massas;
- arroz;
- açúcar;
- tostas;
(...)

Desde já, um grande obrigada!
Bem haja!

P'la Família AESCAS, 
Joana Almeida, docente de Matemática

terça-feira, 23 de novembro de 2021

Covid-19: terceira dose da vacina

Os profissionais do setor social e bombeiros, envolvidos no transporte de doentes, começaram esta segunda-feira a receber a terceira dose da vacina. Esta semana, a modalidade “Casa Aberta” passa a abranger pessoas com mais de 65 anos. 

Depois dos profissionais da saúde terem começado a ser vacinados na semana passada, cerca de 28 mil bombeiros que desempenham a função operacional do transporte pré-hospitalar começaram a receber a dose de reforço da vacina.

Além dos bombeiros e dos profissionais de saúde e do setor social, estão atualmente a ser vacinados em Portugal com a terceira dose da vacina contra a Covid-19 as pessoas com mais de 65 anos

“Casa Aberta” para maiores de 65

A modalidade “Casa Aberta”, que até agora era para pessoas com mais de 75 anos, deveria ser alargada esta semana a pessoas a partir dos 65 anos. No entanto, ainda não há data concreta para isso acontecer, admitiu o secretário de Estado da Saúde esta segunda-feira.

Está também a decorrer o auto-agendamento para maiores de 65.

Finlândia: o que se passa com os professores?

Na exemplar Finlândia, depois das "reformas" do Governo do conservador Juha Sipilä - um homem de negócios que foi primeiro-ministro entre 2015 e 2019 - os professores pensam deixar de o ser.

Antes

"Nas aulas há silêncio e respeito para com os professores, profissionais altamente motivados e com longa formação universitária na pedagogia e nas diferentes disciplinas que cursam no ensino básico."

Agora

"PROBLEMAS EN EL PARAÍSO. Qué está pasando con la educación en Finlandia: "Los profesores piensan en dejarlo". Las dificultades se acumulan en el país que había sido considerado el gran modelo a seguir. Recortes, reformas y polémicas que están creando insatisfacción entre los profesores."


Cinemaescas: "8 Rue de l´Humanité"


É professor do agrupamento? Tem saudades do SUNSET CINEMA?


Saiba que a equipa do Cinemaescas volta a apresentar mais um SUNSET CINEMA.


Desta feita, o filme é francês, "Rua da Humanidade, 8", e promete boa disposição! 


Mais informação em Cinemaescas


Dia 25 de novembro, pelas 19:15 horas, na sala de pausa dos professores, na sede do Agrupamento. 



segunda-feira, 22 de novembro de 2021

as propostas dos especialistas no Infarmed: da máscara ao teletrabalho, sem esquecer os reforços na testagem e vacinação

O grupo de peritos de aconselhamento do Governo propôs medidas gerais para controlar a pandemia, entre as quais o uso de máscara em ambientes fechados e eventos públicos, e medidas setoriais, como o teletrabalho sempre que possível.


foto de PATRICIA DE MELO MOREIRA / AFP

“O que nós propomos é que a estratégia adaptada à circunstância atual continue a assentar em cinco eixos fundamentais: a vacinação, a renovação do ar interior, a distância, a máscara e a testagem”, afirmou Raquel Duarte, do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto.

Na reunião na sede do Infarmed, em Lisboa, sobre a situação da pandemia em Portugal que reuniu especialistas e peritos, a especialista em saúde pública salientou que o conjunto de medidas hoje proposto “deve ser aplicado a par de um processo célere de reforço com a terceira dose da vacinação”.

Medidas gerais

  • Adequação da climatização e ventilação dos espaços interiores;
  • Utilização do certificado digital com teste recente nos espaços públicos;
  • Autoavaliação de risco;
  • Promoção de atividades no exterior ou por via remota sempre que possível;
  • Cumprimento do distanciamento físico;
  • Utilização obrigatória de máscara em ambientes fechados e eventos públicos.

Atividade laboral

  • Deve ser adotado, sempre que possível, o desfasamento de horários e o teletrabalho

Evento de grande dimensão

  • Nos casos em que não for possível o seu controlo, através do cumprimento das medidas gerais, não devem ser realizados, tanto no exterior, como no interior.

Circulação nos espaços públicos

  • Deve ser mantida da distância;
  • Autoavaliação de risco com a utilização da máscara, “perante a perceção que existe risco, nomeadamente quando há concentração de pessoas”

Convívios familiares alargados

  • Nos convívios familiares alargados, os especialistas avançam com a necessidade de cumprimento das medidas gerais, da autoavaliação do risco e a aplicação de autotestes de despiste do vírus.

Lares

  • Identificação do risco de acordo com o grupo etário, as comorbilidades e o estado vacinal;
  • Testagem regular para funcionários e visitas e a promoção de medidas de controlo de infeção.

Transportes públicos

  • Sistemas de ventilação adequados;
  • Distanciamento sempre que possível;
  • Utilização obrigatória de máscara.

Comércio 

  • Para o comércio - incluindo centros comerciais -, restauração, hotelaria e alojamento, assim como para as atividades desportivas, os peritos propõem as medidas gerais apresentadas. @ Sapo

textos de alunos: "Take a minute, take five"

Mais um texto. Desta feita, é da autoria da Beatriz Tavares, aluna do 10º B. 

Did you know?

Crocodiles can’t stick out their tongues. This is because crocodiles have a membrane that holds their tongue in place on the roof of their mouth so it doesn't move.

It is physically impossible for pigs to look up straight to the sky. It's the anatomy of their neck muscles and the spine that limits the movement of their head and restricts them to look totally upwards.

“Visão Júnior” - adapted

Now you know!

texto de Beatriz Tavares, aluna do 10ºB 
cortesia  do envio de Constância Silva, docente de Inglês

vem aí a Feirinha de Natal

 Retomando as boas práticas....


Convidam-se todos aqueles que se dedicam ao artesanato ou à produção de compotas caseiras, biscoitos, hortícolas, ovos, etc..., a participar na já tradicional Feirinha de Natal que se vai realizar nos próximos dias 02 e 03 de Dezembro na nossa escola.

Os interessados devem enviar a ficha de inscrição devidamente preenchida até ao próximo dia 28 de Novembro para: esas.curso.prof.tec.turismo@gmail.com

                                     cortesia de Ângela Andrade e Ginette Carvalho

domingo, 21 de novembro de 2021

sexta-feira, 19 de novembro de 2021

hoje há eleição

 


Para a nova Associação de Estudantes. Do resultado o CRESCER dará notícia mais tarde.

"Aspas" - o contributo dos leitores

Nasce hoje uma nova secção que serve o propósito de divulgar trabalhos dos nossos leitores. "Aspas", assim se chama a nova secção, apresenta o primeiro contributo.

Reflexão sobre a vida

"Olho para o horizonte e vejo-o triste, abandonado, sem auxílio e obscuro. Queria que o horizonte estivesse a brilhar com todas as cores ilustres. 

Olho para horizonte, vejo crianças a pedir auxílio e ninguém as socorre. Eu tento alcançar o melhor caminho para as salvar, mas sou apanhada pela avalanches das tormentas e não chego ao destino, não consigo salvá-las. 

Ao pensar na visão do horizonte, tento com todas as forças percorrer as profundidades da avalanche. Acho um túnel com uma luz e tento subir onde há uma corda.

Interrogo quem a pôs ali: obra do destino ou ilusão minha? Toco na corda, vejo que é real. Tento com toda minha força árdua subir pela corda, subo e vejo milhões de crianças ali à minha espera..."

MPB 

a filtragem de conteúdos nos computadores

 Por certo já repararam… que a filtragem de conteúdos nos computadores fornecidos pelo ME é igual para alunos e professores, assim como andou a ser estreitada a malha para acesso a alguns sites. Há vídeos do Youtube que passaram a ser território proibido, incluindo nos pc’s de mesa das escolas, mesmo tendo origem em organizações insuspeitas de má conduta (...)  Acho que há uns tempos já aqui deixei registado que não me foi possível assistir a sessões de formação em streaming também no YT. (...) Se há formas de contornar estes bloqueios? Sim, há, mas apelam a uma manipulação das definições que poderá ser classificada como “irregular” ou “indevida” do equipamento. (...). Capacitação Digital? (...) texto de Paulo Guinote

Nunca lhe aconteceu? 

a sério!?

Até 2030 é preciso contratar mais de 34 mil professores para o ensino público

Número de novos docentes necessários vai subir com o passar dos anos. Será necessário contratar mais de três mil professores por ano, em média. No fim da década, esse número sobe para os quatro mil. @ PÚBLICO


Da Deprimente Task Force para a Terceira Divisão

A educação é a terceira divisão da organização dos governos. Maria de Lurdes Rodrigues, "que trocou os professores pelos eleitores", começou os cortes a eito e Nuno Crato, o estatístico, agudizou-os. Sucedeu-lhes um enigma que deve ser de grande utilidade como adjunto do secretário de estado das finanças. Ha várias declarações para a história. Repare-se na da imagem em 2013. @ Correntes


governo cria task-force para ajudar escolas com falta de professores

       
Ministério da Educação anunciou esta quarta-feira a criação de uma task-force para ajudar as escolas que ainda têm falta de professores, por não conseguirem preencher todos os horários mesmo depois de recorrerem à contratação de escola.
O grupo de trabalho, que será constituído por elementos da Direção-Geral de Estabelecimentos de Ensino e da Direção-Geral da Administração Escolar, vai colaborar diretamente com as escolas para avaliar as situações de carência em concreto.
“Vai trabalhar caso a caso com as escolas para identificar as situações em que não estão a conseguir colocação mesmo na contratação de escola e verificar, de acordo com os recursos que existem nas escolas, como é que conseguimos colmatar essas falhas”, explicou a secretária de Estado da Educação, Inês Ramires.
A medida foi anunciada esta quarta-feira no final da apresentação de um de diagnóstico de necessidades docentes de 2021 a 2030, da Universidade Nova de Lisboa, que conclui que, em consequência do número de professores que se deverão aposentar nos próximos anos, será necessário contratar um total de 34,5 mil profissionais até 2030/2031 para assegurar que não há falta de docentes nas escolas.
No entanto, o problema da falta de professores não é um cenário futurista, verificando-se já em algumas escolas, designadamente nas regiões de Lisboa e Vale do Tejo e Algarve e em disciplinas concretas, como Informática, Inglês, Português e Geografia, sobretudo no 3.º ciclo e secundário.
Por isso, o Ministério da Educação vai tentar atenuar o problema com a criação da ‘task-force’ para resolver os horários por preencher, mas a secretária de Estado recordou que o executivo tem vindo a tomar medidas desde 2015 para atenuar o problema, referindo reservas de recrutamento, que agora são semanais, ou a vinculação de 11 mil docentes nos últimos seis anos. @ Sapo

Educação: quase 40% dos professores vão reformar-se até 2030


Até 2030 cerca de 39% dos professores vão reformar-se e a redução de alunos prevista pela evolução demográfica do país (15%) não é compensada pelo número de jovens a matricularem-se em licenciaturas para serem professores. Portugal precisa de contratar 34.508 na próxima década.
As conclusões surgem do Estudo de Diagnóstico de Necessidades Docentes de 2021 a 2030, encomendado pelo Governo à Nova School Business Economics.
O número de diplomados na área de formação de professores foi de 1.567 no ano passado, ou seja, muito inferior ao número de professores que são necessários anualmente segundo estas projeções: 3.425.
Este fator, alia-se à insuficiência de candidatos em concursos de colocação na grande maioria dos grupos de recrutamento.
“À medida que aumentarem as aposentações e o número de professores com reduções de horário, “a pressão” para recrutar também vai subir, refere Luís Capela Nunes, coordenador da equipa da Nova School Bussiness Economics.
Olhando para os níveis de ensino, é no pré-escolar que mais docentes vão sair da carreira. São 61% dos atuais educadores a reformarem-se na próxima década. Segue-se o 2.º ciclo (46%), o 3.º ciclo e secundário (38%) e 1.º ciclo (31%).
O ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues, disse esta quarta-feira na apresentação da pesquisa, que as cerca de 11 mil vinculações nos quadros nos últimos seis anos contribuíram para “mitigar” a insuficiência de professores. 
Por sua vez, a Secretária de Estado da Educação, Inês Ramires, afirmou que o objetivo principal do Governo é conseguir que haja estabilidade nas carreiras dos professores, de forma a tornar a profissão mais atrativa. @Sapo

 

quinta-feira, 18 de novembro de 2021

hoje é dia de reflexão e de sossego


Decorreu até ontem a campanha para a eleição da nova Associação de Estudantes. Como vem sendo habitual, a escola animou-se com a presença de vários artistas convidados pelas listas, que atuaram nos intervalos das aulas. Desses artistas e atuações o CRESCER apresenta uma breve resenha.

Os artistas das listas H e OS trazidos à escola

No primeiro dia de campanha eleitoral para a Associação de Estudantes, pudemos contar com a presença de inúmeros artistas.

A lista H, para começar bem o dia, logo pelas 9h40m da manhã, trouxe Salama, um rapper português já bastante conhecido pelos alunos da escola. Já à tarde pudemos observar o grande espetáculo de fogo de Bruno Milk.

A lista OS trouxe Gate, também um rapper português, que veio mostrar o seu talento à nossa escola. À tarde recebemos Giovanni da Vblock um rapper nacionalmente conhecido que decidiu mostrar-nos a sua arte.

No segundo dia de campanha contamos com a presença e atuações de vários artistas incriveis. 

Da lista H apenas tivemos a presença de um artista, mas um artista que vale por milhares. O grande Ivandro veio mostrar o seu incrivel talento à nossa escola por volta das cinco da tarde.

A lista OS apostou em dois artistas. A grande dançarina Sofia Soares que veio mostrar os seus dotes de dança pelas 9h40m da manha. Já à tarde tivemos a presença do grande 3000kilo um artista musical que nos apresentou o seu grande talento.

Entre as várias presenças das listas e as propostas que podem consultar em

Propostas Lista OS- https://www.instagram.com/p/CWULvLPoOuV/?utm_medium=copy_link


... hoje é dia de reflexão para amanhã podermos votar em consciência.

cortesia de Carlos Silva, 11ºI



18 de novembro: dia mundial da filosofia

 



Em 2002 a UNESCO instituiu o Dia Mundial da Filosofia, como resultado da necessidade da humanidade refletir sobre os acontecimentos atuais, fomentando-se o pensamento crítico, criativo e independente, contribuindo assim para a promoção da tolerância e da paz. Desde então este dia é celebrado em todo o mundo na terceira quinta-feira do mês de novembro. Hoje.

Espreite o que se passa na escola, começando por identificar alguns dos rostos deste corredor.

Envolva-se nas atividades promovidas pelo grupo de Filosofia.


escola colorida

Chegar à escola e ser surpreendido assim, é... ARTE. 

Dos alunos do 10º F, trabalho em carvão, na 1ª aula de experimentação, da professora de Desenho A, Ana César.

da biblioteca: Uma ida ao Mundo da Leitura

  

     Ao fim de um mês, uma espera muito desejada, a turma 6ºA, da escola Secundária de Águas Santas, no dia 27 de outubro de 2021, finalmente foi à Biblioteca. A turma 6ºA irá à Biblioteca todos os meses, na última semana, tal como as restantes turmas. 

    Trata-se de uma iniciativa integrada na atividade “Oficina da Leitura”, que acontece semanalmente. Ir à Biblioteca é sempre um momento especial e diferente. Nesta nossa primeira ida, tivemos um momento de leitura em silêncio, de parte de um livro escolhido por nós e de um momento de leitura em voz alta.                Começamos já a treinar para o Concurso “Os notáveis da Leitura” com todo o entusiasmo e vontade de ler cada vez mais. Na opinião dos alunos, se fossem assim todas as aulas, seria espetacular!

    Publicado já aqui.                                                                                                           Zabdi e G. Santos, 6º A

quarta-feira, 17 de novembro de 2021

o que são? quem são?

O que são?
São as listas que concorrem à Associação de Estudantes. A lista H e a lista OS.


Quem são?
A lista H tem como presidente André Pontes e como vice-presidente Catarina Ferreira. A presidente da assembleia geral é Beatriz Silva. As secretárias são Catarina Monteiro e Luana Martins. Já a presidente do conselho fiscal é Catarina Azevedo. O seu relator é Rui Guedes e a secretária é Rafaela Rodrigues.


A lista OS tem como presidente Quelia Carneiro e como vice-presidente Diogo Barbosa. A presidente da assembleia geral é Angela Rocha. As secretárias são Ana Soares e Andreia Vasconcelos. Já a presidente do conselho fiscal é Jessica Filipa. A sua relatora é Sofia Soares e a secretária Ana Francisca.

 cortesia de Carlos Silva, 11º I

orgulho em Saramago

O primeiro-ministro António Costa manifestou hoje a convicção de que José Saramago não será o único escritor português a ganhar um prémio Nobel mas vincou que o autor, cujo centenário se comemora, é um orgulho nacional.

Lusa

“Entre todos aqueles que escrevem em português, seja em Portugal, no Brasil em Angola, Moçambique, Cabo Verde, Timor, São Tomé e Príncipe ou na Guiné foi, até agora, o primeiro que recebeu o maior prémio mundial na área da literatura que é o Prémio Nobel”, disse António Costa perante cerca de uma centena de alunos aos quais transmitiu o “orgulho nacional” perante o feito de José Saramago.

Na escola Básica Integrada Fernando Casimiro da Silva, onde participou nas comemorações do centenário do nascimento do escritor que hoje completaria 99 anos, o primeiro-ministro frisou que a atribuição do prémio ao português foi “uma felicidade”, acrescentando estar “seguro de que não será o último” e que outros escritores “portugueses, ou que escrevem em português o poderão ganhar”.

A escola de Rio Maior, no distrito de Santarém, foi a escolhida pelo governante para assinalar o arranque das comemorações, “através da leitura simultânea em mais de 300 escolas de Portugal, em cerca de 40 escolas das Canárias e em centenas de escolas em toda a América Latina”, em que à mesma hora, alunos desenvolveram atividades em torno do conto de José Saramago “A Maior Flor do Mundo”.

Depois de ouvir a leitura do conto protagonizada por alunos do 5.º e do 6.º ano e de assistir à sua discussão numa tertúlia de alunos do 9.º ano, António Costa aproveitou para transmitir a mais jovens “a mensagem atual” que já então Saramago difundia na obra, e mais premente ainda numa altura em que se discutem “as alterações climáticas” e os seus efeitos, que fazem que com venhamos a ter “água a mais no mar e a menos na terra” @Sapo