Número total de visualizações de página

segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

recordar Auschwitz para não repetir

Cumprem-se hoje 75 anos da libertação do maior campo de concentração e extermínio da II Guerra Mundial erigido pelo regime nazi. A data, que não por acaso coincide com a celebração anual do Dia da Memória do Holocausto, é marcada pela cerimónia em Auschwitz- Birkenau e pela presença de 200 sobreviventes, além de chefes de Estado e embaixadas de todo o mundo. 
 

Será que, como disse Jonathan Littell ao Expresso, “70 anos é o máximo para as pessoas manterem uma memória coletiva sobre o horror do passado”? Que três gerações de paz é “o máximo a que podemos aspirar”?

Símbolo do extermínio

Não é certamente por acaso que o Dia da Memória do Holocausto, também comemorado hoje, coincide com o da libertação do mais mortífero campo de concentração e extermínio da II Guerra Mundial. Porque Auschwitz é o símbolo do horror nazi, é o resumo, a síntese do seu auge. Houve muitos horrores nesses anos, disseminados por muitos países, mas poucos ultrapassam o deste local em grandeza e estatísticas, em aplicação satisfatória da ‘solução final’, em precisão das técnicas encontradas, em quantidade de meios mobilizados para o objetivo do ‘trabalho até à morte’.
Esta segunda-feira, na cerimónia anual em Auschwitz-Birkenau, acessível em streaming no site do Museu a partir das 14h30 (hora portuguesa), os sobreviventes são os principais convidados. Esperam-se pelo menos 200, vindos dos Estados Unidos, Canadá, Israel, Austrália, além de alguns países europeus. Em termos de chefes de Estado, conta-se com a presença dos de Austrália, Áustria, Alemanha, Bélgica, Bulgária, Croácia, Finlândia, Grécia, Hungria, Irlanda, Israel, Letónia, Lituânia, Holanda, Noruega, Polónia, Roménia, Eslovénia, Reino Unido e Ucrânia, além de uma vintena de embaixadores - Portugal está representado pelo ministro dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva. (excertos de notícia de Expresso)
Há dois anos, uma ex-aluna e colaboradora do jornal escrevia estas palavras, após ter feito uma visita, com a escola, a Auschwitz, cuja notícia aqui publicamos:
"Auschwitz (...) desperta-nos para o mundo atual, que está repleto de conflitos que põem em causa os direitos humanos e nos transmitem a mensagem que somos nós que traçamos o nosso futuro e que estamos a tempo de impedir muitas crueldades. Afinal de contas, todas estas atrocidades não aconteceram assim há tanto tempo! Efetivamente, e citando George Santayana, “Aqueles que não são capazes de recordar o passado estão condenados a repeti-lo.” Margarida Morais 12ºF

o Reino Unido vai, por fim, sair da União Europeia. O que acontecerá à sua língua nas instituições da União?

    

     A União Europeia orgulha-se de não ter escolhido uma só língua como língua oficial. Não escolheu uma, nem duas, nem três: escolheu 24! Quais são? O Tratado da União Europeia diz, no seu artigo 55.º: 
   "O presente Tratado, redigido num único exemplar, nas línguas alemã, búlgara, checa, dinamarquesa, eslovaca, eslovena, espanhola, estónia, finlandesa, francesa, grega, húngara, inglesa, irlandesa, italiana, letã, lituana, maltesa, neerlandesa, polaca, portuguesa, romena e sueca, fazendo fé qualquer dos textos, será depositado nos arquivos do Governo da República Italiana, o qual remeterá uma cópia autenticada a cada um dos Governos dos outros Estados signatários".
     Se teve paciência para contar, terá concluído que são 23 as línguas do tratado. A estas línguas há que acrescentar o croata, que se tornou língua oficial em 2013, por força da adesão da Croácia. O irlandês, apesar de estar no tratado, só começou a ser considerado língua oficial em 2007 — e ainda hoje está numa espécie de limbo, oficial na teoria, mas não na prática.
     Portanto, as línguas oficiais da União são 24. A legislação europeia é publicada, habitualmente, nestas línguas todas (com a excepção habitual do irlandês) e todas as versões são igualmente válidas: uma directiva em alemão vale tanto como a mesma directiva em português. 
     Pois bem: o Reino Unido vai sair da União e os outros dois estados que usam o inglês com carácter oficial (Irlanda e Malta) têm outras línguas a que dão primazia constitucional: o irlandês e o maltês. A partir de sexta-feira não haverá nenhum membro da União em que a língua mais importante do Estado seja o inglês. Será que o inglês deixará de ser uma das línguas oficiais da União?
     Não me parece que tal vá acontecer. Em primeiro lugar, o inglês continua inscrito nos tratados. O acordo de saída do Reino Unido nada diz em contrário e, assim, as versões inglesas dos tratados e da legislação continuam a ser válidas. Depois, a Irlanda tem, de facto, o irlandês como língua nacional e prioritária, mas esta, na prática, é falada por uma minoria da população. O inglês é não só uma das línguas oficiais, como é também a língua materna da grande maioria dos irlandeses e a língua usada no dia-a-dia em quase toda a Irlanda — os irlandeses, que já ficaram com tantas dores de cabeça por causa do Brexit, não gostariam de ver a sua língua eliminada das instituições da União.
    Mas há outras razões: nos corredores das instituições, as línguas mais usadas nas discussões informais são o francês e o inglês. Dificilmente essas conversas informais passarão para outra língua de um dia para o outro. O inglês é também muito importante na tradução e interpretação. Só como exemplo, serve, em muitos casos, de língua intermediária — um deputado europeu que fale em estónio será interpretado para inglês e daí para muitas das outras línguas. Seria possível mudar este estado de coisas? Claro! Mas seria necessário bastante tempo — e também muita força de vontade. Não parece estar em curso nenhuma Grande Substituição da Língua Inglesa... @Sapo

sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

eleições: Parlamento dos Jovens (Básico)

mesa de voto junto do bar, no refeitório
       Decorreu ontem, com grande sentido de responsabilidade, a eleição para o Parlamento Jovem Básico. Para o Parlamento Jovem Secundário a eleição será na 2ª feira.

"Portobello Road"

Ainda não sabemos quão lucrativo foi este evento, que reverterá a favor da nossa Unidade CAA, mas que foi admirável de ver, foi. 
De parabéns estão os organizadores, os alunos envolvidos e todos aqueles que fizeram com que pudéssemos sentir estar mesmo em Portobello Road, pelos excelentes desenhos que forravam as paredes.






fotos de Luana Rodrigues




                                                                                                                            fotos de Pedro Pinheiro

Minichef Moutidos

cortesia de Ricardo Mazzei

quinta-feira, 23 de janeiro de 2020

2ª Jornada de Badminton do Desporto Escolar

     


     No passado sábado, dia 18 de janeiro de 2020, decorreu a 2ª Jornada de Badminton do Desporto Escolar, organizada na Escola Básica de Pedrouços.
     Todos os atletas estiveram de parabéns pelo comportamento, responsabilidade,  empenho e resultados demonstrados.
     Os alunos Gonçalo Lamares e Luana Pinto alcançaram o 1º lugar na competição individual. Já na competição a pares, as alunas Luana Pinto e Sofia Carvalho também obtiveram o primeiro lugar e a Lara Paiva e Rita Cunha o segundo lugar na competição. Todos os restantes atletas obtiveram melhorias nas suas prestações.                                                                                                cortesia de Carla Isabel Alves

resultados dos torneios de ténis de mesa e badminton

      Nos dois últimos dias do 1º período, 16 e 17 de dezembro de 2019, decorreram os torneios de Ténis de mesa e Badminton, este ultimo intitulado “BADESCAS”.
No 1º dia, realizou-se o torneio de Ténis de mesa, com a colocação de 8 mesas para a sua realização. Houve uma grande adesão por parte de todos os alunos dos vários ciclos, num total de 260 alunos. O torneio foi dividido do seguinte modo: 2º ciclo com 90 alunos; 7º/8º com cerca de 80 alunos; 9º /10º com 64 alunos e 11º/12º com 28 alunos.

Os vencedores do torneio de ténis de mesa foram os seguintes:
5º / 6º Masculinos:                                              5º / 6º Femininos
1º  – Pedro Lopes – 6º C                                  1º  – Leonor Evangelista – 5º E
2º  – Salvador – 6º C                                         2º  – Sara Silva – 6º B
3º  – João Teixeira – 6º J                                3º  – Mariana Pereira – 5º E
7º / 8º Masculinos:                                           7º / 8º Femininos
1º  – Rodrigo Moura – 8º B                             1º  – Ana Nunes – 7º L
2º  – Tiago Truta – 8º B                                   2º  – Matilde Queirós – 7º E
3º  – Tiago Carvalho – 7º F                             3º  – Darya Kry – 7º L
9º / 10º Masculinos:                                          9º / 10º Femininos:
1º  – Pedro Vieira – 10º H                                 1º  – Ana Nunes –
2º  – Eduardo – 10º K                                        2º  – Joana Vaz–
3º  – Rafael – 10º I                                            3º  – Rafaela –
11º / 12º Masculinos:                                            
1º  – Tiago Moura– 12º E                   
2º  – David – 11º A                                   
3º  – Rodrigo Sá– 11º F                           

No torneio de Badminton também houve grande adesão, tendo participado no total 199 alunos. Os anos de escolaridade foram agrupados do seguinte modo: 7º / 8º anos masculinos com 54 alunos; 7º / 8º femininos com 39 alunas; 9º / 10º anos masculinos com 44 alunos; 9º / 10º anos femininos com 24 alunas e 11º / 12º em pares com 38 alunos. 
As atividades decorreram de uma forma bastante positiva, tendo sido plenamente atingidos os objetivos propostos. 
As atividades tiveram a colaboração dos alunos das turmas 12º G – Informática e 12º H – Turismo no Badminton e no Ténis de Mesa a colaboração das turmas do Cef ( 9º M e 9º N) na organização, arbitragem, recolha e tratamento informático dos resultados dos jogos. Este apoio foi fundamental dado o elevado número de jogos e alunos participantes.

Os vencedores do torneio de badminton foram os seguintes:
7º / 8º Masculinos:                                              7º / 8º Femininos
1º lugar – Francisco Eugénio – 7º F                    1º lugar – Lara Teixeira – 8º H
2º lugar – Carlos Vieira – 7º L                              2º lugar – Darya Kry – 7º L
3º lugar – Bernardo Silva – 8º I                            3º lugar – Matilde Queirós – 7º E
9º / 10º Masculinos:                                             9º / 10º Femininos:
1º lugar – João Santos – 10º I                               1º lugar – Diana Gomes – 10º B
2º lugar – Ricardo Mendes – 10º I                       2º lugar – Sara Ribeiro – 9º B
3º lugar – Duarte Pinheiro – 9º A                         3º lugar – Irís Torres – 9º B
11º / 12º Pares:
1º lugar - André Moreira / Ruben Silva – 11º K
2º lugar – Sara Pinto / Pedro Marques – 11º C
3º lugar – Inês Cruz / Tiago Moura – 12º E

Os responsáveis pelas atividades:
Jorge Mendes
Marta Paiva
Filomena Madureira
António Portela


"nós orientamos, tu decides"

      Com a colaboração do SPO, na última segunda-feira, dia 20 de janeiro, várias faculdades e departamentos de várias Universidades públicas e privadas do país disponibilizaram informação aos nossos alunos pré-universitários sobre o futuro.
       Todos os que se inscreveram assistiram a uma dinâmica sessão denominada "acesso ao ensino superior" e, depois, puderam optar por esclarecimentos sobre as diferentes áreas de estudo e também por workshops temáticos.
       É que "nós orientamos", mas "tu decides."




fotos de Luana Rodrigues

quarta-feira, 22 de janeiro de 2020

é já amanhã


      É já amanhã que os alunos vão votar para eleger aquela que lhes parece ser a melhor proposta a ser defendida no "Parlamento dos Jovens.
      Que ninguém falte à chamada.
      Há listas e recomendações para muitos gostos. Vejam só.
fotos de Pedro Pinheiro

palestra sobre "Alterações Climáticas"



      Realizou-se hoje, dia 22 de janeiro de 2020, uma palestra sobre Alterações Climáticas, dinamizada pelo professor Manuel António Salgueiro da Silva, docente da Faculdade de Ciências da Universidade do Porto, a convite da nossa docente Olga Sequeira. 
      Esta palestra surge no âmbito do projeto de cidadania da turma L, do 11º ano, e visa consciencializar os jovens sobre a importância da preservação do planeta.

          Desta palestra destacam-se algumas curiosidades:
         80% a 95% do albedo da Terra é constituído pela criosfera (ex: neve), sendo esta a responsável pela reflexão das radiações solares. Ora, se a reflexão diminuir, mais sujeitos às radiações solares ficam os habitantes da Terra e, consequentemente, a temperatura aumenta. 
        O aumento de dióxido de carbono na Terra aumenta a absorção das radiações infravermelhas que, por sua vez, provocam o efeito de estufa. Esse mesmo efeito de estufa conduz ao aumento do aquecimento global. 
       Outra curiosidade foi saber que as estradas de alcatrão não são boas para contrariar o aquecimento global e os telhados escuros também não. 
         Por fim, um destaque especial para a apresentação de alguns dados estatísticos conseguidos num estudo de 2016 nos E.U.A.: 45% da população acredita nos cientistas e na responsabilidade do Homem no aquecimento global; 55%  não acredita ou nada sabe; 97% dos cientistas confirmam e concordam com a responsabilidade humana no drama do aquecimento global e, curiosamente, 3% dos cientistas não concorda com esta tese.

texto e fotos do 11ºL 

"Jovens e Pais com Saúde"



   No dia 20 de janeiro pelas 18,45 no auditório da escola, os alunos do 12º ano do Curso Técnico Profissional de Saúde dinamizaram uma sessão sobre as atividades desenvolvidas durante três anos enquanto JPS (jovens promotores de saúde). Esta sessão foi destinada aos seus Encarregados de Educação, professores, elementos da Liga Portuguesa Contra o Cancro e Direção da escola. Os objetivos desta sessão foram plenamente atingidos e teve a participação dos presentes em várias atividades.                                                                                                                                     cortesia de Cristina Matos (texto e foto)

terça-feira, 21 de janeiro de 2020

Crianças a torto e a Direitos

Conhece?
Crianças a torto e a Direitos é um espaço digital do Instituto de Apoio à Criança. Particularmente interessante para pais e encarregados de educação.

"Sublinhando desde já que todos os nossos holofotes incidem sobre a Criança enquanto sujeito de Direitos, definimos os seguintes objectivos para este espaço:
  • Partilhar informações sobre eventos nacionais e internacionais, projectos, novas publicações e formação, disponíveis a nível nacional e internacional;
  • Disponibilizar materiais teóricos, metodológicos, científicos e pedagógicos relevantes e de referência sobre a Criança;
  • Divulgar de modo ágil, simples e célere as novidades, as acções e os conteúdos dos diversos sectores e serviços do IAC;
  • Dinamizar um espaço institucional complementar ao site do IAC e facilitador da comunicação bilateral instituição-comunidade.
Este blogue é coordenado e moderado por uma equipa do sector do IAC intitulado Centro de Estudos, Documentação e Informação sobre a Criança – CEDI (José Brito Soares, Ana Tarouca e Pedro Pires), contando com a participação de vários outros colaboradores do IAC." @ Crianças a torto e a direitos

segunda-feira, 20 de janeiro de 2020

"A Terra é vida"


       
      Na passada sexta feira, dia 17 de janeiro, a turma 11°F, no âmbito do seu projeto de cidadania, dinamizou uma palestra dedicada à Terra, intitulada de "A Terra é vida".
      Esta apresentação decorreu de manhã, a partir das 10:30, e à tarde, a partir das 14:30. Com a participação e colaboração de várias turmas do 10° ao 12°ano, foi possível refletir sobre o tema em questão.



texto de Júlia Meira e fotos de Luana Rodrigues

sexta-feira, 17 de janeiro de 2020

Concurso Literário Biblioaescas – resultados


Vamos imaginar?

Atividade Literária e Artística

        
Divulgação dos resultados

2º ciclo

Beatriz Pinto, 6º C
Filipa Vieira, 6º C
Rita Monteiro, 6º C
Rita Ribeiro, 5º G

3º ciclo

Helena Lumini, 9º I
Maria Francisca Dantas, 9º I
Marta Cardoso, 9º I
Tiago Damas, 9º I
                                                                                                                          @ Biblioteca

uma manhã diferente no Maiashopping



















      A manhã de sexta feira foi diferente para os alunos do 11. E e do 12. F que frequentam a Sala de Intervenção Especializada (A3.03).
    “Armados em espiões” foi o filme que foram ver ao Maiashopping, com pipocas à mistura.
    Um agradecimento muito especial à APESAS - Associação de Pais da Escola Secundária de Águas Santas - pelo financiamento desta atividade.                                                                                                                               cortesia de Celeste Carvalho

concurso "Postais de Natal"

  Como já é habitual, o grupo de professores de Francês promoveu o concurso “Postais de Natal”.



   Esta iniciativa destinada aos alunos do 7º ano de escolaridade decorreu com uma exposição dos trabalhos na Biblioteca. De entre os inúmeros e excelentes postais apresentados, foram selecionados os três melhores que pertencem às alunas:
Salomé Fontes, nº24 do 7ºB
Inês Oliveira, nº13 do 7º L
Ivone Matilde Rocha nº12 do 7ºM
                                                                                                  cortesia de  Paula Pacheco Silva e Lizete Pinheiro

quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

astrobióloga portuguesa participa em missão espacial europeia

  Uma missão espacial europeia, com a participação da astrobióloga portuguesa Zita Martins, vai procurar intercetar pela primeira vez um cometa primitivo, inalterado pela radiação do Sol, para obter respostas sobre a origem da vida na Terra.

    
   A missão da Agência Espacial Europeia (ESA) “Comet Interceptor” (Intercetor de Cometa, em tradução livre) tem lançamento previsto para 2028 e será a primeira a recolher informação sobre um cometa que nunca se aproximou do Sol e, por isso, se manteve inalterado desde a sua formação.
   “Apanhar” tais cometas tem sido difícil, uma vez que só podem ser detetados quando se aproximam do Sol pela primeira vez, deixando pouco tempo para planear e enviar uma missão espacial na sua direção.
    A missão “Comet Interceptor”, que conta com a colaboração da agência espacial japonesa (JAXA), vai colocar uma sonda a 1,5 milhões de quilómetros da Terra, na direção contrária ao Sol.
    Em conjunto com telescópios terrestres, um deles a ser construído no Chile, o aparelho irá permitir detetar um cometa proveniente da Nuvem de Oort, região nos confins do Sistema Solar, e eventualmente corpos interestelares que entraram no Sistema Solar pela primeira vez e estão na trajetória de aproximação ao Sol.
    Assim posicionada, a sonda, a principal, será um “ponto de espera” a um desses cometas, disse à Lusa Zita Martins, especialista no estudo da origem da vida na Terra e a única cientista portuguesa que integra a equipa internacional que vai analisar os dados recolhidos na missão.
    Depois de identificar o cometa até então desconhecido, a sonda viajará durante meses ou anos pelo espaço para estar no sítio e no momento certos para intercetar o cometa quando este cruzar o plano da elíptica, o plano da órbita da Terra em relação ao Sol.
   Duas sondas mais pequenas serão libertadas da sonda principal antes de se aproximarem do cometa. São estes dois aparelhos que vão circundar o cometa e recolher o máximo de informação possível, incluindo sobre a composição da sua superfície, a forma e estrutura.
   Todos os dados obtidos serão transmitidos para telescópios terrestres através da sonda principal com a qual comunicam.
   Para Zita Martins, professora no Instituto Superior Técnico, em Lisboa, intercetar um cometa primitivo é como entrar na “máquina do tempo”, uma vez que possibilitará desvendar quais “as moléculas orgânicas” disponíveis no início da formação do Sistema Solar e, assim, dar pistas mais concretas sobre a origem da vida na Terra.
   Os cometas, vulgarmente descritos como “bolas de gelo sujas”, têm na sua composição, além de gelo, poeira, fragmentos rochosos, gás e compostos orgânicos (estes últimos terão chegado à Terra fruto do impacto dos cometas na superfície terrestre).
   Missões espaciais anteriores estudaram cometas que entraram várias vezes no Sistema Solar e passaram perto do Sol, que produziu alterações na sua superfície, escondendo a sua aparência original.
    A sonda europeia Rosetta orbitou durante dois anos, entre 2014 e 2016, o cometa 67P/Churyumov-Gerasimenko, que viaja entre as órbitas da Terra e de Júpiter. Foi a primeira vez que uma sonda orbitou um cometa e teve um módulo robótico na sua superfície.
   A missão “Comet Interceptor” será lançada à boleia de uma outra, a Ariel, também da ESA, que vai estudar a composição química da atmosfera de exoplanetas (planetas fora do Sistema Solar) já descobertos e que conta também com a participação de cientistas portuguesas. @Sapo

quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

divulgação certificação EQAVET



O Quadro de Referência Europeu de Garantia da Qualidade para a Educação e Formação Profissionais (Quadro EQAVET), consagrado pela Recomendação de 18 de junho de 2009 do Parlamento Europeu e do Conselho de Ministros da União Europeia, foi concebido para melhorar o Ensino e Formação Profissional (EFP) no espaço europeu, colocando à disposição das autoridades e dos operadores ferramentas comuns para a gestão da qualidade, promovendo a confiança mútua, a mobilidade de trabalhadores e de formandos e a aprendizagem ao longo da vida. 
O EQAVET é um instrumento a adotar de forma voluntária, que permite documentar, desenvolver, monitorizar, avaliar e melhorar a eficiência da oferta de EFP e a qualidade das práticas de gestão, estabelecendo critérios de qualidade.
No Agrupamento de Escolas de Águas Santas o projeto de implementação do sistema de garantia da Qualidade EQAVET será acompanhado pela equipa de trabalho constituída por: Carlos Cardoso, Ana Magalhães, Brilhantina Coelho, Cristina Matos, Diana Almeida, Isabel Garção, Isabel Pinheiro e Susana Santos.
Para que seja garantido o sucesso neste projeto convidamos toda a comunidade educativa, docentes, não docentes, alunos, encarregados de educação, ex-alunos, parceiros da comunidade a participar ativamente nele. Procuramos melhorar ao encontro das Vossas expectativas.

A equipa de trabalho

Portobello Road Market is coming to Escola Secundária de Águas Santas


          
    Those who know or have already gone to London have surely heard of the Portobello Road Market that opens every Saturday. There you can find a variety of antiquities and second-hand items. However, Portobello Road Market is more than just a place where we buy and sell things, it has become a historical place that teaches us more about the English culture.
     With that said, you are invited to visit our own Portobello Road Market, right here in our school, on Thursday, the 23rd, opened all day. Come and buy all types of objects from mugs to accessories, for a really small price! While you are buying new things for yourself, you are also helping your schoolmates with special needs.

      We will be waiting for you!           


cortesia de Ayla Murata, number 7 e Maria Mendes, number 19 – 10thG

terça-feira, 14 de janeiro de 2020

"Leituras Dramatizadas" no Teatro Carlos Alberto

 Os nossos alunos foram...

   
Sessões com a duração de três horas, numa sala de ensaios do Teatro ou na Escola, em que alunos dos ensinos básico e secundário dramatizam uma peça de teatro ou um texto dos programas curriculares e do Plano Nacional de Leitura. Contos Populares Portugueses, de Adolfo Coelho (2.º ano), Teatro às Três Pancadas, de António Torrado, Os Piratas, de Manuel António Pina (6.º ano), ou a Breve História da Lua, de António Gedeão (8.º ano), A Farsa de Inês Pereira, de Gil Vicente (10.º ano), ou Frei Luís de Sousa, de Almeida Garrett (11.º ano), são exemplos de alguns dos textos que foram dramatizados. Concebidas pelo ator e encenador Nuno M Cardoso, estas Leituras Dramatizadas são interpretadas pelos próprios alunos.@ TNSJ
    
conceção
Nuno M Cardoso  
orientação
Ana Mafalda Pereira, Rita Pinheiro, Rosário Costa
destinatários alunos dos ensinos básico e secundário duração 3:00 seg-sex 10:00-13:00 + 14:30-17:30 n.º máximo de participantes uma turma

segunda-feira, 13 de janeiro de 2020

concurso "Colheres do amor"



1.  Este concurso destina-se aos alunos do 8º e 9.º  anos.
2.  Cada aluno poderá concorrer com um único trabalho.
3.  As colheres devem ser de pau e decoradas a gosto, contendo uma pequena mensagem sobre o amor, em língua francesa (8 palavras, no máximo).
4. Na decoração das colheres, pode ser utilizada qualquer técnica de pintura, desenho e/ou colagem. Não é permitida a colagem de imagens impressas nem o uso de materiais que se degradem facilmente.
5. As colheres devem estar devidamente identificadas, na parte de trás, com o nome do aluno e respetiva turma.
6. As colheres devem ser entregues até dia 11 de fevereiro ao respetivo professor de francês.
7.  O júri selecionará os trabalhos mais criativos, que serão expostos na biblioteca escolar .
8. De entre os selecionados para a exposição, serão escolhidos os três melhores trabalhos, a cujos autores será atribuído um prémio.
9. Serão desclassificados os trabalhos que contenham erros ortográficos, ou não estejam devidamente identificados.
10.  O júri divulgará, posteriormente, os vencedores.