Número total de visualizações de página

sexta-feira, 18 de outubro de 2019

a minha escola é como uma praça... e também um banco de jardim


      Aproximando-se o fim de semana, o CRESCER partilha este texto de autor com a comunidade. Para ler e refletir. O autor é o psicólogo Eduardo Sá.
      Fiquem bem!

      Na verdade, nada é tão linear como parece. Nem as crianças são pequenas, nem os seus pais crescidos, como aparentam. Elas nem sempre crescem. E eles voltam, por dentro, muitas vezes, para trás. Com o tempo há quem se torne jovem. E quem, entre as oportunidades que tem para crescer, vacile e envelheça. Com o tempo, há quem se torne ingénuo e sábio, arrebatado, amável, terno ou buliçoso. E quem azede, adoçando a ira de euforia. Com o tempo há quem - de cada vez que muda queira começar do zero (como quem deixa de si quase tudo para trás). E há quem recrie tudo o que sabe, nunca partindo sem que leve aquilo que os outros teimam em deixar. Para quem envelhece nada é eterno. Para quem se recria tudo é para sempre. Quem envelhece morre todos os dias, um pouco mais. Quem se recria torna-se jovem, sempre que a aprende.

      Na verdade, nada é tão linear como parece. E é por isso que eu imagino que, um dia, a escola deixe as linhas direitas e se desarrume um bocadinho. E mais pareça uma praça muito grande, onde, a par de todas as matérias que as crianças tenham de aprender, haja um senhor, com bigodes retorcidos e rosetas afogueadas, tomando conta do sorriso, que as torne brincadoras. E lhes explique - devagarinho, se for preciso – que brincar é aprender. As crianças deviam ter recreios de compensação até que aprendessem a brincar. E ninguém as devia largar enquanto não abafassem berlindes, jogassem ao lenço ou à macaca, porque primeiro liga-se o corpo e aquilo que se sente e, só depois, o que se sabe com tudo o que se aprende. É por isso, certamente, que, ao contrário dos sabichões, os sábios nunca são enfadonhos. E um dia, para além da história que vem nos compêndios que cheiram bem, a D. Perpétua, que distribui graçolas com os jornais que vende, todos os dias, devia ensinar às crianças que, tão importante como a conjugação dos verbos e a gramática, a aritmética ou a matemática, é bom chorar no cinema, quando tem de ser. E só se aprende uma história, seja a de um rei ou a de um peixe com memória de grilo, por exemplo quando ela entra por nós sem nenhum «se faz favor!?...» e fica, em parte incerta, cavaqueando baixinho. E que o senhor do talho, que empurra o mundo com o avental, avalie com todo o rigor se cada criança é capaz de rir até às lágrimas, antes de ousar pegar no lápis e escrever aquilo que se acotovela na imaginação. Na verdade, o riso é amigo do espanto. E quem não se espanta nunca aprende que um problema é sempre muito mais importante do que qualquer solução. Ah! E se houver um Doutor Valeroso, de óculos descaídos, que não ensine o português antes de as crianças aprenderem a ir ao último capítulo, logo depois de passarem pela casa da partida, será demais. Como é bom atropelar a imaginação sempre que se adivinha! Sem nunca, mesmo nunca, confundir sonho e devaneio! A escola é uma sala de estar. Tem de aconchegar! E precisa de explicar, ao mesmo tempo, que compreender não é condescender. E que um professor de verdade educa antes de ensinar e é por isso que muitos professores são, muitas vezes, tios e, mesmo não devendo, são um bocadinho pais. A escola devia ser, também, um banco de jardim. E devia pôr, no lugar da unicidade, a pluralidade: diversos professores, muitos amigos, os pais num entra e sai, mais a D. Perpétua, o senhor das rosetas e o homem do talho que educam melhor, e põem mais longe no olhar. A escola devia ter um cantinho, para cada um. E um diretor de turma devia dar poucas aulas. Muito poucas. E devia telefonar, a perguntar pela constipação da Constança e devia fechar a escola, sempre que uma criança se zangasse com ela e a abandonasse. E sempre que uma criança reprovasse duas vezes, devia considerá-la em perigo. Não tanto a criança, mas a escola e a família (que parecem distraídas, uma com a outra, e não a conhecem). A escola é uma praça, uma sala de estar e um banco de jardim. E, com o tempo, devia tornar ingénuos e sábios, arrebatados, amáveis, ternos ou buliçosos todos aqueles que vacilam e envelhecem. Para quem envelhece nada é eterno. Para quem aprende tudo é para sempre. @ blog eduardo sa

chegou o frio!




Sim, chegou o frio e, com ele, as doces iguarias confecionadas com os frutos da época. Hoje a abóbora é rainha e foi cozinhada por um grupo de alunos que nos presenteou com um delicioso doce de abóbora.




Podes adquirir este doce no bar da escola e até fazer encomendas a estes alegres cozinheiros!!! 

                                

                              cortesia (texto e imagem) de Ana Vasconcelos

quinta-feira, 17 de outubro de 2019

desafio




A legenda do post anterior revela "quem é quem". 


Agora o desafio é saber qual é o Ministério que cada um vai tutelar.


Quem avança?

quem é quem?

O próximo Conselho de Ministros vai ter um primeiro-ministro, 19 ministros e três secretários de Estado. É o XXII Governo Constitucional de Portugal.



António Costa, Pedro Siza Vieira, Augusto Santos Silva, Mariana Vieira da Silva, Mário Centeno, João Gomes Cravinho, Eduardo Cabrita, Francisca Van Dunem, Alexandra Leitão, Nelson Sousa, Graça Fonseca, Manuel Heitor, Tiago Brandão Rodrigues, João Pedro Matos Fernandes, Ana Mendes Godinho, Marta Temido, Pedro Nuno Santos, Ana Abrunhosa, Maria do Céu Albuquerque e Ricardo Serrão Santos © Lusa

quarta-feira, 16 de outubro de 2019

dores nas costas? porquê?

       As profissões que implicam mais de quatro horas consecutivas na posição sentada a trabalhar com um ecrã digital, como por exemplo o computador, apresentam maior risco de dor nas costas.

      As dores de costas afetam ou vão afetar 7 milhões de portugueses em algum momento da sua vida e são uma das principais causas de absentismo laboral no mundo. Ignorar uma dor passageira ou não saber identificar uma dor persistente poderá desencadear um problema mais grave, potencialmente incapacitante, ou até limitar o acesso a opções de tratamento. Dois médicos neurocirugiões ajudam-nos a perceber os riscos associados às  dores de costas.
      "Estima-se que as dores nas costas afetem 7 milhões de portugueses em algum momento da sua vida e isto é preocupante. As doenças da coluna vertebral são já a principal causa de anos vividos com incapacidade em todo o mundo. Se uma dor que é persistente e incapacitante for ignorada, pode resultar num problema potencialmente mais grave, ou até limitar o acesso a opções de tratamento mais simples", começa por alertar Bruno Santiago, neurocirurgião e coordenador da Campanha Olhe pelas suas costas.
      "Saber interpretar o tipo de dor nas costas é fundamental e sempre que esta se acompanha de dor ou falta de força num dos membros, se agrava durante a noite, se acompanha de febre ou perda de peso devemos procurar ajuda médica", refere o especialista.
      Segundo dados da Organização Mundial de Saúde, as dores nas costas são responsáveis por 50% dos casos de incapacidade física na população adulta, levando 400 mil portugueses a faltarem ao trabalho por ano, a uma média superior a 33 mil por mês. Esta tendência crescente, que é já a segunda causa de ida ao médico, tem ainda um saldo pesado nas contas públicas.
      Em Portugal, só a taxa de absentismo e as reformas antecipadas provocadas pela dor crónica nas costas e articulações representa um despesa indireta de quase 740 milhões de euros anuais, de acordo com uma investigação desenvolvida, em 2012, pela Universidade Católica.
     A maioria (85%) das dores nas costas são provocadas por lesão do músculo, tendões ou ligamentos em torno da coluna e que podem aparecer de forma súbita por um esforço ou de forma lenta e progressiva por movimentos repetitivos. Outras causas de dor são a hérnia discal, doença degenerativa do disco intervertebral, disfunção das articulações da coluna, disfunção sacroilíaca, estenose do canal vertebral/osteoartrose, espondilolistese, espondilite anquilosante, infeções, tumores, fraturas, entre outras.
     "Aos sinais que devemos estar atentos e que requerem avaliação por médico especializado chamamos de bandeiras vermelhas. São febre, perda de peso inexplicável, dor de agravamento noturno, dor que agrava ao longo de quatro semanas, alterações de sensibilidade (como dormência e formigueiro), diminuição de força muscular nos membros e alterações urinárias (retenção ou incontinência)", indica o também neurocirurgião Lino Fonseca.
       Em caso de dores de costas esporádicas, deve realizar-se exercício tolerado, alongamentos, perda de peso e evitar a sobrecarga sobre a coluna (nomeadamente mochilas ou levantamento de peso). "Deve fazer-se ainda uma correção da postura, a cessação tabágica (uma vez que os fumadores apresentam menor fluxo sanguíneo à coluna com aumento de probabilidade de lesão) e um anti-inflamatório não esteroide de forma episódica", acrescenta este médico.
      As profissões que implicam mais de quatro horas consecutivas na posição sentada a trabalhar com um ecrã digital, como por exemplo o computador, apresentam maior risco de dor nas costasMas não são as únicas.
     "Esta situação está relacionada com a má postura, o desalinhamento da coluna, e a tendência para olhar para baixo (uma vez que a maioria dos ecrãs se encontram numa posição inferior aos olhos). A dependência da sociedade atual de smartphones agrava o problema na coluna cervical, uma vez que a má postura realizada para ler em ecrãs pequenos aumentam a pressão e força exercida na coluna cervical em seis vezes o habitual", frisa Lino Fonseca. 
      "O excesso de peso e o sedentarismo, nomeadamente na maioria da população pediátrica, vão acarretar graves problemas de dores nas costas nas gerações futuras", adverte. @Sapo

terça-feira, 15 de outubro de 2019

olhares sobre questões de Educação

 Educar para a cidadania ou educar na cidadania?

daqui
Não é uma mera questão semântica ou linguística aquela que a interrogação do título deste texto encerra. Trata-se de uma distinção concetual e paradigmática que, a montante, irá determinar e enformar as dinâmicas pedagógicas que nas nossas escolas pretenderão dar corpo à nova componente curricular de Cidadania e Desenvolvimento.
Educar para a cidadania, e em cidadania, são conceitos complexos e polissémicos dos quais é impossível erradicar uma inevitável contaminação ideológica. Mas é precisamente esta falta de neutralidade, e sobretudo a forma como a assumirmos, que condicionará o rumo a dar a esta nova componente do currículo.
Controvérsias à parte, talvez seja útil buscar alguns consensos. Arrisco o primeiro: educar para a cidadania é um compromisso de todos os professores, mesmo daqueles que não o assumem como seu. Estes fazem-no sem saber e, como tal, sem conferir à sua prática uma intencionalidade pedagogicamente assumida que, sem isentar, pelo menos atenua os riscos perversos de um adestramento inconsciente. Tudo o que o professor diz e faz assume um sentido moral, o mesmo acontecendo com os seus silêncios e as suas omissões, já que qualquer ato educativo é um ato de influência, quer se reconheça ou não[1].
Educar para a cidadania numa perspetiva de projeção num tempo e num espaço que não são o da escola é uma contradição nos próprios termos e um perigoso descomprometimento da escola enquanto espaço de cidadania ativa. Ao invés, educar para a cidadania numa escola que se assume ela mesmo como um espaço onde a cidadania se exerce numa lógica do “aqui e agora” significa cumprir o direito de cada um dos nossos alunos e alunas a desenvolver o máximo das suas capacidades, de forma a conseguir participar ativamente na vida política, económica e social. Uma das tarefas fundamentais da prática educativa é desenvolver nos educandos a capacidade de emancipação que lhes permita assumirem-se como seres históricos, sociais, criadores e transformadores, numa abertura respeitadora e dialogante ao outro e à diferença.
A Escola, muito mais do que um mero lugar de escolarização, deve ser um espaço de formação humana, o que implica assumir a construção do sujeito ético como a missão suprema e fulcral da Educação[2]. Nenhum espaço educativo pode alhear-se de um forte comprometimento com os valores universais, sob o risco de a atividade educativa se reduzir a mera atividade técnica. Significa isto que o facto de a educação ser uma atividade humana lhe confere uma dimensão ética de que não se consegue destrinçar.
O papel da escola não é unicamente oferecer conteúdos informativos, não é apenas instruir, mas promover o desenvolvimento do ser humano na complexidade e multidimensionalidade que o caracterizam, o que nos remete para uma visão pedagógica de cariz holístico que resiste a perspetivar o aluno apenas na sua dimensão cognitiva, enquanto mero recetáculo de conhecimentos, procurando promover o desenvolvimento integral de todas e cada uma das potencialidades humanas: intelectuais, emocionais, sociais, físicas, artísticas, criativas e espirituais.
Ana Granja

(a continuar na próxima semana)



[1] Estrela, M. T. (2010). Profissão Docente: Dimensões Afectivas e Éticas. Porto: Areal Editores.
[2] Rodrigues, N. (2001). Educação: da formação humana à construção do sujeito ético. Educação & Sociedade, 76, 232-257.


segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Plano Nacional vai estudar hábitos de leitura dos alunos

      O Plano Nacional de Leitura (PNL) vai retomar os estudos sobre os hábitos de leitura dos alunos cujos dados podem ser conhecidos dentro de dois anos, anunciou o Governo.

        
      O Plano Nacional de Leitura (PNL) vai retomar os estudos sobre os hábitos de leitura dos alunos cujos dados podem ser conhecidos dentro de dois anos, anunciou este domingo o secretário de Estado da Educação, João Costa.
      “A componente de estudos é uma das frentes que estamos a retomar nestes novos dez anos (2017-2027) do Plano Nacional de Leitura”, disse à agência Lusa o secretário de Estado, anunciando o lançamento de “um estudo sobre hábitos de Leitura”. O PNL “está agora a fazer uma candidatura”, adiantou o governante, estimando que “dentro de dois anos já possa haver alguns resultados” sobre literacia e hábitos de leitura nas escolas.
     João Costa falava à Lusa em Óbidos, onde hoje encerrou o 5.º Seminário Internacional Folio Educa, integrado na programação do Folio – Festival Internacional de Literatura, que decorre na vila até ao próximo dia 20. O encontro reuniu durante o fim de semana mais de uma centena de professores, sobretudo bibliotecários, para debater “O tempo e medo” na perspetiva da “leitura, literatura, educação e bibliotecas”.
      João Costa sublinhou ainda à Lusa “a redefinição das prioridades estratégicas” da rede de bibliotecas escolares, feita nos últimos anos para “trazer a biblioteca para o centro da atividade da escola”, através de programas voltados, entre outras matérias, para “a promoção da cidadania e a inclusão em contexto escolar”.
       Desde o final do verão passado as bibliotecas escolares do país estão também a desenvolver o programa “Cientificamente provável”, assente em parcerias com centros de investigação de universidades “para haver mais cientistas a ir às escolas e mais escolas a irem aos centros de investigação”. De acordo com o governante foram já firmadas “cerca de 300 parcerias”.
      O Folio – Festival Literário Internacional engloba mais de 210 iniciativas em 450 horas de programação em torno da literatura. Sob o tema “O Tempo e o Medo” mais de meio milhar de convidados de quatro continentes participam em 16 mesas de escritores, 12 exposições e 13 concertos que integram a programação.
        Organizado em cinco capítulos (Autores, Folia, Educa, Ilustra e Folio Mais) o festival teve a sua primeira edição em 2015, num investimento de meio milhão de euros, comparticipados por fundos comunitários, sendo desde então custeado pela autarquia e por parceiros institucionais. @ Sapo

sexta-feira, 11 de outubro de 2019

Projeto Conto Contigo






Conto Contigo é um projeto da Biblioteca Escolar que acontece semanalmente às quintas-feiras, pelas nove horas e trinta minutos.

É um momento de leitura, de criatividade e de diálogo aberto a todos quantos queiram participar.

A Biblioteca conta contigo para, de mãos dadas, viajarmos pelo mundo da imaginação, do sonho e da partilha.



vem aí, de novo, a "Onda Rosa"!


Como sabem, a Escola fez uma parceria com a Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC) e como  tal, irá dinamizar algumas atividades ao longo do ano letivo.  

De 15 a 30 de outubro comemora-se a Onda Rosa e as turmas do Curso Profissional de Saúde vão desenvolver algumas atividades.

A turma de 11º ano, concretamente, vai conceber um vídeo para projetar no refeitório nos intervalos das aulas; decorar a escola com posters e colocar um poster na entrada da escola; vender materiais da LPCC; vender alimentos na escola para angariar fundos para a LPCC.

O 11º de Saúde dinamizará as atividades nos dias 15,16 e 30. 
O 10º ano do mesmo Curso Profissional de Saúde dinamizará nos dias 22,  23 e 24 de outubro.

quinta-feira, 10 de outubro de 2019

Dia Mundial da Saúde Mental

       A escola não ficou indiferente e não esqueceu a comemoração deste dia. Um vídeo em loop e um painel para deixar mensagens foram os contributos visíveis da escola para não esquecer o Dia da Saúde Mental, que hoje se comemora.



      Este dia visa chamar a atenção pública para a questão da saúde mental global, e identificá-la como uma causa comum a todos os povos, ultrapassando barreiras nacionais, culturais, políticos ou sócio-económicas. Combater o preconceito e o estigma à volta da saúde psicológica é outro dos objetivos do dia.
      Esta data foi criada em 1992 pela Federação Mundial de Saúde Mental (World Federation for Mental Health).
      A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera a saúde mental uma prioridade e defende que a questão da saúde mental não é estritamente um problema de saúde.
Neste dia realizam-se colóquios para se encontrar soluções para os problemas relacionados com a saúde mental e coordenar esforços na luta contra esta realidade. O tema do Dia Mundial da Saúde Mental é: "Dignidade na Saúde Mental: Primeiros Socorros de Saúde Mental e Psicológica para Todos".
Aumento dos casos de depressão
       As perturbações de natureza mental estão a crescer e os distúrbios mentais, independentemente da sua gravidade, são uma das principais doenças incapacitantes do século XXI.
     A depressão é a segunda causa de incapacidade na União Europeia. As doenças mentais e, particularmente a depressão, são o fator de maior risco de suicídio.

Saúde mental em Portugal
      Um estudo da Direção Geral de Saúde mostra que Portugal lidera a lista dos países europeus com maior número de casos de perturbações mentais. Os mais afetados são as mulheres, quando se comparam os sexos, e as pessoas com menos educação e dinheiro, quando o critério é a posição social. Em Portugal existem perto de 100 mil doentes esquizofrénicos.@Calendário

vem criar a Tour Eiffel


O clube de francês vai dinamizar uma atividade intitulada "La Tour Eiffel", que consiste na decoração/realização em 3D de uma torre representativa de França ou uma imagem que inclua a torre.

Aqui se mostra a imagem da torre que deve ser recriada de acordo com a criatividade dos alunos.

Cada professor de francês fornecerá aos alunos a cópia da torre e recolherá os trabalhos até ao dia 16 de novembro.

Serão selecionados e premiados os três melhores trabalhos.

Não esqueçam, falem com os vossos professores de francês.

caminhada matemática



Caminhada + Ar livre + Matemática + Tecnologia  = MathCityMap  (https://mathcitymap.eu/pt/

O Programa Erasmus+ é o programa da União Europeia para a educação, formação, juventude e desporto. O Erasmus+ volta a celebrar a mobilidade internacional e a cidadania europeia durante os #ErasmusDays, de 10 a 12 de outubro de 2019 (https://www.erasmusdays.eu). Em 2018, foram realizados 1435 eventos em 39 países!

Estás pronto para participar e, connosco, fazer ainda melhor este ano?

O Projeto MoMaTrE (Mobile Math Trails in Europe) existe desde 2017 e reúne organizações de vários países europeus (Alemanha, Eslováquia, Espanha, França e Portugal) que cooperam no desenvolvimento, divulgação e propagação da APP MathCityMap (https://mathcitymap.eu/pt/), que permite qualquer um de nós fazer um trilho matemático ao ar livre, usando o nosso smartphone. O P.Porto - Instituto Superior de Engenharia é um dos parceiros que integra este projeto.

No dia 12 de outubro, sábado, o Porto, Santander (Espanha), Lyon (França), Frankfurt (Alemanha) e Nitra (Eslováquia) organizarão um evento em simultâneo: vamos todos percorrer um trilho matemático na nossa cidade!

Aparece na entrada principal dos Jardins do Palácio de Cristal. Traz os teus irmãos, amigos, pais, toda a família para, em conjunto, percorrerem um trilho matemático usando um dos vossos smartphones.

O quê: Erasmus DAY | Mobile Math Trails in Europe
Quem: estudantes, professores, famílias e turistas
Onde: Jardins do Palácio de Cristal
Quando: Sábado, 12 de outubro, 10h - 12h
Porquê: "Changing lives, opening minds."

Organização: Docentes do Departamento de Matemática do Instituto Superior de Engenharia, P.Porto, e membros do projeto MoMaTrE.

quarta-feira, 9 de outubro de 2019

2ª edição do Festival de Teatro dos Fontineiros da Maia

      Preparem-se para a 2ª edição do Festival de Teatro dos Fontineiros da Maia. É só no dia 7 de dezembro de 2019, mas os bilhetes estarão à venda a partir de 14 de outubro. É uma CEN'ARTE!


Vamos Imaginar?


A Biblioteca Escolar está a promover um Concurso Literário - Vamos imaginar? - destinado a todos os alunos da Escola Básica e Secundária de Águas Santas, do 5º ao 12º ano.


Os participantes devem entregar os seus trabalhos, na Biblioteca Escolar, até ao dia 9 de dezembro.


Acede ao blogue da biblioteca para consultares o regulamento do concurso. Clica aqui.

terça-feira, 8 de outubro de 2019

formação em tecnologia OutSystems


   
            Esta formação de duas semanas pode valer-lhe um emprego no ecossistema OutSystems.
     A OutSystems lançou a Low-Code School, tendo como objetivo capacitar novos profissionais para entrarem no ecossistema OutSystems. Até ao final do ano, o objetivo é formar mais de 100 novos profissionais na tecnologia low-code. 
         A Low-Code School consiste numa formação de duas semanas em tecnologia OutSystems, com acesso gratuito a exame de certificação profissional e a oportunidade de uma proposta de emprego numa empresa parceira do ecossistema OutSystems.
      Com o lançamento deste programa estão previstas cinco edições, em regime integral e pós-laboral, nas cidades de Lisboa, Braga e Castelo Branco. Os cursos, gratuitos, estão disponíveis para estudantes finalistas e/ou recém-formados de cursos profissionais (na área de Ciências Informáticas), bem como para programadores com mínimo de três anos de experiência profissional em linguagens de programação web ou mobile.
       A primeira edição vai decorrer nas instalações da OutSystems, em Linda-a-Velha, de 21 de outubro a 4 de novembro, em horário pós-laboral. Os candidatos deverão apresentar a sua candidatura através da página do programa  até ao próximo dia 14 de outubro.
       As próximas edições pós-laboral para profissionais vão ter lugar em Braga e em Castelo Branco, de 11 a 25 de novembro e de 2 a 16 de dezembro, respetivamente.
      A tecnologia OutSystems é utilizada por mais de 1000 empresas em 52 países em todo o mundo, suportada por uma rede de 250 parceiros.
       A procura de profissionais com certificação técnica em OutSystems tem vindo a crescer de forma sustentada e é expectável que venha mesmo a duplicar no próximo ano.
     Atualmente em Portugal e Europa existem mais de 600 vagas que procuram profissionais com certificação nesta tecnologia low-code. (adaptado de sapo)


segunda-feira, 7 de outubro de 2019

a propósito do Dia do Professor

O Dia do Professor comemorou-se a 5 de outubro. Hoje, o CRESCER quer apenas apresentar um pensamento interessante.

     


 “A função mais importante da educação, em qualquer grau, é desenvolver a personalidade do indivíduo e o significado da sua vida para ele mesmo e para os outros”.  Grayson Kirk’s (1903-1997)




   Parabéns, professores!

visita ao "Centro de Valorização do Burro de Miranda"





Fomos felizes no planalto mirandês, onde passamos o dia 4 de Outubro de 2019 para visitarmos a nossa afilhada Hera. A AEPGA (Associação para o Estudo e Proteção do Gado Asinino) recebeu-nos com carinho e amizade para conhecermos o Centro de Valorização do Burro de Miranda e a Hera, que está de esperanças e terá uma segunda cria em maio do próximo ano. A primeira foi a Noa, que nasceu em setembro de 2017. Obrigado à Cláudia Costa e a toda a equipa da AEPGA por nos proporcionar estes momentos de proximidade com os Burros mais dóceis e meigos do mundo.

Neste Dia Mundial do Animal e Dia Internacional do Burro, não podíamos desejar melhor maneira de sentirmos a alegria de estarmos juntos.
A seguir ao piquenique, visitamos ainda a Tonnellerie José Manuel Gonçalves, na aldeia de Palaçoulo, e agradecemos a amabilidade e carinho com que a Sara Gonçalves nos recebeu e acompanhou.
A todos os alunos que tornaram possível este dia, um imenso obrigado pelo interesse e atenção. Para os Professore(a)s Carla Avelino, Cláudia Brito, António Lopes e Sérgio Mendes, que nos acompanharam com alegria, um abraço de gratidão e amizade, pois a viagem mais importante que podemos fazer na vida é encontrar pessoas pelo caminho. Bem hajam!   

A pedido do professor Eleutério, aqui fica o link para poderem aceder a um vídeo, já com dois anos, do encontro com a afilhada Hera: https://youtu.be/0yIUKuIga9k                                                                                                                                                                cortesia de Eleutério Gomes (texto, fotos e vídeo)                       



sexta-feira, 4 de outubro de 2019

querem pertencer ao ARTaholics?


(imagem da net, sem o "a")


ARTaholics - Atividade para alunos do 3º ciclo e Secundário

Se gostas de dançar, cantar, representar e de te expressar na língua inglesa, então não podes perder esta oportunidade única de te inscreveres no grupo “Artaholics”, na nossa escola.

ARTaholics – Dance and Drama - vai começar já no dia 17 de outubro, todas as quintas-feiras, das 18:30 às 19:30, no Auditório da escola.

Entretanto, inscreve-te junto da tua professora de inglês, para passares a pertencer a este projeto artístico bem divertido.

Anda daí! Liberta-te!


(Texto editado)

projeto JI Moutidos a viajar pelo mundo


Descrição

Projeto lúdico com tema central e transversal à esmagadora maioria das atividades realizadas na AAAF do JI de Moutidos durante o ano letivo de 2019/2020 e que terá como pilar as bases do LUDI+.

 Objetivos

Sensibilizar as crianças para a existência de um mundo uno, valorizando o contacto pessoal e afetivo entre os seres humanos e as famílias. Fomentar a tolerância e o respeito em relação a outras culturas, tradições, costumes e origens, bem como em relação à Natureza no sentido lato do termo.

Dar a conhecer as inúmeras maneiras de estar dos mais diversos povos do planeta e demonstrar que TODOS nós fazemos parte deste mesmo mundo e devemos cuidar da saúde do nosso planeta e respeitar e conviver democraticamente com as mais diversas opiniões. Aproveitar a já presente diversidade cultural da nossa escola, fazendo com que as próprias crianças e os pais possam transmitir às outras crianças as mais diversas experiências de vida que trazem consigo.

O objetivo maior é trabalhar as duas questões tão presentes nos dias de hoje: a intolerância cultural e a degradação de recursos do nosso planeta globalizado. É preciso cuidar para que a geração futura tenha respostas mais assertivas e democráticas para estes problemas e que possa potencializar, de facto, toda a diversidade de culturas que possuímos.

Desenvolvimento

Todo o projeto estará inserido nas atividades propostas pelos Animadores, nomeadamente nas competências do projeto mãe LUDI+ (PlenaMente, Play English, Faz & Conta, Sons & Sentidos e Cria & Explora).

Desta forma o tema aparecerá nas mais variadas vertentes e em atividades como o Teatro, o Jornal da Tarde, a Expressão Plástica, a Culinária, a Música, a Ecologia, o Relaxamento, etc.

Público-alvo

Cerca de 45 crianças que frequentam o Prolongamento do JI de Moutidos.

Responsáveis pelo projeto

Estela Maia e Ricardo Mazzei com a colaboração de toda a comunidade escolar.

Parcerias

Câmara Municipal da Maia, Agrupamento de Escolas de Águas Santas, ASSOPAIS Moutidos e outras entidades que serão ainda contactadas consoante a pertinência em determinadas iniciativas.

Duração

De outubro de 2019 a junho de 2020.

Divulgação

As atividades serão divulgadas nos canais habituais: Jornal da Tarde, Portal da Educação da Câmara da Maia, Jornal CRESCER do Agrupamento de Escolas de Águas Santas e através da lista de e-mails da AAAF JI Moutidos.


cortesia de Ricardo Mazzei

quinta-feira, 3 de outubro de 2019

foi assim o Dia Mundial do Turismo






Na passada sexta-feira, dia 27 de setembro, celebrou-se o Dia Mundial do Turismo. Para comemorar este dia, foi realizada uma palestra no auditório da escola-sede, com a presença de vários alunos de diferentes cursos, onde se abordou o tema deste ano: “Turismo e emprego: um futuro melhor para todos.”
       Estiveram presentes os oradores, Dr. Paulo Ramalho, Vereador do Desenvolvimento Económico e das Relações Internacionais da Câmara Municipal da Maia, e a Dr.ª Andreia Azevedo, blogger de viagens, profissional em software hoteleiro, bem como a Diretora do Turismo da Maia, Dr.ª Sandra Campos e o Dr. Mário Aguiar.
      Inicialmente, o Dr. Paulo Ramalho começou por mostrar a importância do turismo na economia portuguesa, tendo este setor dado um grande contributo para o PIB nacional. Referiu também que a Maia tem tido um papel de destaque, tendo passado no Aeroporto Francisco Sá Carneiro, em 2018, mais de 11 milhões de pessoas. Mostrou igualmente o potencial turístico da cidade da Maia, referindo os vários locais que podem ser visitados e as várias atividades que podem ser realizadas, bem como a influência do turismo na economia local. Realçou ainda o papel fundamental que as tecnologias têm hoje em dia, assunto que foi também abordado pela oradora que se seguiu.
       A Dra. Andreia Azevedo começou por falar sobre o seu percurso profissional na área do turismo, ou seja, o curso que tirou, a razão da sua escolha e as diversas empresas hoteleiras por onde passou após ter concluído a sua formação académica. 
      Partilhou com o público a experiência que teve enquanto rececionista de hotel e falou sobre o esforço necessário para conseguir progredir na carreira. Não tendo ficado por aqui, também mencionou a sua paixão pelo mundo digital, o que a levou a explorar esta área ligada às redes sociais, tendo criado o seu próprio Blog, inicialmente ligado exclusivamente ao turismo e, mais tarde, às categorias de viagens e lifestyle. 
      Atualmente, deixou de parte o contacto com o público, pois tem-se dedicado a aprender mais sobre o funcionamento e gestão de empresas hoteleiras. Nesse sentido, terminou a sua intervenção com um incentivo ao auditório ao afirmar que devemos sempre acreditar nas nossas capacidades, nunca nos darmos por satisfeitos e procurarmos sempre a inovação.

                                                                                   cortesia de Helena Vieira e Mafalda Brás (texto) e Bianca Mendes (fotos)





Projeto "Recreio com Arte"


   
Recreio com ARTE”      

Geração EB  de                                     Moutidos


Este projeto (criado no ano letivo 2017/2018) tem como objetivo dinamizar o recreio do almoço da EB de Moutidos com atividades lúdicas/artísticas, proporcionando assim experiências nas áreas da poesia/expressão dramática, do jornalismo e da banda desenhada. Cada dia da semana é dedicado a uma das oito turmas da escola e para o efeito foi já elaborado o calendário do ano letivo 2019/2020.

A terceira geração do projeto arrancou no dia 01 de outubro com a oferta a cerca de 200 alunos.

A ASSOPAIS através de solicitação do próprio projeto assegurou todo o material de desgaste necessário para a sua realização durante este ano letivo.
Valências

a)    Jornal Moutidos NEWS (em papel e em pdf)

a.1)  Objetivos:

. Desenvolver ao longo dos encontros matérias jornalísticas ligadas à escola;
Proporcionar o intercâmbio entre as mais variadas turmas, professores e funcionários da EB de Moutidos;
. Capacitar os alunos para que sejam eles próprios os responsáveis pela escolha das matérias desenvolvidas, bem como pelas fotografias que ilustrarão o jornal.
a.2)  Metas: Publicação Mensal em formato de papel e em formato pdf (distribuído e enviado por e-mail à toda a comunidade escolar)
OBS: Para a participação nesta atividade foi necessária uma autorização do encarregado de educação para o aluno poder ser fotografado;

b)    Academia da Poesia/Expressão Dramática

b.1)  Objetivos:

. Introduzir conceitos básicos de poesia;
. Explorar a criatividade e a sensibilidade dos alunos
. Incentivar o espírito crítico dos alunos através de pequenos vídeos, imagens, músicas e debates que despertem temas para o material poético;
. Introduzir conceitos de Expressão Dramática;
. “O corpo e as mãos que falam”: jogos teatrais.
b.2)   Metas: Algumas poesias produzidas no âmbito desta oficina serão publicadas no Jornal Moutidos NEWS. No final do ano letivo poderá haver um recital de poesias dramatizadas em local apropriado, caso a atividade propicie a criação deste espetáculo. Se houver o apoio necessário poderá ser lançado no final do ano letivo um pequeno livro com as poesias dos alunos.
 c)    Clube da Banda Desenhada
c.1)  Objetivos:
. Despertar o gosto pela Banda Desenhada;
. Incentivar a criatividade;
. Aprofundar técnicas de texto para a elaboração de enredos neste formato;
Fomentar a criatividade artística na elaboração dos desenhos.
b.2) Metas: Algumas “tirinhas” criadas durante o projeto abastecerão o Jornal Moutidos NEWS. Dependendo da adesão a esta oficina a mesma poderá ter uma exposição no final do ano letivo em conjunto com o recital de poesia dramatizado.

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO: De 2ª à 6ª das 13h às 13:45 (exceto nas pausas letivas e no mês de julho) na própria sala de aula dos alunos. A partir da reabertura da Escola funcionará em uma sala própria a ser designada pela coordenação.


Responsável pelas Oficinas: Ricardo Mazzei