Número total de visualizações de página

segunda-feira, 8 de junho de 2020

sustentabilidade alimentar - rótulos à lupa

No âmbito dos trabalhos sobre Educação em Sustentabilidade alimentar, os alunos do 11º B e a professora de Biologia e Geologia elaboraram este documento deveras importante para toda a Comunidade Educativa.


SUSTENTABILIDADE ALIMENTAR – RÓTULOS À LUPA

“Dentro de algumas décadas, a relação entre o ambiente, os recursos e os conflitos será tão óbvia como a ligação que vemos agora entre os direitos humanos, a democracia e a paz” - Wangari Maathai, 2004


Ao longo do dia, o Homem ingere bastantes refeições, compostas pelos mais diversos e variados produtos e alimentos da sociedade contemporânea. A verdade é que essa alimentação está a deteriorar não só a nossa saúde, como o nosso planeta.
Algo a ter em consideração é o rótulo dos produtos, que nos informam das suas origens, da sua composição, dos seus benefícios e/ou malefícios para a saúde, das suas condições de conservação e do seu grau ecológico.



Relativamente à origem, os produtos produzidos a nível regional e sazonal têm uma cadeia de distribuição mais curta, o que pressupõe menor impacto ambiental. No entanto, muitas vezes não é possível determinar a origem do produto, pelo facto de não ter sido produzido integralmente num país (a matéria prima pode ser oriunda de um país, mas o seu processamento e/ou embalamento ser realizado noutro).
É do interesse comum saber o que se está a consumir. A lista de ingredientes permite saber, por ordem de quantidade, os ingredientes que o produto contém. Do ponto de vista de sustentabilidade, permite saber se contém ingredientes saudáveis (uma vez que a alimentação sustentável requer que seja uma alimentação saudável).
A marca de salubridade, presente em produtos animais, identifica o país, a empresa produtora e confere o reconhecimento do produto sobre as normas europeias.
Em produtos biológicos existe por vezes um logótipo da UE. Este logótipo dá-nos a garantia que o produto cumpriu rigorosas exigências relativas à ecologia até chegar ao consumidor final. Um exemplo é a necessidade de conter no mínimo 95% de ingredientes biológicos. Este logótipo é crucial para apoiarmos uma agricultura que seja o mais natural e saudável possível para as populações.



O ponto verde, quando presente, garante que o fabricante, distribuidor ou embalador contribuiu financeiramente, para que as embalagens sejam recolhidas no intuito de serem recicladas ou incineradas. Este método é amigo do ambiente, pois diminui a poluição.


Uma alimentação, para além de sustentável, deve ser saudável. Deste modo, a declaração nutricional permite verificar o valor energético e os nutrientes do produto alimentar, permitindo verificar o seu principal impacto na saúde. É importante que a leitura da declaração nutricional do produto seja complementada com a informação presente na lista de ingredientes e contextualizado na alimentação geral do indivíduo.


A data limite de consumo e data de durabilidade, embora não seja um indicador imediato de sustentabilidade do alimento, quando não é analisada adequada e atentamente, pode conduzir a desperdício alimentar por ultrapassar a data prevista para o consumo, contribuindo para os resíduos urbanos gerados. É importante ter em conta a menção de validade do produto.
Produtos com a menção consumir até, significa que a data exposta corresponde à data limite de consumo seguro, caso sejam cumpridas as indicações de armazenamento presentes no rótulo. Produtos com a menção consumir de preferência antes de significa que a data exposta corresponde à data de durabilidade mínima de consumo para garantir a qualidade ideal do produto, podendo os alimentos ser consumidos após essa data, caso mantenham a sua integridade organoléptica (odor, cor, textura,…)
Assim, podemos concluir que o rótulo é uma ferramenta crucial no que toca à saúde pública e ao ambiente. Através das informações presentes nos rótulos podemos fazer escolhas alimentares mais sustentáveis.

Adaptado de: RIBEIRO, JOANA e outros, (2019) Sustentabilizar o futuro através da alimentação, Projeto de Educação para a sustentabilidade alimentar, Associação Portuguesa de Nutrição, Santillana, Porto
                                                                                                                           Alunos do 11º B, turno 2
Professora de Biologia e Geologia

Sem comentários: