Número total de visualizações de página

quarta-feira, 3 de junho de 2020

sensibilização e informação sobre Sustentabilidade Alimentar


No seguimento da visualização de um documentário, SustainablEating,  produzido pela academia espanhola de Dietistas-nutricionistas em colaboração com a Confederação Internacional das Associações de Dietética, o Conselho geral de dietistas de Espanha a Fundação MAPFRE e à qual se aliou a Sociedade Portuguesa de Nutrição traduzindo o documentário, que o reconheceu como uma importante ferramenta de Educação em Sustentabilidade alimentar, os alunos do 11ºD e a professora de Biologia e Geologia elaboraram este documento deveras importante para a Comunidade Educativa.

Veja o teaser do documentário e leia, depois, a sensibilização.

De modo a melhorar o futuro do planeta, tornando-o mais verde e limpo a Organização das Nações Unidas lançou a Agenda para o Desenvolvimento Sustentável até 2030.
Foram definidos 17 objetivos, que pretendem impulsionar e restituir um planeta mais saudável às gerações futuras.
Uma dieta sustentável tem baixo impacto ambiental e contribui para a segurança alimentar e nutricional da população, assim como para o seu estado de saúde, tanto no presente como no futuro (definição da FAO, 2015)).
FACTOS E NÚMEROS:
Em 2050 a população será superior a 9 biliões e, como tal, será necessário produzir mais 60% de alimentos;
A população mundial gasta o equivalente a 1,6 planetas. Caso a sociedade continue a registar este ritmo de consumo, até 2030 terá sido gasto o equivalente a 2 planetas Terra;
Cerca do 1/3 dos alimentos produzidos não é consumido, o que corresponde a 1,3 biliões de toneladas por ano;
São produzidas 263 milhões de toneladas de carne no mundo, sendo 20% desta carne desperdiçada;
Há 900 milhões de pessoas que passam fome em todo o mundo e 1,9 milhões sofrem de excesso de peso;
Mais de 3,5 milhões de portugueses (34%) consomem mais de 100gr de carne por dia e consomem menos produtos de origem vegetal;
São necessários 2000 a 5000 litros de água, para produzir alimentos consumidos diariamente, por pessoa, sendo as reservas de água doce esgotáveis e não chegando a 700 milhões de pessoas no mundo;
As perdas alimentares correspondem a gastos de recursos (água e energia,…) e o desperdício alimentar são responsáveis pela emissão de 8% de gases com efeito de estufa;
,
Alimentar o futuro, uma reflexão sobre sustentabilidade alimentar, Associação Portuguesa de Nutrição

 Pequenas coisas que posso realizar no dia-a-dia para diminuir as sobras e desperdícios alimentares tendo uma alimentação saudável e sustentável
·       Reaproveitar as sobras de outras refeições;
·       Reduzir o desperdício na preparação e confecção de alimentos;
·   Atentar à data de validade dos produtos e acondicionar na zona frontal do frigorífico os alimentos com a data de fim de validade mais próxima:
·       Realizar uma lista de compras e adquirir apenas os alimentos que se vão consumir;
·   Confecionar apenas as porções definidas para cada refeição, conforme o perfil e nº de utilizadores;
·       Descongelar apenas a quantidade necessária de alimentos, já que uma vez descongelados não devem voltar a ser congelados;
·   Utilizar utensílios adequados para preparar e servir refeições, por exemplo descascador, colheres doseadoras, …;
·    

    Cinco recomendações para uma alimentação mais saudável e sustentável;
Compra produtos locais sempre que possível;
Prefere alimentos frescos, locais e da época;
Tem uma alimentação mediterrânica;
Repensa, reduz, reutiliza e recicla;
Ajuda a promover uma alimentação saudável.
                                             ENVOLVE-TE
Se queres comer de forma mais sustentável, poderás começar agora mesmo, não é difícil. Come menos, COME MAIS PRODUTOS DE ORIGEM VEGETAL e menos carne e, se comeres produtos de origem vegetal, tenta que sejam da época. Desperdiça menos.
Suzan Tuinier, dietista-nutricionista

Alunos do 11º D
Professora de Biologia e Geologia

1 comentário:

Aurélia disse...

Parabéns aos meus alunos do 11ºD e à colega de Biologia pela iniciativa que tiveram ao publicar este artigo.