Número total de visualizações de página

quinta-feira, 13 de dezembro de 2018

o QCENA foi convidado a ir ao Teatro Rivoli


Workshop com Seppe Baeyens
(no âmbito do Foco Famílias)

Uma dúzia de elementos do Clube de Teatro QCENA foram convidados pelo Teatro Municipal Rivoli a participar no Workshop de Dança Let's dance!
É hoje e participam alunos, pais e professores.
É disto que a gente gosta!

Neste workshop, os participantes poderão ter uma pequena experiência relacionada com a dança contemporânea juntamente com um grupo intergeracional de participantes; poderão explorar os possíveis significados de partilha de espaço, fazendo uma conexão e usando a dança para se relacionar com os outros.


Este workshop pretende dar algumas noções de como olhar para a dança e fazer a sua interpretação.

                                                                                                                cortesia de Amélia Lopes



os nossos pavilhões natalícios

Faltam dois dias para os nossos alunos irem para casa ajudar a fazer os enfeites natalícios. Por cá já houve muitas mãos a trabalhar no sentido de nos darem o prazer de sentir o Natal enquanto ainda estamos a aprender. 
Bem hajam por isso!

Veja-se o A3:





Agora o A2:


E, por fim, o A1:


os nossos tetos e as nossas paredes

Não vale passar pelos corredores e ficar indiferente. Há que parar e observar. Que bonito!!!






jogos de Natal promovidos por EMRC





Nesta quarta-feira, dia 12 de dezembro, decorreram atividades dinamizadas pela disciplina de EMRC, para os alunos do 2º Ciclo, no âmbito da celebração do Natal.




Foram organizadas atividades nas quais estes alunos foram avaliados pelo seu comportamento e pela sua pontuação. 



Os monitores foram os alunos de EMRC do  3º ciclo e do secundário.


Foi bonito de ver grandes e pequenos em tão divertida tarefa!


Henrique Madureira e Sofia Cardoso

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

terça-feira, 11 de dezembro de 2018

os melhores alunos não querem ser professores!

Em Portugal, são os piores alunos que querem ser professores, ao contrário do que acontece na Finlândia, por exemplo. O que é que podemos fazer para mudar isto? Ensaio de Alexandre Homem Cristo.

     Ser professor é moldar o futuro, formar cidadãos, inspirar jovens a serem adultos que fazem a diferença pela positiva. Haverá quem veja nesta formulação um certo romantismo. Mas não vale a pena resistir: há profissões que são realmente diferentes e que, pelo impacto que provocam nas vidas dos outros, contêm uma certa grandeza intrínseca. Professor é uma dessas profissões. Porque é aos professores a quem se confia a missão de formar as gerações mais novas e as que moldarão o futuro da nossa sociedade. Porque é a eles que se entrega a formação escolar dos nossos filhos. Porque são eles os primeiros detentores (e transmissores) do conhecimento. Porque, na organização de uma sociedade, tudo isto lhes atribui um papel crucial e indispensável. E, no entanto, esta concepção choca de frente com a realidade portuguesa, na qual os professores se dizem pouco reconhecidos e se queixam de falta de prestígio social. Ora, este desfasamento não começou ontem, tem-se acentuado e soa alto como um sinal de alarme. Dito de modo directo: já não dá para fugir ao tema, é mesmo urgente discutir a situação dos professores.
(...)
Quem escolhe os cursos de educação?
     Se alguém perguntar quais os cursos no ensino superior em que é mais difícil obter vaga, a resposta é mais ou menos conhecida por todos – Medicina, Matemática, alguns cursos de Engenharia, alguns cursos de Direito. Como tal, a classificação das notas de entrada nos cursos por áreas de estudo, representada na figura 1, não surpreende ninguém. Quem ambicionar ir para as Engenharias, para Saúde, para Veterinária ou para Direito só tem um remédio: estudar, estudar, estudar para ter notas competitivas, pois são essas as áreas de estudo com as médias mais altas. Só os melhores alunos do secundário conseguem entrar nestes cursos do ensino superior.
     Ora, se toda a gente sabe onde se classificam os cursos das áreas das Engenharias ou da Saúde, nem toda a gente sabe onde se posicionam na tabela os cursos de via ensino, que formam professores. E, para os encontrar, basta desviar o olhar para o fundo da tabela na figura 1. Os cursos de formação de professores são, na classificação das notas de entrada por áreas de estudo, os segundos a contar do fim – pior só a área de Serviço Social. Ou seja, a área de formação de professores é das menos competitivas e onde é menos difícil obter vaga no contexto do ensino superior. O que, traduzindo, quer dizer algo muito simples: os dados mostram que, em Portugal, entre os alunos que vão para o ensino superior, não só os melhores não desejam ser professores, como são por vezes os mais fracos que saem do secundário que escolhem os cursos via ensino.
     A leitura correcta dos dados solicita uma nota de esclarecimento suplementar: dizer que quem vai para os cursos de ensino são os alunos medianos/ fracos não equivale a afirmar que estes jovens e futuros professores não poderão vir a tornar-se profissionais de excelência. Nem as estatísticas são formas de determinismo, nem existe uma relação directa e provada entre ter boas notas na escola e ser-se bom a exercer uma profissão. O ponto aqui é que, como em todas as análises estatísticas que se guiam por valores médios, este diagnóstico apanha o perfil padrão de quem vai para os cursos de ensino – cujo ofício é ensinar e, por isso, que exigem uma sólida aquisição de conhecimentos. Assim, na prática, tudo isto quer dizer que, embora as notas de entrada nos cursos não sejam tudo o que importa, é parte muito importante da ponderação, porque nos informa tremendamente acerca do perfil dos jovens que querem ser professores. E só isso justifica que o tema seja abordado de forma frontal.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

a Declaração Universal dos Direitos Humanos faz hoje 70 anos

No vídeo que se segue assista a um pouco da história  deste dia. 
O CRESCER apela à comemoração.

A Declaração Universal dos Direitos Humanos (DUDH) é um documento marco na história dos direitos humanos. Elaborada por representantes de diferentes origens jurídicas e culturais de todas as regiões do mundo, a Declaração foi proclamada pela Assembleia Geral das Nações Unidas em Paris, em 10 de Dezembro de 1948, através da Resolução 217 A (III) da Assembleia Geral como uma norma comum a ser alcançada por todos os povos e nações. Ela estabelece, pela primeira vez, a proteção universal dos direitos humanos. @ documentos ONU

sexta-feira, 7 de dezembro de 2018

a Feirinha de Natal pelos olhos do Pedro

O nosso fotógrafo fez chegar o seu trabalho fotográfico que ontem, por razões de ordem técnica, não conseguimos publicar.
É a Feirinha de Natal pelos olhos do Pedro Pinheiro.

















"venham, venham" e "vejam, vejam"

Feirinha de Natal foi um sucesso! Não era de esperar outra coisa. A organização foi muito eficiente e eficaz e os artesãos eram verdadeiros artistas. 
Que sorte a nossa ter uma feirinha assim! Para o ano há mais.











quinta-feira, 6 de dezembro de 2018

venham até à Feirinha de Natal!


A já tradicional Feirinha de Natal, que decorre nos dias 6 e 7 de dezembro na escola sede do Agrupamento, oferece uma enorme variedade de produtos artesanais.  


Desde artefactos em barro, bijouterie, pão caseiro, compotas, produtos hortícolas, fruta, queijos, telas, e objetos de adorno, há de tudo um pouco.


Venham! Venham!


Amanhã há mais. Tragam uns euritos e aproveitem para fazer as compras de Natal sem sair de "casa".



(A notícia será atualizada com imagens, assim que os nossos repórteres as façam chegar à redação.)

Hour of Code


A Escola Secundária de Águas Santas está a festejar o  evento mundial Hour of Code.
Durante dois dias, os alunos do 9.º ano são convidados pelos alunos  do curso de Informática de 10.º ano e de 12.º a fazer uma das coisas que mais gostam: programar. Os alunos de Informática ensinam a trabalhar num website bastante fácil de se utilizar, com base em peças de comandos que, no final, executam uma tarefa.

10.ºJ

quarta-feira, 5 de dezembro de 2018

a mesa já está posta!

O galo do Clube de Francês que se cuide, pois a mesa de Natal já está posta pelos alunos do 10º F, na disciplina de Desenho, ali bem pertinho.

onde está o galo?


Pois ele, o galo, ou melhor, "Le Coq", anda pelo corredor principal da escola. Aliás, não um "coq", mas muitos. E isto acontece porque foram muitos os alunos do Básico que aderiram a esta ideia do Clube de Francês, de decorar o galo, símbolo da França.
1º prémio

da esquerda para a direita 2º e 3º prémio
Todos os galos são bem curiosos, porém houve necessidade de destacar três como os melhores.
Parabéns a todos pela participação e pela criatividade!