Número total de visualizações de página

sexta-feira, 21 de Novembro de 2014

10 eventos a não perder no Porto

Este fim de semana o Porto vai mexer, com eventos para todos. Saiba o que poderá ver nesta informação do Webook.
1. Urban Market À-Porter

Hard Club
A edição deste fim-de-semana do Urban Market  Urban Market À-Porter - apoia a campanha “Despir o Preconceito, Ter Cancro não é ser Cancro”. Para sábado e domingo, no Hard Club, estão programados workshops de imagem & make up, desfile e palestras.
2. Mercado do Vinho - CANCELADO
Cedofeita

Mais de 100 artesãos e vendedores de artigos vintage e restauração estarão em Cedofeita, neste sábado, para o Mercado do Vinho. Este evento contará, ainda, com a presença de produtores de vinho verde e provas de vinho.
3. Mercadinho dos Príncipes 

Fundação Dr. António Cupertino de Miranda
No domingo, entre as 10h e as 19h, há Mercadinho dos Príncipes, cujas receitas revertem para a Associação Bagos D`Ouro. Neste mercado pode encontrar e comprar vestuário e acessórios infantis, com a temática do Natal já incluída.
4. Mercado Porto Belo & Portobelo Moda
Praça Carlos Alberto
Mercado Porto Belo está de novo na Praça Carlos Alberto. A edição deste sábado (10h – 17h) é especial por incluir o Portobelo Moda, uma secção direccionada a estilistas e designers de moda.
5. Porto Antistress

Parque Oriental da Cidade do Porto
Pode optar, também, por uma manhã de domingo desportiva, no Porto Antistress. A caminhada será realizada no Parque Oriental da Cidade do Porto, em Campanhã, e começará às 10h.
6. Fórum do Futuro 2014
Teatro Municipal Rivoli, Casa da Música, Museu de Serralves e Teatro Nacional S. João
Organizado pela CM Porto, em colaboração com outras entidades da cidade, surge o Fórum do Futuro 2014. Neste evento serão debatidos importantes desafios que o Futuro coloca a diferentes áreas da ciência, das humanidades e das artes. Consulte a programação aqui.
7. GAS Music 
Passos Manuel
No sábado à noite o Passos Manuel recebe o GAS Music, evento de cariz solidário organizado pelo GAS Porto. A partir das 22h, há concertos de PZ (live act) e Serushiô e uma after-party com os Dj Sets de André Tentugal e Carlos Vieira.
8. Atelier de Cozinha Sushi com Chef Bruno Cardoso
Península Boutique Center Praça do Bom Sucesso
Atelier de Cozinha Sushi, organizado pela WORK IT – espaço criativo, está agendado para o próximo domingo às 16h. O WORK IT dedica-se ao desenvolvimento de ateliers e workshops intensivos, com foco na culinária. Veja abaixo outros eventos marcados para este fim-de-semana.
9. Famílias em Serralves

Fundação Serralves
Serralves dedica este domingo à exploração do “musgo”, um “dos primeiros organismos a colonizar áreas desprovidas de vida”, com uma oficina às 10h (até às 13h) e um percurso pelos Jardins da Fundação às 11h.
10. Pratos com Histórias
Mercado Bom Sucesso
Neste sábado (17h30), mais uma sessão de Pratos com Histórias no Mercado Bom Sucesso. Saphir Cristal estará no Mercado de Frescos com a história “A princesa Baixinha”, de Beatrice Masini e Octavia Monaco.
É só escolher e... ir.
Bom fim de semana!

quinta-feira, 20 de Novembro de 2014

um fenómeno em expansão: o cyberbullying

Um trabalho de investigação da Universidade de Aveiro (UA), divulgado nesta quarta-feira, conclui que estão a aumentar as ameaças através da Internet entre colegas de escola, para evitarem sanções disciplinares, num fenómeno em expansão, o chamado cyberbullying.
 
"Este é um problema que diz respeito a toda a sociedade e não apenas às escolas", aponta José Ilídio Sá, autor da tese de doutoramento "Bullying nas Escolas: Prevenção e Intervenção", realizada no Departamento de Educação da UA, que durante um ano lectivo estudou o comportamento de alunos de uma escola secundária de Espinho.
"O cyberbullying traduz inquestionavelmente uma forma mais complexa de bullying. Em muitos casos, surge como a continuação do bullying presencial, mas noutras situações desponta como o "espaço predilecto do agressor", explica o investigador.
O anonimato ou a falsa identidade do ofensor, a enorme quantidade de observadores presentes, a velocidade "viral" de propagação das ofensas, agressões e humilhações, são factores que levam os agressores a fazer essa escolha.
Para a executar, dispõem hoje de variados meios ao seu dispor, como 'smartphones' com câmara fotográficas e de vídeo, tablets, numerosos postos com computadores disponíveis e facilidade de acesso à Internet.
"É uma nova forma de violência que amplia as consequências do bullying tradicional. A difusão de ameaças, difamações e violência psicológica através da Internet é um meio cada vez mais utilizado pelos jovens para ofender terceiros", retrata.
Segundo dados da investigação realizada numa escola secundária com o 3.º ciclo do Ensino Básico, que envolveu o estudo de duas turmas - uma do 7.º e outra do 10.º ano - 31% dos alunos admitiram conhecer um colega que já foi "gozado ou ameaçado na Internet" e 13% dos estudantes do 10º ano já foram ameaçados, pelo menos numa ocasião, no ciberespaço, sendo essa percentagem mais significativa (19%) no caso dos jovens dos cursos profissionais.
Outro "dado preocupante", apontado pelo estudo de José Ilídio Sá, diz respeito ao número significativo de jovens que admite desconhecer a identidade do seu agressor e que revelou não ter reportado a agressão de que foi alvo.
A pesquisa permitiu apurar, na óptica dos agredidos, que perto de 45% dos jovens vítimas de agressão admitiram não ter reportado o sucedido a uma terceira pessoa, tendo, por isso, "sofrido em silêncio de modo presumivelmente continuado e prolongado".
Os que optaram pela denúncia fizeram-no a um colega (42,6%) ou a um familiar (29,7% dos casos, sendo que 23,8% aos respectivos pais e 5,9% aos irmãos). "Note-se que apenas uma percentagem muito residual de jovens (13%) mencionou ter participado essa agressão a um adulto da escola", diz.
No caso concreto do bullying eletrónico, "a fronteira entre o espaço escolar e o exterior torna-se quase impossível de delimitar" e por isso, "a responsabilização do agressor, quer seja na vertente disciplinar ou na criminal, torna-se assim muito difícil de comprovar".
As famílias podem ter uma intervenção decisiva neste tipo de casos, "uma vez que um número significativo de situações de ciberagressão tem como palco o espaço do domicílio", para a vítima ou para o agressor.
"O papel das famílias assume particular relevância, designadamente no que diz respeito à vigilância e à monitorização dos padrões de uso e de consumo da Internet por parte dos jovens, e à definição de regras por parte dos pais", afirma.
Aconselham-se, por isso, os pais a estarem atentos e a definirem os tempos de utilização e dos conteúdos e a localização dos equipamentos, procurando inverter a "cultura do quarto" característica nessas faixas etárias. @ PÚBLICO

quarta-feira, 19 de Novembro de 2014

Parabéns, Carlos do Carmo!

No dia em que recebe o Grammy "Lifetime Achievement Award", Carlos do Carmo recebe a homenagem da Rádio Comercial . 35 artistas cantam "Lisboa Menina e Moça", um poema de José Carlos Ary dos Santos, Joaquim Pessoa e Fernando Tordo com música de Paulo de Carvalho, que se tornou um tema emblemático de Lisboa, do Fado e da carreira de Carlos do Carmo.
 


Quem canta o quê, nesta nova versão de Lisboa Menina e Moça:

No castelo, ponho um cotovelo - Cuca Roseta
Em Alfama, descanso o olhar - João Pedro Pais
E assim desfaz-se o novelo/De azul e mar - Miguel Ângelo
À ribeira encosto a cabeça - Marco Rodrigues
A almofada, na cama do Tejo - Héber Marques(HMB)
Com lençóis bordados à pressa - Luisa Sobral
Na cambraia de um beijo - Olavo Bilac
Lisboa menina e moça, menina - Boss AC
Da luz que meus olhos vêem tão pura - Mafalda Veiga
Teus seios são as colinas, varina - João Só
Pregão que me traz à porta, ternura - Rita Guerra
Cidade a ponto luz bordada - Paulo de Carvalho
Toalha à beira mar estendida - Rita Redshoes
Lisboa menina e moça, amada - Miguel Araújo
Cidade mulher da minha vida - Mikkel Solnado
No terreiro eu passo por ti - Carlão
Mas da graça eu vejo-te nua - Tiago Bettencourt
Quando um pombo te olha, sorri - David Fonseca
És mulher da rua - Pedro Tatanka (Black Mamba)
E no bairro mais alto do sonho - Ana Bacalhau
Ponho o fado que soube inventar - Marisa Liz
Aguardente de vida e medronho - Alexandra Valentim (Tambor)
Que me faz cantar - Nuno Guerreiro (Ala dos Namorados)
Lisboa menina e moça, menina - Camané
Da luz que meus olhos vêem tão pura - Carminho
Teus seios são as colinas, varina - Rui Reininho
Pregão que me traz à porta, ternura - Jorge Palma
Cidade a ponto luz bordada - Mafalda Arnauth
Toalha à beira mar estendida - Aurea
Lisboa menina e moça, amada - Paulo Gonzo
Cidade mulher da minha vida - Luís Represas
Lisboa no meu amor, deitada - Raquel Tavares
Cidade por minhas mãos despida - Miguel Gameiro
Lisboa Menina e Moça Amada- Mariza
Cidade mulher da nossa vida - Gil do Carmo

Instrumental por: Marco Rodrigues, Frederico Gato e Pedro Viana

"Gota a Gota" é a loja solidária do agrupamento

É com o maior prazer que vos anunciamos a inauguração, no próximo dia 25 de novembro (terça feira), da GOTA A GOTA, a Loja Solidária do Agrupamento de Escolas de Águas Santas.

GOTA A GOTA, pretende-se promover a prática de voluntariado e envolver neste esforço solidário todos os elementos da comunidade escolar (alunos, professores, pessoal administrativo e auxiliar, famílias e mecenas locais) através da recolha e venda de artigos de valor simbólico, revertendo todos os lucros obtidos este ano a favor de duas organizações que nos merecem o maior carinho e respeito: a Operação Nariz Vermelho e a Acreditar.

Enquanto espaço físico, a loja irá funcionar na sala contígua ao gabinete do SASE (antigo GAMD, no pavilhão A5, piso 0). Enquanto espaço de afetos, esperamos que funcione, em cada um de nós, como oportunidade de contribuir, GOTA A GOTA, para um mundo um bocadinho melhor.

Que contributos se aceitam…? TODOS! Pode ser tempo, para conseguirmos ter uma loja bonita e maximizar o período de abertura ao público no período compreendido entre as 12:00 horas e as 14:30 horas. Podem ser ideias de como angariar mais dinheiro. Pode ser um bordado, um arranjo floral, uma caixa decorada, uma bijuteria, um desenho, um frasco de compota caseira, um qualquer daqueles objetos novos com cuja criação muitos de nós ocupam criativamente os seus tempos livres (em troca, oferecemos publicidade). Podem ser criações dos alunos nas disciplinas da área das Expressões. Podem ser brinquedos, livros, roupa, quaisquer objetos usadospostos de lado ainda em bom estado. Pode ser a divulgação deste projeto, dar a conhecer a existência da nossa loja... e fazer lá algumas das suas compras. Prometemos não desperdiçar nenhuma GOTA!

A quem devem dirigir (preferencialmente) os vossos contributos? Quem puder dar algum tempo deve contactar a Olinda Fraga, responsável pela gestão dos recursos humanos. A gestão dos donativos de tipo material está a cargo da Mónica Freitas e do Toni Moreira. A Maria João Peres está encarregue dos contactos institucionais e gestão da loja (espaço físico / de vendas).

Queremos ajudar quem ajuda. GOTA A GOTA, todos juntos, podemos facilmente fazê-lo – ou não fossemos nós uma escola de muitas mãos e de muitos afetos…!

A equipa GOTA A GOTA
  

terça-feira, 18 de Novembro de 2014

curiosidade: gosta de café? leia uma boa notícia

Café, um bom inimigo da obesidade e capaz de prevenir outros problemas de saúde

Gosta de café? Mais uma boa notícia. De acordo com um estudo feito por investigadores norte-americanos, há um composto presente no café que pode ajudar a prevenir a obesidade e os seus efeitos secundários.
Em causa está o ácido clorogénico, que provou, em ratos de laboratório, ser um bom aliado para aquele problema de saúde. 
Os investigadores da Universidade da Geórgia colocaram os ratos sob um dieta com muitas gorduras, durante duas semanas. Depois, injetaram aquele ácido nos roedores, duas vezes por semana. Os resultados demonstraram que o ácido clorogénico foi um bom inimigo da gordura, já que os roedores sujeitos à injeção do composto do café apresentaram níveis de peso e de açúcar no sangue inferiores aos restantes. Por outro lado, os seus fígados estavam saudáveis. 
Este não é o primeiro estudo que associa o consumo de café ao combate a problemas de saúde, como as doenças cardiovasculares, ou a diabetes tipo 2.
Yongjie Ma, um dos autores da pesquisa, salienta, no entanto, que este estudo vai mais longe, porque “alarga esta investigação ao olhar para os benefícios associados com este composto específico, que existe em grande abundância no café”, realça, em declarações reproduzidas pela Visão.
Além do café, o ácido clorogénico em causa está presente noutros alimentos, desde frutos a vegetais. Trata-se de um antioxidante “poderoso”, capaz de reduzir as inflamações. E estas, em casos crónicos, estão na base de diversos problemas de saúde. @ PTJornal

segunda-feira, 17 de Novembro de 2014

“Escola com todos e por todos – 40 Anos d’Afetos, Sonhos e Projetos”

Chegou até ao CRESCER esta entrevista, feita pelos autores abaixo referenciados ao Diretor do nosso Agrupamento, e o CRESCER apresenta-a tal qual ela chegou às suas mãos. Os meninos são da turma CEI e as professoras responsáveis por eles são do Ensino Especial.

Há quantos anos é diretor da escola?
“Como diretor do agrupamento, há 5 anos. No entanto, há 29 anos que exerço cargos de gestão como presidente do Conselho Executivo. O interessante é que tem sido sempre nesta escola!”


Gosta de ser diretor desta escola?
“Se eu não gostasse muito, já tinha deixado de o ser há muito tempo. Ao longo destes 40 anos tem-se trabalhado muito e muito bem. Os pais gostam, os alunos gostam e os professores também… Quando os professores saem desta escola, saem com lágrimas nos olhos e com muita vontade de regressar.”


É difícil ser diretor desta escola?
"É de caras! É fácil porque há bom ambiente, amizade, temos muito bons professores e muitas atividades para os alunos. O Diretor tem muitas mãos direitas a ajudar nesta tarefa. A escola faz-se com   todos e por todos!”   


Na sua opinião, com quem é mais fácil trabalhar: com os professores mais antigos ou com os mais novos? 
“Há muitos professores a saírem prematuramente desta escola… É importante a transmissão de conhecimento e experiência dos mais velhos. A escola tem memória de 40 anos. Todos são importantes. A História é feita por todos!” 


Quais são os alunos que lhe dão mais trabalho? 
 “São os que se portam mal! Não é que sejam más pessoas…Há alunos que deram muito trabalho enquanto estiveram na escola e agora são boas pessoas e interventivas na sociedade. Foram bem “trabalhados” e fizeram-se Homens e Mulheres. Hoje, têm os seus filhos nesta escola.”



É professor de que disciplina?
“Eletrotecnia. A minha formação base é de Engenharia,  mas já lecionei disciplinas como Matemática e   Métodos Quantitativos. Sempre nesta escola.”


Tem tempo para se divertir? 
“Gosto muito de me divertir! Vou-me divertir até morrer!”


Quais são os seus passatempos preferidos? 
"Passear. Se eu pudesse passava a vida a passear! Também gosto de ir ao cinema, ao ginásio e fazer natação.”

Autores: Ana Pinto, Carlos Guimarães, Daniel Roriz, Diogo Carvalho, Paula Vasconcelos, Pedro Leite  e Raquel Filipe

sexta-feira, 14 de Novembro de 2014

lembrar para que não se repita

No dia 13 de Novembro de 2002, o navio petroleiro Prestige com 77 mil toneladas de fuel sofreu um rombo no casco ao largo do cabo Finisterra, começando a largar hidrocarbonetos no mar, o que viria a ser uma das maiores catástrofes ambientais.


 As condições que levaram ao acidente do Prestige mantêm-se, nada ou pouco foi feito para prevenir novas situações. No litoral português e galego continuam a passar anualmente milhares de navios carregados de produtos perigosos com monocascos.


O CRESCER lembra esta catástrofe ambiental para que as memórias coletivas se encarreguem de a perpetuar como última.

Governo muda regras de acesso ao Superior

O secretário de Estado do Ensino Superior, José Ferreira Gomes, revelou ao Diário Económico que o Governo vai alterar as formas de acesso ao Ensino Superior já no próximo ano. De acordo com o governante, é importante que exista “alguma diferenciação dos critérios de acesso” a universidades e politécnicos e tal poderá passar por colocar a média de entrada mais baixa nos institutos.

Segundo a publicação, as propostas serão discutidas nos próximos dias com os politécnicos mas passam, essencialmente, por uma “diferenciação dos critérios de acesso” entre universidades e institutos.
Embora ainda não exista alguma decisão, são várias as ideias do Governo que estarão na mesa. Entre elas, destaca a publicação, está a possibilidade das notas de acesso serem diferentes entre universidades e politécnicos, sendo que nestes últimos seriam mais baixas. “Podíamos exigir, por exemplo, 14 a Matemática e Física a quem quisesse entrar em alguns cursos universitários. E podíamos exigir só 10 a quem quisesse entrar em politécnicos”, explicou o governante.
Em 2015 poderá ainda ser possível alterar os exames específicos que servem como provas de acesso. José Ferreira Gomes pretende que seja permitida a “entrada com Matemática B para cursos que entendamos que a Matemática é relevante, mas que não é tão importante” para que seja exigida a prova de Matemática A, uma das mais difíceis para os alunos do Secundário.
Além disso, no próximo ano poderá ser também implementada uma medida apresentada em abril pelos politécnicos e que pretende que cada instituição tenha a liberdade de decidir o peso do exame nacional na nota de candidatura do aluno, para que o estudante possa concorrer à mesma licenciatura com notas diferentes e consoante a instituição.
Ao Diário Económico, José Ferreira Gomes frisou ainda que as universidades e institutos politécnicos “são dois sistemas diferentes e têm objetivos diferentes. Há que fazer a diferenciação que nem sempre é visível pela sociedade”. @ NM

Governo aprova inglês obrigatório a partir do 3.º ano

Ministro da Educação e Ciência assinalou que vai passar a haver "sete anos de frequência obrigatória de inglês".
O Governo aprovou esta quinta-feira um diploma que torna o inglês disciplina curricular obrigatória a partir do 3.º ano de escolaridade, com efeitos no próximo ano letivo, e a realização de um concurso extraordinário de professores em 2015.
Segundo o comunicado do Conselho de Ministros, "todos os alunos que ingressem no 3.º ano de escolaridade no ano letivo 2015-2016 terão já, obrigatoriamente, a disciplina de inglês, com pelo menos duas horas semanais", o que implicou "a definição da habilitação profissional para lecionar inglês no 1.º ciclo e a criação de um novo grupo de recrutamento".

"No sentido de garantir o recrutamento de docentes necessários ao ensino da disciplina de inglês no 1.º ciclo, será realizado um primeiro concurso extraordinário, em 2015, exclusivamente para o recrutamento de docentes para o novo grupo", lê-se no mesmo comunicado.

Em conferência de imprensa, no final do Conselho de Ministros, o ministro da Educação e Ciência assinalou que vai passar a haver "sete anos de frequência obrigatória de inglês" em Portugal - do 3.º ano ao 9.º ano de escolaridade, ou seja, em metade do 1.º ciclo, e no 2.º e no 3.º ciclos. @ CM

quinta-feira, 13 de Novembro de 2014

"O cometa 67B está a cantar... e a Rosetta ouviu"

Este título parece quase um verso de uma canção, mas é uma feliz frase para referir uma incrível verdade!

Os cientistas ainda estão a perceber a física por detrás do som captado, mas os utilizadores do Twitter já chamam a esta canção "o som da solidão no espaço".
A missão Rosetta viu ontem o culminar de uma viagem de dez anos, com o módulo Philae a aterrar no cometa 67B. Mas antes do alvoroço e das comemorações, os cientistas fizeram uma descoberta inesperada: o cometa está a cantar.
A sonda Rosetta carregava cinco instrumentos para analisar o plasma que circunda o Churyumov-Gerasimenko, cuja alcunha é 67B. O que os cientistas não esperavam era que este ambiente fosse percorrido por um som, a que mesmo eles estão a chamar "canção".
"O cometa está a emitir uma 'canção' sob a forma de oscilações no campo magnético no ambiente do cometa", explica a Agência Espacial Europeia (ESA) numa publicação no blog da missão Rosetta.
O som foi ouvido pela primeira vez pelo Rosetta em agosto, captado pelo seu magnetómetro, e os cientistas creem que é produzido pela atividade do cometa, que liberta partículas de carga neutra para o espaço, que são depois ionizadas (ou seja, ganham uma carga positiva ou negativa).
O cometa "canta" muito abaixo das frequências audíveis pelo ser humano, pelo que o som disponibilizado pela ESA trata-se de uma amplificação em mais de dez mil vezes do som captado pelo Rosetta.
"Isto é entusiasmante porque é completamente novo para nós", disse o investigador Karl-Heinz Glaßmeier, citado pela ESA na mesma publicação. "Não esperávamos isto e ainda estamos a trabalhar para perceber a física do que está a acontecer".
Apesar da explicação científica, os utilizadores do Twitter e do Soundcloud lançaram-se em especulação acerca da natureza do som. Alan Hayward comentou na publicação da ESA no Soundcloud: "Talvez seja o som de um extraterrestre a gritar 'ajudem-me, estou preso dentro de um cometa'". No Twitter, outro utilizador partilhava o som dizendo:"O som da solidão no espaço". Menos poético e científico, o utilizador Dan Maxe no Soundcloud atirou: "Algum ET está a fazer pipocas naquele planeta". @ DN Ciência

A propósito, ou talvez não, "The sound of silence":
 

quarta-feira, 12 de Novembro de 2014

solução do desafio de 4 de novembro

Lembram-se deste desafio, aqui publicado a 4 de novembro de 2014?


1 tPs ______40 min
120 tPs _____ x
x = 4800 min
4800 min: 60 min = 80 h
80 h : 15 d= 5, 333 h/d


Pois bem, tal como prometido, aqui fica o enunciado, avançado pela Andreia F. a quem muito o CRESCER agradece a participação e o raciocínio.

Sabendo que cada professor de português de ensino secundário (de cada vez que dá teste) tem 120 testes para corrigir  e demora cerca de 40 minutos por cada um, qual é o tempo que um professor tem de dispor diariamente para conseguir entregar os testes num prazo de 15 dias?

É isso mesmo, Andreia, é essa a solução. E para que isso aconteça é necessário investir esse número de horas para além das horas de permanência na escola, dias úteis ou não.

Sr. Ministro, ainda acha que os professores mais velhos trabalham 14 h por semana? 

prémio Fernando Namora para Bruno Vieira Amaral

Bruno Vieira Amaral
O romance "As Primeiras Coisas" de Bruno Vieira Amaral é o vencedor da 17.ª edição do prémio literário Fernando Namora, no valor de 15 mil euros.

O romance de Bruno Vieira Amaral foi este ano também distinguido com o prémio PEN (poesia, ensaio e narrativa) Clube de Narrativa, na categoria de narrativa.
O júri considerou que "a obra de Bruno Vieira Amaral singulariza-se pela estrutura romanesca, pela linguagem escorreita, pela efabulação e por um forte sentido real".
Entre os finalistas deste ano, Afonso Cruz foi selecionado pelo romance "Para onde vão os guarda-chuvas", Ana Margarida de Carvalho por "Que importa a fúria do mar", Ana Cristina Silva por "A segunda morte de Anna Karénina", Luís Cardoso por "O ano em que Pigafetta completou a circum-navegação" e Nuno Júdice pelo romance "A Implosão". @ JN

terça-feira, 11 de Novembro de 2014

"Escola Solidária", pois claro!

Caro leitor, como sabe, a nossa escola participa no projeto Escola Solidária, uma iniciativa do Pelouro da Solidariedade e Coesão Social da Câmara Municipal da Maia.

Esta campanha de recolha de alimentos, que decorre de 3 a 14 de novembro de 2014, reverte a favor do Centro de Apoio à Comunidade através do projeto (RE)CRIAR, promovido pela Câmara Municipal, mas gerido pela Santa Casa da Misericórdia da Maia.

A organização desta iniciativa dividiu os diferentes tipos de alimentos pelas escolas participantes – a nós cabe a recolha exclusiva de massas.

Participar e ser solidário faz de nós seres maiores!
Participe. 
Seja solidário.
Deixe o seu contributo no carrinho de compras junto à Direção.

11 de novembro: dia de S. Martinho

A este dia associamos as castanhas, o Verão em pleno Outono, a jeropiga e a água-pé. Saiba porquê.

O castanheiro é uma planta de folha caduca pertencente à mesma família de carvalhos e faias (FAGACEAE). É uma espécie arbórea capital associada à actividade humana. As suas magníficas proporções e os seus múltiplos usos tornam o castanheiro numa das mais importantes plantas culturais da história e do tempo.


Ainda que a sua origem geográfica continue a ser debatida, criou-se o mito de que teriam sido os Romanos a introduzir esta espécie, bem como o seu cultivo. Contudo, os registos polínicos (ainda que pobres em certos casos) demonstram que há cerca de 7.000 anos já os castanheiros se encontravam bem presentes na flora do Noroeste da Península Ibérica. E se quisermos recuar ainda mais no tempo, é possível afirmar que Castanea sativa terá chegado à Península Ibérica ainda durante o período Neogénico, vindo da Ásia, podendo hoje afirmar-se (de forma provocativa) que esta espécie possui um carácter autóctone.

(...)
Em Portugal continental a sua área preferencial de distribuição é o Norte e o interior da região Centro preferindo como habitat os lugares frescos de regiões montanhosas, podendo atingir os 1.800m de altitude e tendo preferência por solos siliciosos e soltos.
(...)
Não se esqueça que, diz a lenda, S. Martinho, um soldado romano, num dia de neve e vendaval, viu um mendigo cheio de frio, a pedir esmola. O soldado, então ainda não Santo, parou o cavalo e, com a sua espada, cortou metade da sua capa e deu-a ao mendigo, seguindo caminho. Subitamente, a tempestade desfez-se e o Sol aqueceu o cavaleiro. Daí a lenda do Verão em pleno Outono, associado a S. Martinho. Seja como for, quando chegar o S. Martinho, nada como umas boas castanhas assadas acompanhadas por uma boa água-pé, à moda do Sul, ou por boa jeropiga mais à moda do Norte. @ FUTURO

o que fazer aos REEE?

A nossa escola aderiu ao Programa Nacional Eco-Escolas. Numa primeira fase inscrevemo-nos no concurso "Geração Depositrão".

Este projeto visa (in)formar as crianças e jovens e, através delas a população em geral, acerca do adequado encaminhamento dos Resíduos de Equipamentos Elétricos e Eletrónicos (REEE), pilhas e acumuladores em fim de vida.

Precisamos da ajuda de todos!
Colabore trazendo o material referido bem como divulgando esta iniciativa.

Até 16 de dezembro temos de recolher 50 Kg de pilhas.
É fácil... se todos colaborarmos.

segunda-feira, 10 de Novembro de 2014

saiba mais um pouco sobre a "legionella"

O que é a legionella?
"É uma bactéria que vive em ambientes aquáticos naturais, como a superfície de lagos, rios, águas termais, tanques. Causa um conjunto de doenças que se manifestam como infecções pulmonares. Entre os locais de risco estão também os sistemas artificiais de abastecimento e rede de distribuição de água de cidades, instalações como duches, sistemas de ar condicionado, humidificadores ou fontes ou qualquer local sujo com águas paradas.
Como contagia?
A bactéria coloniza equipamentos de refrigeração e outros que contenham água tépida (temperatura de água entre os 20ºC e os 45ºC, sendo o crescimento mais favorável entre os 35ºC e 45ºC) onde se multiplica. A bactéria pode ser inalada em gotículas e chegar aos pulmões dando início à infecção. Investigações laboratoriais demonstram que o agente da infecção se encontra preferencialmente na água quente sanitária, nos sistemas de ar condicionado (como nas torres de arrefecimento, nos condensadores de evaporação e nos humidificadores), nos aparelhos de aerossóis ou nas fontes decorativas. A bactéria tem sido isolada nas redes de abastecimento de água, onde, aliás, pode sobreviver longos meses. Os pontos de maior disseminação de aerossóis são as torneiras de água quente e fria e os chuveiros. A infecção transmite-se por via aérea (respiratória), através da inalação de gotículas de água (aerossóis) contaminadas com bactérias, sendo importante sublinhar que não se transmite de pessoa a pessoa, nem pela ingestão de água contaminada.
Quem corre mais risco?
Há pessoas mais propensas do que outras à infecção, que depende, entre outros factores, da idade (afecta preferencialmente pessoas adultas com mais de 50 anos de idade), da existência de doenças respiratórias e do consumo de tabaco. Afecta mais os homens do que as mulheres – duas a três vezes mais homens do que mulheres. Atinge em especial fumadores. São igualmente factores de risco doenças crónicas debilitantes (alcoolismo, diabetes, cancro, insuficiência renal) ou ainda doenças com compromisso da imunidade ou que imponham medicação com corticóides ou quimioterapia.

Quais são os sintomas da doença dos legionários?
Os mesmos de uma pneumonia: tosse, febre e dificuldades respiratórias. A doença pode ser confirmada através de testes laboratoriais que identificam a presença do microorganismo. Em regra, cinco ou seis dias depois de um indivíduo inalar bactérias (presentes  nas gotículas de água) poderão surgir as primeiras manifestações clínicas. É o chamado "período de incubação" que, no entanto, pode variar entre dois e dez dias.

Como se trata?
Tem tratamento com antibióticos. Não existe vacina contra a doença dos legionários. Em casos mais graves é necessário o internamento para cuidados intensivos. A pneumonia constitui a manifestação clínica mais expressiva da infecção. Surge habitualmente de forma aguda e pode, nos casos mais graves, conduzir à morte".

                                                                                                    Fonte: Direção-Geral de Saúde (DGS)

sexta-feira, 7 de Novembro de 2014

LER: três autores portugueses que vale a pena descobrir

É pela voz da "Companhia dos livros" que o CRESCER lhe deixa as sugestões de leitura.



Votos de um bom fim de semana!

está a nascer o maior instituto de astronomia de Portugal

Os dois principais centros de ciências do espaço do país fundiram-se para serem mais competitivos a nível internacional.
O Observatório Astronómico de Lisboa é a casa
 do novo instituto na capital
DR
Lisboa e Porto uniram-se na astronomia e os seus dois centros de investigação do Universo e do espaço estão a caminho de se tornarem um só – o Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço, que conta neste momento com um total de 90 cientistas, 27 dos quais alunos de doutoramento.
 
As instalações onde fica o Planetário do Porto
é a casa no novo instituto no Norte DR
Anunciada esta quarta-feira em comunicado, a fusão entre o Centro de Astrofísica da Universidade do Porto (CAUP) e o Centro de Astronomia e Astrofísica da Universidade de Lisboa (CAAUL) permite assim a criação do maior instituto de investigação do país nesta área. Mais de dois terços dos cientistas que trabalham em ciências do espaço em Portugal fazem agora parte do novo instituto, como refere o seu site.
 
 
A origem e evolução de estrelas e planetas, as galáxias, a cosmologia, a evolução do Universo e a instrumentação científica estão entre as principais áreas de investigação do novo instituto, que continua a manter os pólos de Lisboa e do Porto.

quinta-feira, 6 de Novembro de 2014

está a literatura de costas voltadas para a ciência? ou o contrário?

O CRESCER traz até si este assunto que tanto o fascina. Estão estas duas áreas de costas voltadas entre si?
 
 
A Revista 2 falou com cientistas e escritores para compreender a relação de uns e outros com a literatura e o conhecimento científico. No fundo, ambos estão à procura de uma tradução para o mundo. 
O escritor Nuno Camarneiro também é físico. Para si, a literatura e a ciência partem ambas “de uma vontade de perceber” o mundo. “Nenhum campo do saber consegue conter toda a realidade”, diz. Tanto a física como a literatura trabalham com modelos: “A realidade não está numa lei física. A física trabalha com abstracções da realidade. O romance também é um modelo que ajuda a conceptualizar o real.” Na física estudamos a natureza das coisas — a literatura “é a ciência da natureza humana”.
Pode parecer demasiado abstracto, mas o autor de Debaixo de Algum Céu (prémio Leya 2012) diz apenas que é o mistério que o move: estudou Física porque desde miúdo tinha “aquele sonho do cientista de ter um objectivo, de querer descobrir, desvendar um enigma, fazer quebra-cabeças, compreender mistérios”. Isto é, procurar uma resposta. Mas via-se insatisfeito: “Dava-me gozo descobrir as soluções dos problemas — em Matemática, em Física, até em Português —, mas quando descobria a resposta perdia o interesse pelas coisas. Nesse aspecto, era um pouco rebelde. Distraía-me.” O retrato de Camarneiro enquanto jovem vai ao encontro de uma das questões colocadas por outro escritor, Gonçalo M. Tavares, no seu livro Breves Notas sobre Ciência (2006):
 
Mas não investigas: divertes-te. Crias dificuldades e conceitos para atrasar a tua chegada. Amanhã chegarás ao esconderijo onde ainda ontem escondeste a resposta.
 
Foi a partir desta ideia que surgiu Física Divertida nos anos 1990 (e Nova Física Divertida em 2007), ensaios de divulgação científica da editora Gradiva da autoria do físico, professor e ensaísta Carlos Fiolhais. Camarneiro revela que a leitura dos livros de Fiolhais espevitou a sua curiosidade: “Fui muito marcado por Fiolhais, que pertence a uma geração que tinha lido todas essas obras de divulgação científica que acabaram por chegar tarde a Portugal”, diz o escritor. Carl Sagan, Richard Feynman, Stephen Jay Gould, Hubert Reeves, Richard Dawkins, Ilya Prigogine: “Por vezes nas páginas de divulgação científica encontra-se não só literatura, mas também grande literatura – e que bem escrevem, por exemplo, Carl Sagan ou Stephen Jay Gould”, diz à Revista 2 Carlos Fiolhais. (leia tudo aqui)

quarta-feira, 5 de Novembro de 2014

João Grosso diz António Vieira

As palavras do Padre António Vieira e as suas intervenções em defesa dos índios inspiraram o espetáculo ‘Paiaçú ou Pai Grande’, que a produtora Cassefaz vai apresentar ao grande público no próximo dia 22 de novembro, às 18h30, na Igreja de São Roque, em Lisboa. As interpretações são de João Grosso (alternando com F. Pedro Oliveira) e de Sílvia Filipe.

Estreado originalmente em 2012 (no âmbito do festival TODOS-Caminhada de Culturas), este espetáculo de homenagem ao jesuíta que se se distinguiu como filósofo, escritor e orador tem dramaturgia de Miguel Abreu e João Grosso, que trabalharam em torno de vinte sermões e cartas para os reunir num só discurso.
O texto resultante pretende ser "um manifesto em defesa dos índios, dos escravos e da salvação humana" e deixa-nos com esta interrogação: "Até onde seremos capazes de ir para evitar a exploração e a humilhação de outros homens por causa da nossa ambição pessoal e desejo de fortuna e de poder?"
Este trabalho, que repete para o público em geral nos dias 29 de novembro e 13 de dezembro, está disponível para o público escolar até 25 de maio de 2015, todas as segundas-feiras (excepto feriados e férias escolares), às 10h00.

terça-feira, 4 de Novembro de 2014

desafio aos leitores

Caro leitor,
Hoje o CRESCER propõe-lhe um desafio. Apresenta-lhe um "problema" resolvido, um formulário para ajudar à solução e propõe-lhe que idealize o enunciado.


1 tPs ______40 m

120 tPs _____ x

x = 4800 m

4800 m: 60 m = 80 h

80 h : 15 d= 5, 333 h/d

______

Formulário para ajudar à solução: 
tPs = teste de Português do secundário
m = minutos
h = horas
d = dia 

O raciocínio que esteve por detrás deste problema será apresentado brevemente, num post próximo de si.