Número total de visualizações de página

sexta-feira, 15 de março de 2019

estudantes fazem greve pelo clima, mas nas escolas o “dia é normal"


Directores entendem que faltas não podem ser justificadas com participação na greve, mas há quem admita avaliar motivo depois de perceber qual a adesão (que adivinham fraca) dos estudantes aos protestos.

Esta sexta-feira, “se houver testes, eles realizam-se e se os alunos faltarem, têm falta”. É “um dia normal. Não estamos a encarar a greve de maneira especial”, garante Eduardo Lemos, director da Escola Secundária Eça de Queirós, na Póvoa de Varzim e presidente do Conselho das Escolas. A maioria dos directores que o PÚBLICO contactou diz que a rotina não será alterada por causa dos protestos relacionados com a Greve Climática Estudantil.
Os protestos estão marcados para cidades de Norte a Sul do país e nas regiões autónomas. No Facebook, estão marcados protestos em prol do ambiente em pelo menos 28 cidades. E não são apenas os estudantes portugueses que se manifestam nesta sexta-feira. Há greves marcadas em meia centena de países. Todos se inspiram na adolescente sueca Greta Thunberg, que ao longo de várias sextas-feiras fez greve às aulas para chamar a atenção para o problema das alterações climáticas.

Concentrações por todo o país

Em Portugal, a greve estudantil mundial terá focos por todo o país. Em Lisboa, o ponto de encontro é às 10h30, no Largo Camões, e daí sairá uma marcha que termina na Assembleia da República; em Coimbra, será à mesma hora, em frente à câmara municipal; no Porto, a concentração é na Avenida dos Aliados, junto à câmara municipal, às 10h30. Para já estão confirmadas 26 concentrações.@PÚBLICO

1 comentário:

Maria Araújo disse...

Por definição, "a greve é um conceito aplicável ao mundo do trabalho, que o trabalhador usa para defender e conquistar os seus direitos."

Estas ações são "marcadas por entidades difusas, que nada têm a ver com o mundo do trabalho, seguindo uma agenda internacional sem rosto, promovida por muitos dos que abominam a luta dos trabalhadores". (Avante, 07/03/2019)

E são os mesmos alunos que enchem de lixo o chão das escolas, mesmo a um passo dos contentores e que não separam os resíduos, nem na escola, nem em casa. :)

E temos conversado, quanto à proteção do ambiente, né?
Beijinhos