Número total de visualizações de página

terça-feira, 21 de maio de 2019

a Guerra Colonial contada por quem a viveu


No âmbito do projeto de leituras Ler + Jovem e da preparação de mais um encontro com os idosos da instituição Amanhã da Criança, a turma 10º K recebeu, na passada sexta-feira, durante as aulas de português, a visita de dois ex-combatentes da Guerra Colonial, o senhor Joaquim e senhor Rocha, que fizeram uma Comissão de Serviço de 25 meses no norte de Angola (uma das zonas onde a guerra era mais intensa e perigosa).
Narraram-nos as suas experiências e percebemos que foi uma época de grande sofrimento para os soldados e para as suas famílias – tanto do lado português, como angolano. Foi, como nos disseram, “uma guerra sem razão”. O senhor Joaquim, respondendo a uma pergunta da turma sobre “ter mesmo que matar?”, pôs-nos a pensar: “Imagina que tu és preto e eu sou branco. Tu tens uma arma na mão apontada a mim, eu tenho uma arma na mão apontada a ti. Se eu não disparar, tu matas-me. Se tu não disparares, eu mato-te. Que mal te fiz eu a ti para me matares, e que mal me fizeste tu a mim para eu te matar? Era assim!, uma guerra sem razão.”  
Uma das coisas que mais nos impressionou durante a conversa foi perceber que, cerca de 48 anos depois desta vivência, os ex-combatentes ainda se emocionam com as recordações do que viveram. Por vezes foi-lhes difícil conter as lágrimas. E a nós também.
A mensagem mais importante que nos deixaram: «A guerra não é solução para nada. Nem para os países, nem para as pessoas, nem na nossa vida diária. Nunca resolvam os problemas com violência, mas com diálogo.»                                                                              
cortesia de Margarida Serralheiro
                                                                                             

Sem comentários: