Número total de visualizações de página

sexta-feira, 29 de janeiro de 2016

as escolhas de...

Todas as sextas-feiras o CRESCER anda por aí a fazer perguntas para todos podermos conhecer melhor alguns rostos da escola.


Desta vez, pedimos as escolhas relativas a um filme, uma música e um livro e quisemos saber porque trocou a docência pela direção do Centro de Formação de Professores.


As escolhas de Cândido Pereira, docente de Biologia, atualmente a exercer o cargo de Diretor do Centro de Formação Maiatrofa.



Um filme 
Opto por escolher o primeiro e o último filme que vi e que me marcaram. E ainda tenho uma terceira escolha.
Na altura do 25 de abril não havia internet e, portanto, tínhamos de ver filmes em cinemas ou na televisão, que passava filmes muito antigos, das décadas de 40 e 50, a maior parte deles americanos. Eu andava num liceu, no Porto, e frequentava um cineclube onde os filmes eram alugados por alunos mais velhos. Assim, em 1972, vi, nesse cineclube clandestino, um filme de Roman Polanski, A Repulsa, onde participa, magnificamente, Catherine Deneuve. Este filme, de terror e suspense, era uma coisa tão diferente de tudo o que eu já tinha visto que fiquei completamente fascinado com o que o cinema era capaz de me provocar e é, por isso, que o escolho: mostrou-me que o cinema era mais do que aquilo que eu já tinha visto até então, abrindo-me as portas para um tipo de filmes que eu não sabia que existiam na altura. 
Escolho outro filme, que vi recentemente, Shutter Island de Martin Scorsese, no qual participa o Leonardo DiCaprio.


Este filme é uma mistura da ilusão e da realidade dentro da cabeça do personagem, criando-se a impossibilidade de discernir uma da outra. Fiquei fascinado com o resultado final e, por isso, acho que me vou lembrar deste filme durante muitos anos, uma vez que também toca na temática que mais me atrai no cinema, a confusão entre realidade e ilusão. 
Mas se, de facto, tivesse de escolher um filme era o Cinema Paraíso de Giuseppe Tornatore. É um filme que sintetiza o cinema, definindo o que ele pode significar para alguém. É ternurento, fala de todos os filmes e, devido a isto, se eu estivesse numa ilha isolado, este filme italiano seria muito bom para me lembrar do que é o cinema.

Uma música 

Para a música vou utilizar o mesmo critério. Volto ao tempo antes do "25 de abril", quando eu tinha cerca de treze anos, no tempo em que não havia mp3 e quando ouvir uma música era algo muito complicado. Nessa época, éramos muito influenciados pela música anglo-saxónica e, então, surgiu um conjunto, os Genesis, que tocava coisas que me marcaram bastante, o que foi, à época, fantástico. Eu, ao contrário do Samuel Úria, por exemplo, sou mais ligado ao prog rock, isto é, ao rock progressista, que abrange músicas com instrumentais muitos cheios e instrumentistas muitos virtuosos que criavam faixas de música delicadas e longas, tal como os Genesis. Do trabalho deste grupo destaco o álbum Selling England by the Pound e a música do mesmo nome. Esta banda fascina-me pelas suas letras fantasiosas, pelo seu estilo e também pela encenação teatral em palco.
Por outro lado, a minha recente descoberta, graças a um colega, chama-se Noiserv, um músico português. Ele canta em inglês, mas gosto dele mais pelo que toca do que pelo que canta. É um artista que vai buscar centenas de sons diferentes e conjuga tudo e, de todo o seu trabalho, destaco a faixa The Sad Story of a Little Town.

Um livro 
Quando tinha cerca de 17 anos, ou até quando era mais novo, a maior parte dos livres que lia não eram meus, mas da biblioteca. Lembro-me, destacando, um livro de banda desenhada que eu sabia de cor: O Templo do Sol - Tintin de Hergé. Talvez veja neste livro a razão que me levou a valorizar a ciência e a estudá-la. Eu fiquei fascinado com o facto de a ciência ser a magia que dá mais resultado, isto é, ao contrário de profecias disparatadas, a ciência é capaz de dar uma precisão incrível do futuro. Nesta BD, o Tintin e os seus amigos corriam risco de vida e, graças a um conhecimento prévio científico, conseguiram evitar que tal acontecesse, o que me fascinou. A capacidade de prever o futuro pode ser, realmente, salvadora. 
Outro livro que me tocou, mais recentemente, é de um escritor francês, Michel Houellebecq, e intitula-se As Partículas Elementares. Já o li há cerca de dez anos e inquietou-me pela sua violência que nos traz o melhor e o pior da humanidade na história de dois irmãos, à volta dos quais se desenrola o enredo.
Por último, escolho um livro de divulgação científica, Um Mundo Infestado de Demónios do Carl Sagan. Não é um livro que tenha, literalmente, à cabeceira, mas muito do que penso tem neste livro as suas raízes. Retrata um confronto entre a ciência e outras áreas não científicas, como a astrologia, onde a ciência nos é mostrada como um guia possivelmente preferível a outros, explorando, também, muitos aspetos da cultura humana.

Por que razão trocou a docência pela direção do centro de formação?
Nós todos, acho, gostamos que a nossa vida seja produto das nossas escolhas. Efetivamente, eu escolho ir por aqui ou por ali e, portanto, as minhas escolhas fazem a minha vida, sendo essa uma maneira confortável de olhar para a mesma. Porém, na realidade, nós somos igualmente fruto de outras coisas que não são propriamente por nós ponderadas. Como o título de outro livro que li indica, a vida é fruto do Acaso e a Necessidade (de Jacques Monod) e foi mesmo isso que me aconteceu. Se eu olhar para trás, o que me fez deixar a docência foram o acaso e a necessidade. Não é desencanto, porque eu gosto muito de ser professor de Biologia, cargo que, possivelmente, voltarei a exercer. Mas, neste momento, estou exclusivamente dedicado a este objetivo. Eventualmente, se me surgisse outra oportunidade, que até poderia ser muito diferente, eu gostaria de experimentar, consoante as minhas necessidades. A necessidade de ir fazendo outras coisas é-me essencial. Assim, foi o acaso do lugar ter ficado vago num momento em que eu podia concorrer para o ocupar e foi a necessidade constante de ir fazendo coisas diferentes que me fez deixar a docência e ingressar na formação de professores. 
Ana Pinto e Rita Almeida

a morfologia dos oceanos e as células






Os alunos do 7.º e do 8.º ano de escolaridade desenvolveram trabalhos, no âmbito da disciplina de Ciências Naturais, que agora se encontram em exposição no corredor de acesso à sala dos professores.




Os alunos do 7.º ano construíram modelos ilustrativos da morfologia dos fundos oceânicos e os alunos do 8.º ano elaboraram maquetas representativas de diferentes tipos de células.


Não deixem de visitar a exposição.



Cristina Matos e Cláudia Silva

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

um convite do CAI



Convida-se toda a comunidade escolar para participar na apresentação do Projeto C.A.I (Clubes de Apoio à Inclusão), Clube de Voluntários, a realizar-se no próximo dia 31 de janeiro, pelas 17:00 horas, na FNAC do Gaiashopping.


Este projeto tem vindo a crescer, promovendo uma maior união entre colegas, com um espírito mais aberto para a  inclusão.

100 anos de Vergílio Ferreira

"Não penses que a sabedoria é feita do que se acumulou. Porque ela é feita apenas do que resta depois do que se deitou fora."
Vergílio Ferreira
Se fosse vivo, faria hoje 100 anos o autor da frase supracitada. 
Os alunos mais "antigos" estudaram dele a "Aparição". Depois, Vergílio saiu dos programas de Português e não mais voltou. 
Para aqueles que o apreciam é uma falha. Hoje, como é vulgar em Portugal e no mundo, fazem-se homenagens ao homem da obra inquieta e reflexiva.O CRESCER acredita que ele ficará "Para Sempre" connosco.

GIA em ação

O GIA é a nova designação do ex-clube GPS e os seus objetivos são os mesmos. Funciona na mesma sala do passado ano, no pavilhão A1, no gabinete que fica ao lado do GAMD.
Não faltes. Vai até lá espreitar e procura informação e apoio.
O CRESCER deixa aqui uma imagem para que possam saber quem está por lá e em que horário. Não é um cartaz original?

quarta-feira, 27 de janeiro de 2016

os "não negócios" provocados pelo fim dos exames

Centros de explicação preocupados

Os exames do 4.º e do 6.º ano foram uma oportunidade de negócio para os centros de explicações, que viram o número de clientes aumentar nestes anos de ensino. Agora que o governo substitui estes exames por provas de aferição, os centros estão já a sentir a redução de interessados em explicações nesses anos. Alguns tinham mesmo programas específicos de preparação para as provas de Português e Matemática - que eram frequentadas em média por grupos de 15, 20 ou 30 alunos - e que neste ano já não se vão realizar.

Aferição não dá negócio

A quebra com o fim dos exames é inegável. E não vão ser as anunciadas provas de aferição para os 2.º, 5.º e 8.º anos que vão fazer o negócio crescer. "As provas não contam para a nota e por isso não há procura", refere Maria José, do centro Rumo Certo, na Amadora. A ideia é partilhada pelos outros centros de estudos contactados pelo DN.

Livros de preparação no armazém


O setor editorial, que produzia vários conteúdos relacionados com as provas, como livros preparatórios, também sai naturalmente penalizado. @ DN

cinco casos de vírus Zika em Portugal

Portugal registou cinco casos de vírus Zika, transmitido por picada de mosquitos infetados e associado a complicações neurológicas e malformações em fetos, todos eles importados do Brasil, segundo fonte do instituto que realiza as análises.
De acordo com o Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), que faz o diagnóstico de doença por vírus Zika, os cinco casos detetados em Portugal referem-se a cidadãos que contraíram a infeção quando estavam no Brasil, tratando-se, portanto, de casos importados.
O vírus Zika é transmitido aos seres humanos por picada de mosquitos infetados, não se transmitindo de pessoa para pessoa.
Sintomas e sinais clínicos 
Segundo a Direção Geral da Saúde (DGS), "os sintomas e sinais clínicos da doença são, em regra, ligeiros: febre, erupções cutâneas, dores nas articulações, conjuntivite, dores de cabeça e musculares".
"Com menor frequência, podem ainda ocorrer dores nos olhos e sintomas gastrointestinais. Há suspeitas (ainda não inteiramente comprovadas) de que a doença possa provocar alterações fetais durante a gravidez, em particular microcefalia", acrescenta a DGS.
Foram notificados casos de doença por vírus Zika em vários países: Brasil, Cabo Verde, Colômbia, El Salvador, Fiji, Guatemala, México, Nova Caledónia, Panamá, Paraguai, Porto Rico, Samoa, Ilhas Salomão, Suriname, Vanuatu, Venezuela, Martinica, Guiana Francesa e Honduras.

Na passada segunda-feira, a Organização Mundial de Saúde (OMS) alertou que o vírus Zika vai continuar a espalhar-se pelo continente americano.

terça-feira, 26 de janeiro de 2016

Governo quer rever reformas antecipadas ainda este ano

O Governo quer alterar ao longo deste ano o regime das reformas antecipadas de modo a introduzir um regime alternativo "mais justo" para as carreiras contributivas mais longas, afirmou o ministro da tutela na passada sexta-feira.

Vieira da Silva disse, a este propósito, que é intenção do Governo alterar a legislação ainda este ano, evitando assim que as pessoas que pedem a reforma antecipada possam ter cortes que possam atingir os 60%.
"O Governo trabalhará para que possa, tão rapidamente quanto possível, construir um regime alternativo mais justo que defenda as carreiras contributivas mais longas [...] em legislação próxima e depois de ouvidos os parceiros sociais, para que possa ser suspensa essa legislação [em vigor]", disse Vieira da Silva.
Na quinta-feira, o Ministério do Trabalho informou que os trabalhadores que pedirem a pensão antecipada passam a ter 30 dias para decidir se pretendem continuar ou não com o pedido, face aos anteriores dez dias. @ JN

o CERN veio até nós

No passado dia 18 de janeiro, a nossa escola teve o prazer de receber o físico Pedro Abreu, professor e investigador do Instituto Superior Técnico, da Universidade de Lisboa, para uma palestra sobre a Física das Partículas.
Pedro Abreu apresentou, para alunos do secundário, das turmas de Ciências e Tecnologias, um tema que a todos suscitou interesse e admiração. “Anjos e Demónios: Matéria, Antimatéria e (des)conhecimento”.
Começou por desvendar alguns mistérios por detrás do filme “Anjos e Demónios”, onde evidenciou as cenas reais e fictícias, na parte do filme filmada no CERN.
Deixando a ficção, o físico tentou esclarecer os alunos acerca da analogia entre a matéria (constituída por partículas) e a sua antimatéria (constituída por antipartículas), falou do grande laboratório Eurupeu – o CERN, onde se faz esta investigação e do bosão de Higgs, lá descoberto. 
Após explicar tudo aquilo a que os cientistas têm acesso direto através de métodos experimentais, focou-se naquilo que ainda não há capacidade de visualizar e assim comprovar: o desconhecido.
O professor Pedro Abreu terminou a sua palestra suscitando nos alunos algum interesse em relação à Física, argumentando que 95% do Universo é ainda desconhecido e que poderia ser um de nós, no futuro, a desvendá-lo.
Podemos assim finalizar dizendo que todos os alunos presentes saíram da palestra um pouco mais próximos do cerne da questão: afinal, o que é que nós conhecemos quando comparado àquilo que ainda há por descobrir?

Eduardo Coelho e Márcia França, 11ºC

segunda-feira, 25 de janeiro de 2016

"Entre nós e as palavras" por Pedro Lamares

Pedro Lamares

Na quinta-feira, 21 de janeiro, a nossa escola recebeu o ator Pedro Lamares para o recital de poesia “Entre nós e as palavras”.


Pedro Lamares e o 10º K

Alunos e professores de 10º ano encheram o auditório e puderam escutar poemas e histórias de poesia e poetas, de paixão e verdadeiro amor pela poesia e as palavras. Não faltou espaço para perguntas, trocas de ideias, interpretações.





Saíram todos mais preenchidos e mais amantes da poesia!

Depois de um curto intervalo foi a vez de os professores se reunirem com o Pedro Lamares e discutirem formas de dizer poesia – e de a dizer ali, em grupo, uns para os outros.


E assim, saboreando as palavras e a poesia, a tarde foi tempo de beleza e de aprendizagem. 

Margarida Serralheiro

"É o povo quem mais ordena. Foi o povo que me quis dar a honra de ser Presidente"


Esta foi a Taxa de Abstenção: 48% a 52%

Com os votos apurados em 99,74 por cento das freguesias, Marcelo Rebelo de Sousa vence com 52,15 por cento dos votos. Sampaio da Nóvoa fica em segundo lugar com 22,78 por cento dos sufrágios.
foto de Miguel Manso

O Presidente eleito compareceu perante os seus apoiantes na Faculdade de Direito de Lisboa, onde foi aplaudido pelos seus apoiantes. “Fiz questão de me dirigir ao país a partir da Faculdade de Direito, uma escolha afetiva”, explica o sucessor de Cavaco Silva.

Marcelo afirma que a faculdade lhe deu muito e que este é um gesto simbólico para com a instituição onde é professor catedrático.

“É o povo quem mais ordena. Foi o povo que quis dar-me a honra e eleger-me Presidente da República de Portugal”, afirma Marcelo.

Marcelo garante que não abdicará de se reger pelas suas convicções e ideias. Cumprimenta os restantes candidatos e frisa que não eram seus “adversários” mas seus “oponentes” e sublinha a coragem de se terem apresentado na corrida a Belém. @ RTP

sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

TPCE

Um saudoso* colega, Gabriel Dias, eternizou-se pelo uso da expressão TPCE. Queria dizer "trabalho para casa  especial".
Nós queremos pedir hoje um  TPCE: consiste em passar pela nossa página oficial do Facebook e colocar "gosto".
O objetivo é que toda a comunidade escolar seja conhecedora deste seu jornal.
Não acham que deve ser assim: que todos devem conhecer o jornal? Os alunos, os funcionários, os professores, as famílias... É aqui que se concentra a informação do que se passa na escola.
Vá lá.  Estamos à sua espera! Goste. Partilhe. Dê a conhecer. Ajude a CRESCER.

*Um forte abraço ao professor Gabriel, que goza agora a sua merecida aposentação.


quinta-feira, 21 de janeiro de 2016

reformas antecipadas: saiba o que muda

O Ministro do Trabalho anunciou esta quarta-feira que o Governo vai alterar as regras relativas às reformas antecipadas. Segundo , Vieira da Silva, o Executivo dará a oportunidade ao contribuinte de “pensar duas vezes” antes de pedir a pré-reforma, para não ser prejudicado no montante recebido. 
“Ao contrário do que se passava até agora, em que quando a pessoa pedia a reforma e ela lhe era atribuída, a pessoa tinha que se reformar; agora, o Estado vai sempre informar a pessoa de que: 'olhe, a sua pensão é esta, quer manter o pedido de reforma?' Isto no caso das pensões antecipadas”, declarou Vieira da Silva em entrevista ao programa “Negócios da Semana” na SIC Notícias.
O ministro insistiu que vários contribuintes são penalizados, por não avaliarem a situação antes do pedido de reforma antecipada, situação que o novo modelo deverá combater. “Ou seja, [o Executivo] dará à pessoa uma oportunidade de pensar duas vezes antes de embarcar numa solução que pode parecer interessante do ponto de vista do curto prazo, mas que tem atrás de si cortes que podem chegar a 50% do valor da pensão, que a pessoa poderia ter direitos se permanecesse mais tempo no mercado do trabalho”, acrescentou. @ Expresso


quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

à descoberta da Biodiversidade (I)

 desenho feito por Filipe Ribeiro
turma de Artes (12º E)

O Jornal Crescer lança hoje uma nova rubrica, da responsabilidade do professor Pedro Pimenta, cujo objetivo é a promoção científica e a sensibilização para questões da biodiversidade da Maia. Esta rubrica pretende, assim, contribuir para um conhecimento mais alargado da população escolar sobre aspetos ligados à biodiversidade, pois acreditamos que conhecer é o meio para preservar.
Os desenhos serão da responsabilidade dos artistas que quiserem ilustrar os textos.


Erithacus rubecula (Linnaeus) 1758

Pisco-de-peito-ruivo

Comprimento: 14 cm
Envergadura: 20-22 cm

Distribuição Mundial
Espécie europeia cuja distribuição alcança o Noroeste de África e a Ásia Ocidental, sendo as populações do Leste geralmente estivais, e as do Ocidente sedentárias, com invernantes na orla mediterrânica.

Distribuição nacional
Em Portugal, distribui-se do rio Minho ao rio Tejo, podendo ainda ser observado em pontos localizados do Sul, como as serras de Monchique, Caldeirão e S. Mamede.

Águas Santas
Em Águas Santas aparece em pomares, parques e jardins.

Época de observação
Todo o ano, sobretudo no Inverno. Apesar da colorida mancha ruiva que tem na garganta e no peito, os seus hábitos relativamente discretos podem dificultar a sua observação.

Reprodução
A reprodução principia em março, prolongando-se ao mês de julho. Nidifica em buracos no solo, muros, raízes de árvores velhas e paredes interiores de casas abandonadas. A postura consta de 4 a 6 ovos, chocados pela fêmea durante 12 a 15 dias e os jovens abandonam o ninho pelos12-15 dias.

alguns links:

terça-feira, 19 de janeiro de 2016

o Porto aqui tão perto!

daqui
É com emoção que escrevo estas palavras. 
Percorrer os Jardins do Palácio Cristal, visitar a Biblioteca de Almeida Garrett, ir à Quinta da Macieirinha conhecer o Museu Romântico, fazer a pé o caminho até à Cordoaria observando a cidade (o Museu Soares dos Reis; o Palácio da Justiça; o Passeio das Virtudes) que se ergue na zona dos Clérigos, tomar um chocolate quente num afamado café da modiva, descer até aos Aliados, afagar a escultura do Ardina à porta dos Congregados, calcorrear a Rua das Flores e acabar num banho de talha dourada na Igreja de S. Francisco, num dia solarengo de Inverno, calmamente, bem acompanhada, com meninos que pouco ou nada conhecem destes lugares e ter a oportunidade de lhos dar a conhecer é um fascínio indizível.
Foi muito bom "laurear a pevide" com este grupo!
mc

segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

uma viagem no tempo

O Porto aguarda as turmas de 11º ano da escola para uma viagem no tempo, desde o Barroco do século XVII ao Romantismo do século XIX. Será feito um périplo pela cidade. Amanhã, com a ajuda do (bom) tempo e de boa disposição.
Igreja de S. Francisco
jardins do Palácio de Cristal

Biblioteca de Almeida Garrett

Museu Romântico

Portugal tem quase 500 mil trabalhadores pobres

daqui

O CRESCER tem vergonha. Muita vergonha. 
O trabalho não chega para que 495 mil portugueses saiam da classificação de empregados pobres em Portugal. Era esse o número de trabalhadores em situação de pobreza em 2014, mais 26 mil do que em 2011.
Nos anos em que a troika esteve no país, registou-se um aumento neste indicador, relativo a população ativa pobre. Se no ano em que começou o ajustamento representavam 9,9% dos trabalhadores no país, em 2014 a percentagem subiu para os 11%, de acordo com o Diário de Notícias.
Os dados de dezembro divulgados pelo INE representam uma preocupação para o Executivo, que tem na “redução efetiva da percentagem de trabalhadores em risco de pobreza, através de um complemento salarial” uma das suas bandeiras.
Isso mesmo deixou claro o ministro do Trabalho, Vieira da Silva, numa conferência da OCDE em Paris. Dentro do conjunto de países ricos, Portugal ocupa o sétimo lugar na lista de maiores desigualdades salariais.
O aumento do salário mínimo, já acordado com o novo Governo, o “crédito fiscal para famílias com baixos rendimentos” e o “reforço das políticas e instrumentos de aprendizagem ao longo da vida” pretendem contrariar essa realidade.@ N ao M

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

de volta com "as escolhas de..."

Todas as sextas-feiras o CRESCER anda por aí a fazer perguntas para todos podermos conhecer melhor alguns rostos da escola.


Desta vez, pedimos as escolhas relativas a um livro, um filme, uma música e uma personalidade da sua área de formação...


As escolhas de Ana Granja, docente de Psicologia/Filosofia.





Um livro (não! livros)
 A Desumanização, de Valter Hugo Mãe e Sem ti, Inês e (Em) Pedaços, da minha autoria

Valter Hugo Mãe é o meu autor português contemporâneo preferido. Li todos os seus livros, mas este é, porventura, o seu melhor romance. O livro é uma ode à Islândia e retrata, de forma sublime, a relação entre o homem e as forças primordiais e misteriosas de uma natureza inóspita e ainda intocada pela mão humana. Numa aldeia perdida num fiorde islandês, parece que só sobra aos habitantes o sofrimento, a solidão e o abandono. É lá que Halldora, uma menina de onze anos, tenta resistir e sobreviver à perda da sua irmã gémea. Como ela própria se define, é a “menos morta” das duas irmãs.

Mas, apesar da dor da perda, da inevitável solidão, do amargo sofrimento, há também espaço para o assombro do belo e para a presença de deus. Não o Deus emprestado de qualquer religião monoteísta, mas o deus silencioso e discreto que se manifesta nas coisas, na natureza e na poesia, e nos mostra como é possível coexistirem o grotesco e o sublime, a morte e a vida, a tristeza e a esperança.
Numa sessão de apresentação deste livro, o próprio autor afirma: “Este livro pretende mostrar o que há de gente em nós”.
Escolhi também dois livros da minha autoria: “Sem ti, Inês” e “(Em) Pedaços”. Escolhi-os não pelo seu valor literário, claro, o que seria presunçoso da minha parte, mas pelo significado profundo que assumem na trajetória do meu luto.

Um filme
As nossas escolhas são sempre condicionadas pelas nossas experiências vivenciais, e não poderia ser diferente neste caso. A minha condição de mãe em luto impeliu-me a escolher O quarto filho, filme vencedor da Palma de Ouro do festival de Cannes em 2001, realizado e interpretado por Nanni Moretti. É um filme profundamente desolador e humano, que retrata a caminhada existencial de uma família após a morte do filho adolescente. O quarto simboliza, no universo objetivo mas também subjetivo, o que sobra do filho morto. O filme mostra, de forma profundamente humana, a experiência devastadora de ressignificar a existência e restaurar a paz interior após a maior amputação que a vida pode proporcionar.

Uma música
In loving memory de Alter Bridge
Escolho esta música pelo significado da letra, pelas recordações que me traz… e por tanto, que não consigo dizer.



Uma personalidade
António Damásio


António Damásio é um neurocientista português que trabalha no estudo do cérebro e das emoções humanas. As suas investigações tiveram o inegável mérito de pôr em casa a perspetiva tradicional sobre a natureza da racionalidade, demonstrando que a expressão racional está baseada em emoções. Segundo Damásio, quer do ponto de vista fisiológico quer funcional, e contrariando a tradição racionalista/ cartesiana, as emoções e as cognições não são entidades autónomas, não se devendo por isso excluir as emoções e os sentimentos de qualquer conceção geral da mente humana. Embora emergentes de uma área científica específica, concretamente da neurologia, estas descobertas tiveram, e têm, ampla ressonância em áreas do saber que me são mais próximas, como a filosofia e a psicologia. 
Ana Pinto e Rita Almeida

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

amanhã regressam "as escolhas de..."






Que rosto da escola vamos conhecer melhor? Não perca.
Até amanhã!

"He and She" de novo ativo

O Projeto Promoção da Saúde do nosso Agrupamento criou em 2010 um blogue: He&She. O nome do blogue foi dado por alunos de várias turmas de 8ºano que, na altura, propuseram vários nomes e este foi o mais votado.

O blogue não tem estado sempre ativo. Em 2016 foi reativado e aqui estamos para partilhar notícias, documentos, dar a conhecer trabalhos na área da saúde e as atividades que nesta área se vão realizando no nosso Agrupamento.

Pode começar já por fazer uma primeira viagem pelo blogue. Vá até lá fazer-lhe uma visita, por aqui.



quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

parabéns à mais bela pelas 110 primaveras!

O ministro da Cultura, João Soares, abre hoje as portas da centenária Livraria Lello e junta-se a um encontro especial entre uma Florbela Espanca e um Camilo Castelo Branco para celebrar o 110.º aniversário daquele ícone arquitetónico do Porto. 
Leonel de Castro/Global Imagens
Se puder, vá até ao Porto. O dia de hoje na livraria Lello é promissor.
“Começamos o nosso dia por receber, e estamos muito sensibilizados por isso, a visita do ministro da Cultura, João Soares, que é um homem dos livros, que é um homem sensível à Cultura e que vem de propósito ao Porto para abrir a porta [da Livraria Lello] connosco, ao fim de 110 anos às dez da manhã pontualmente”, explicou à Lusa José Manuel Lello, administrador da Livraria Lello e bisneto do fundador daquele espaço. 
A Lello, a mais antiga livraria da cidade do Porto, inaugurada em 1906 e classificada como monumento de interesse público em 2013, festeja um século e uma década de existência a partir das 10:00 de hoje com “um dia aberto à cidade”, onde as entradas voltam a ser gratuitas por um dia para os visitantes, informa a gerência. Considerada uma das mais belas livrarias do mundo por alguma imprensa internacional como o jornal The Guardian, que a elevou em 2008 à terceira mais bela do mundo e a estação televisiva CNN em 2014, a Lello vai oferecer também diversos 110 exemplares da obra “A Lágrima” de Guerra Junqueiro e vários momentos artísticos, destacando-se uma performance teatral com atores a fazerem renascer os escritores Florbela Espanca e Camilo Castelo Branco a encontrarem-se pela primeira vez para irem dar os parabéns à Lello. 
Se puder, vá até ao Porto. O dia de hoje na livraria Lello é promissor.
A Livraria Lello, cujas entradas passaram a ser pagas desde julho de 2015 através de um voucher dedutível em livros, vai também dar aos primeiros “mil visitantes (…) um colecionável de fotografias antigas da livraria, tiradas na sua inauguração, em 1906”, lê-se no comunicado enviado à comunicação social. Doçaria portuguesa variada, como bolas de Berlim de Viana do Castelo, jesuítas de Santo Tirso e pastéis de nata de Alcobaça, vão também estar no cardápio de presentes a oferecer aos visitantes da Lello em dia de aniversário, assim como um cálice de vinho de Porto. A Banda Sinfónica Portuguesa vai atuar nas famosas escadarias da livraria com música do seu quarteto de saxofones e, para terminar o dia de festejos, a Irmandade dos Clérigos oferece à Lello e à cidade um concerto da soprano Fabiana Magalhães e Rui Soares no órgão. O momento musical está previsto arrancar pelas 21:00 e, os interessados, podem ouvir composições de Wolfgang Mozart, Giulio Caccini ou Jean-Philippe Rameau. O ministro da Cultura, João Soares, vai assinar no livro de ouro da Lello, onde consta, por exemplo a assinatura do escritor Guerra Junqueiro, enquanto os visitantes vão podem deixar a sua assinatura no livro de honra daquela livraria. @ DV

terça-feira, 12 de janeiro de 2016

escola colorida

Obrigado por embelezarem o nosso espaço de trabalho!


obrigado! desculpe! por favor!

O Dia Internacional do Obrigado ocorre a 11 de janeiro. Foi ontem. O CRESCER gostaria que fosse todos os dias, a par do "Desculpe" e do "Por favor!", palavras mágicas que distinguem quem as usa.
O objetivo do Dia Internacional do Obrigado, criado através das redes sociais,  é simplesmente agradecer a todos aqueles que fazem parte da vida das pessoas e que as ajudam e alegram, só por existirem. Neste dia o mote é dizer “obrigado” às pessoas das quais se gosta, ou demonstrar essa gratidão por gestos.
Mesmo que parecendo insignificante, esta palavra de oito letras pode fazer toda a diferença para quem a recebe, assim como deixar mais feliz quem a profere.
O CRESCER aproveita o mote do dia e diz aos seus leitores, hoje: Obrigado por nos lerem. Desculpem alguma ingerência nas vossas caixas de correio. Por favor, continuem a acompanhar-nos.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

provocação? talvez não

Leitores,
Vejam se é um bom ponto de partida para alguns Projetos de Educação Sexual das turmas? Pode ser interessante espreitar e refletir.

uma apresentação muito NOSSA

No dia 8 de janeiro, as turmas 10ºA, 11ºB e 11ºC tiveram um dia diferente. 
A  Dra. Sandrina Braga veio à nossa escola fazer uma apresentação subordinada ao tema “Sistema Circulatório: aplicações clínicas”. Dizemos nossa, pois a nossa escola foi também a sua escola durante uns anos. É uma nossa ex-aluna, brilhante ex-aluna! Atualmente é médica, com a especialidade de Cirurgia Vascular. 








O anfiteatro foi pequeno para as três turmas, alguns alunos e as duas professoras acompanhantes não tiveram cadeira fixa para se sentar.












Os 90 minutos passaram muito depressa e só a impossibilidade de se prolongar mais a atividade determinou o seu encerramento.


Obrigado, Dra. Sandrina, pela sua disponibilidade! Esperamos que o regresso a casa lhe tenha proporcionado boas memórias. À escola, soube muito bem recebê-la.


domingo, 10 de janeiro de 2016

ó S. Pedro, ó S. Pedro, uma pausa, p.f.!

A chuva é linda, faz falta, mas tem sido muita e seguida. Já chega por agora, sim? Por favor!




As fotos mostram a força da água do Rio Leça e são cortesia de Kátia Araújo.


sobre a petição por um Regime Especial de Aposentação para a Classe Docente


sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

os destaques da semana

A nossa rubrica das sextas-feiras que visa descobrir particularidades de alguns "rostos" da ESÁS volta já na próxima semana. Continuamos a querer conhecer-nos cada vez melhor.
Em sua substituição, hoje, o CRESCER fez as suas escolhas noticiosas e apresenta alguns destaques da semana.
daqui
Com o regresso de quatro feriados ganham-se três pontes em 2016
Provas de aferição já este ano para os alunos do 2.º, 5.º e 8.º. Exames nacionais só no 9.º

Governo extingue modelo de contratação de professores

Tenham um bom fim de semana!

regime especial de aposentação para educadores e professores em discussão HOJE na AR

É hoje que se discute na AR esta proposta para um regime especial de aposentação para educadores e professores. Vejamos se a disponibilidade que os grupos parlamentares mostraram em junho, se mantém.
do SPLIU

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

tenha pilhas de consciência e carregue as baterias do planeta!

A 1ª Recolha é já no dia 15 de janeiro.

Vamos a isso, ajude-nos e livre-se do “lixo”!

Agora que nos encontramos num início de ano, altura de renovação e arrumações e após uma época de prendas e logo de “tralha velha” que fica posta de lado, voltamos a recordar que no âmbito da “Geração Depositrão” podem entregar (até julho)


Pilhas (de comandos, brinquedos, relógios, etc)
-  Baterias de equipamentos como telemóveis e computadores/tablets(bem como carregadores)
Máquinas fotográficas e relógios
Varinhas mágicas e secadores de cabelo
Telefones/Telemóveis e rádios
Televisões, computadores/Tablets, consolas e monitores
Impressoras
Máquinas de café e torradeiras/Tostadeiras
Ferros de engomar
Balanças e facas elétricas.

Tenha pilhas de consciência e carregue as baterias do planeta!

As escolas serão premiadas de acordo com o peso total conseguido até ao fim do ano letivo – a 1ª recolha é feita já na sexta-feira, dia 15 de janeiro. Toca a contribuir e do mesmo modo a poupar espaço lá em casa!

O (nosso) “DEPOSITRÃO” encontra-se no espaço junto à entrada do auditório, na escola sede do agrupamento. Caso tenham alguma dificuldade, falem no PBX ou com a D. Rosa.

NOTA – Para resíduos de equipamentos elétricos e eletrónicos, assim como pilhas/acumuladores, a escola é o ponto de recolha na zona envolvente, quer da comunidade escolar (e conhecidos), bem como de moradores próximos, entre outros. Desta forma evita-se a deposição indevida de substâncias nocivas e a poluição que poderia resultar de um comportamento incorreto, e simultaneamente, rentabilizamos os materiais que provêm da sua reciclagem, não sendo necessário extraí-los da (Mãe) Natureza. Em suma, poupamos os recursos naturais!
As recolhas fazem-se até julho.

Divulgue junto de familiares, amigos e instituições.