Número total de visualizações de página

sexta-feira, 16 de novembro de 2018

histórias de escola (5)

A nossa equipa está no terreno e anda a inquirir elementos da nossa escola sobre "histórias de escola". As questões são sempre as que podem ler abaixo. Desta vez respondeu Rosa Pinelo, uma das professoras bibliotecárias da escola.

1. Que professor mais a marcou e porquê?
2. Qual era a sua disciplina favorita?
3. Que episódio mais a marcou?
4. Alguma vez sonhou ser...?

1. A professora que mais me marcou no meu percurso escolar foi a professora do 1º ciclo. Fiz o ensino primário na minha aldeia natal (Rio Frio – Bragança) e ainda hoje sinto muitas saudades dessa época. Desde logo germinou em mim o gosto pelo ensino que perdurou, como é bem visível, até aos dias de hoje.
Sempre que, na aldeia, encontro a Professora Maria Alice apetece-me agradecer-lhe pelo legado que me deixou.

2. Passamos a outra fase do meu percurso escolar, agora noutro local do país, o nosso querido Porto.
As disciplinas que mais me marcaram foram Francês e Português. O Francês porque era uma nova língua que eu aprendia e o Português porque adorava ler. Na época não tínhamos smartphones e tablets e a leitura era uma janela para o mundo.
No secundário a Filosofia, o Latim e a opção de Jornalismo foram também disciplinas que muito me agradaram.

3. Estudava no Porto e as minhas férias eram passadas em Rio Frio. Foi uma agradável surpresa receber, na aldeia, um postal de Paris escrito em língua francesa pela minha professora de Francês. Senti-me orgulhosa e os meus colegas devem ter sentido exatamente o mesmo.

4. Como já disse uma das disciplinas que frequentei no ensino secundário foi o Jornalismo. Era tudo uma novidade, ouvir falar da estrutura da notícia, no parágrafo guia ou “lead” e toda essa linguagem nova para mim fez-me desejar ser jornalista, mas tal nunca se concretizou.
 O gosto pelo ensino e pela leitura nunca esmoreceu e cá estou eu, professora bibliotecária da escola Básica e Secundária de Águas Santas.
                                                                                                            André Amorim e Luís Crispim

quinta-feira, 15 de novembro de 2018

Alterações climáticas: Reverter o Aquecimento Global


O Programa “O Parlamento dos Jovens - Secundário” será desenvolvido ao longo do ano letivo na nossa escola, podendo culminar com uma Sessão na Assembleia da República.
O Parlamento dos Jovens - Secundário tem como objetivos:
. Incentivar o interesse dos jovens pela participação cívica e política;
. Sublinhar a importância da sua contribuição para a resolução de questões que afetam o seu presente e o futuro individual e coletivo, fazendo ouvir as suas propostas junto dos órgãos do poder político;
. Dar a conhecer o significado do mandato parlamentar e o processo de decisão da Assembleia da República (AR), enquanto órgão representativo de todos os cidadãos portugueses;
. Incentivar as capacidades de argumentação na defesa das ideias, com respeito pelos valores da tolerância e da formação da vontade da maioria.

Em 2018/2018 o tema a ser tratado é: “Alterações climáticas: Reverter o Aquecimento Global”.
O Regimento do Programa é elaborado com base no Regimento da Assembleia da República. É composto por Disposições Gerais, Regulamento Eleitoral, Regulamento da Sessão Escolar, Regulamento da Sessão Distrital/Regional, Regulamento das Comissões e Regulamento da Sessão Nacional. Estes documentos podem ser consultados no site http://www.jovens.parlamento.pt/
Resumindo, para poderes ir à Sessão Nacional na Assembleia da República vais ter que ser eleito pelos teus colegas em três etapas diferentes. Dá algum trabalho ser eleito deputado! Mas é bom!... Na Sessão Nacional, só participam cerca de 120 jovens, que vão estar a representar todo o país.
Quais são as etapas para ser eleito deputado à Sessão Nacional?
1.ª Precisas de ser eleito para a Sessão Escolar – isso é fundamental –, tens de ser um legítimo representante da tua escola.
2.ª Nessa Sessão Escolar tens de convencer os teus colegas de que sabes defender as tuas ideias e as recomendações aprovadas na escola, para que eles te elejam para a Sessão Distrital/Regional.
3.ª Nas Sessões Distritais/Regionais vão ser eleitas, pelos jovens deputados, as escolas que, posteriormente, vão representar o distrito ou a região autónoma na Sessão Nacional.

Regista estas datas
Data limite de entrega de listas é dia 11/01/2019
 Campanha eleitoral decorre de 14 a 18 de janeiro de 2019
As eleições são dia 21 de janeiro de 2019
 A sessão escolar, o debate, é dia 24 de janeiro de 2019.

A Comissão Eleitoral é constituída pela Professora Carmen Madureira, Professora Isilda Viana, Professor António Leite e os alunos: Tiago Velho, Sofia Brandão e Diogo Lemos e Filipa Melo.
Participa!

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Dia do Diploma: 16 de novembro

Segue um convite da Direção dirigido às turmas do 12º ano do ano letivo 2017/18.



Vai realizar-se o Dia do Diploma, no próximo dia 16 de novembro, pelas 18:45. Será, certamente, uma belíssima oportunidade para estes ex-alunos voltarem à escola e reverem colegas e professores.

terça-feira, 13 de novembro de 2018

escola colorida

foto do blogartes


A arte dos nossos alunos e professores é grande e cada vez mais visível na escola. 


Quem fica indiferente às silhuetas criadas com base nas peças do jogo Tangram? 


A turma do 11.º A, do Curso de Artes Visuais, construiu silhuetas do corpo humano. 


Os trabalhos podem ser vistos nas paredes de vidro da reprografia da nossa Escola. 

os trapezistas já chegaram!



A informação e o convite chegou via e-mail. O CRESCER reforça a informação.



É necessário visitar o pavilhão A2 para ver e apreciar os Trapezistas, criados pelos alunos do 10ºF, na disciplina de Desenho. 



Uma visita ao local permite ver ao vivo as figuras que o animam e visitar o blogartes permite apreciar todo o processo de criação.



O CRESCER ilustra a notícia com uma foto do blogartes, para motivar a visita.



segunda-feira, 12 de novembro de 2018

o Cinemaescas criou um espaço e já tem novidades


Cinemaescas criou um espaço onde vai disponibilizar filmes completos do Plano Nacional de Cinema. 
Para ter acesso a esse espaço tem de ser seguidor desse blogue. Esta semana já lá está o filme  "Aquele Querido Mês de Agosto". 
Tenha acesso a  bons filmes, tornando-se um seguidor do Cinemaescas

missão espacial: o veloz mensageiro vindo de longe

O que será este objeto de tonalidade avermelhada?
Será uma nave espacial camuflada?
Será de uma civilização alienígena avançada para espiar a Terra?

Para além dos astros de grandes dimensões que encontramos no céu noturno, tais como estrelas e planetas, existem muitos outros de menor dimensão que surgem com menor frequência e que, porventura, nem sequer os podemos ver à vista desarmada. Destes vou referir os cometas e os asteroides.
Identificamos os cometas pelo modo como se mostram no céu quando estão próximos do Sol. É então que a luz intensa do Sol aumenta a temperatura da sua superfície, de tal modo que provoca a volatização do gelo que se encontra próximo da sua superfície. Os vapores, conjuntamente com poeiras, são ejetados do cometa a grande velocidade, funcionando como pequenos jatos que aceleram ou retardam ligeiramente o cometa.
Por curiosidade, a cauda do cometa, formada por este material ejetado, está sempre voltada para o lado oposto do Sol. Isto acontece porque o vento solar e a radiação intensa exercem uma pressão que as arrasta radialmente e para longe.
Ao contrário, os asteroides são rochosos e por isso não têm material a volatizar. Sem jatos de matéria o seu movimento é determinado apenas pela gravidade do Sol e, porventura, pela aproximação de algum planeta.
Recentemente, em novembro de 2017, a NASA descobriu um pequeno astro com uma forma alongada de cerca de 400 m de comprimento e aproximadamente 40 m de largura e altura.
Como quando estava próximo do Sol não apresentava cauda, concluiu-se que o novo astro era um asteroide. Além disso, pela sua trajetória e velocidade - na posição mais próxima do Sol a sua velocidade alcançou quase 88 quilómetros por segundo, o que é superior à velocidade de escape - pode-se concluir que o asteroide tinha origem extrassolar.
Nomearam-no de “Oumuamua” que significa, em havaiano, o mensageiro veloz vindo de longe.
Aconteceu que, após Oumuamua ter contornado o Sol e iniciar o seu afastamento, tinha uma variação de velocidade em cada intervalo fixo de tempo (a aceleração) ligeiramente superior à que se esperaria se estivesse sujeito apenas à gravidade, como é característico nos asteroides. Este facto poder-se-ia explicar se Oumuamua fosse, antes, um cometa.
A indefinição do asteroide ou cometa ficou patente na apresentação deste astro num artigo científico. Esta indefinição, conjuntamente com a forma alongada do astro, alimentou especulações.
Será que Oumuamua é uma nave espacial enviada por uma civilização mais avançada para nos espiar? Será que este astro é o destroço de alguma grande nave? Será que é uma nave vindo do futuro para nos espiar? Para alguns, o mistério adensou-se…
Como durante a passagem de Oumuamua pelo Sistema Solar foi observada por telescópios, inclusive pelo Hubble, e por radiotelescópio e não foi detetada alguma atividade ou emissão de radiofrequências, como seria de esperar de uma civilização avançada, estas hipóteses foram menorizadas.
Foi, sim, o primeiro astro que atravessou o Sistema Solar vindo do exterior a ser observado. Por este motivo, foi catalogado pela União Astronómica Internacional por “1i”, por ter sido o primeiro objeto de uma nova classe de astros, os interestelares.
A passagem do mensageiro vindo dos confins do Universo foi rápida e esteve a uns “meros” 300 milhões de quilómetros da Terra.
Agora, Oumuamua afasta-se a grande velocidade do Sistema Solar numa viagem interminável no escuro espaço interestelar. Provavelmente, daqui a alguns anos até o seu nome estará esquecido.
Outros poderão vir? Provavelmente, sim. Os astrónomos procuram-nos. Poderá ser que, o próximo, no pouco tempo da sua visita, seja mais intensamente explorado. Os astrónomos estão-se a preparar para isso e até pode ser que encontrem alguma nave espacial!
 Sérgio Viana

sexta-feira, 9 de novembro de 2018

histórias de escola (4)

A nossa equipa está no terreno e anda a inquirir elementos da nossa escola sobre "histórias de escola". As questões são sempre as que podem ler abaixo. Desta vez respondeu Zulmira Pereira,  uma das técnicas auxiliares responsáveis pelo pavilhão 1.

1. Que professor mais a marcou e porquê?
2. Qual era a sua disciplina favorita?
3. Que episódio mais a marcou?
4. Alguma vez sonhou ser...?


1. O professor que mais me marcou foi a minha segunda professora do segundo ano pois, nesse mesmo ano, tinha reprovado e como a professora não era a mesma do ano anterior, percebeu que eu tinha capacidade para mais e colocou-me na sua turma do terceiro ano.

2. Definitivamente, História, mas a história mais antiga pelo simples facto de sempre me ter fascinado "quem éramos", "o que fizemos" e "o que somos capazes de fazer".

3. O episódio que mais me marcou ocorreu na reta final da segunda classe, quando, acidentalmente, deixei cair ao chão um objeto junto ao quadro e a professora bateu-me tanto nas mãos que eu nem as conseguia fechar .

4. Este não era de forma nenhuma o meu sonho, isto foi um acidente de percurso. Apesar disso, neste momento, gosto muito do que faço sendo uma espécie de adaptação do meu sonho, que era na verdade viajar pelo mundo! 

Beatriz Pinto e Inês Mendes

quinta-feira, 8 de novembro de 2018

a Junta de Freguesia de Águas Santas procura artistas locais

O CRESCER teve conhecimento desta iniciativa e divulga-a.

A Junta de Freguesia de Águas Santas pretende ser um parceiro para a divulgação e promoção dos artistas da Freguesia. Assim, iremos promover nos próximos meses, o Registo dos Artistas da Freguesia. Esta iniciativa pretende recolher informação sobre as pessoas que se dedicam a qualquer forma de arte, para que possamos conhecê-los e apoiá-los na promoção dos seus trabalhos.
Enquadrado na política de dinamização da Freguesia, um dos projetos a desenvolver passa pela promoção de uma Mostra Permanente dos Artistas da Freguesia. Para isso, precisamos de conhecê-lo, para o convidar a expor os seus trabalhos. Assim, solicitamos que faça o seu registo, preenchendo a Ficha de Inscrição aqui disponível e enviando-a para o endereço: geral@jf-aguassantas.pt.
Conhecedores das inúmeras pessoas que se dedicam a diversas formas de arte em Águas Santas, estamos convictos de que este será um movimento dinamizador e de um grande envolvimento cívico e que surpreenderá todos através do talento presente na nossa freguesia.
Contamos consigo!

olh'ó Jornal da Tarde!

É o jornal do prolongamento do jardim de infância de Moutidos. É o número 80 e relativo ao mês de outubro.

cortesia de Ricardo Mazzei

quarta-feira, 7 de novembro de 2018

o "Geoatualidades" insiste no tema da erosão costeira

Está na ordem do dia esta preocupação. Tanto mais que, agora, parece haver um Plano de Ação Litoral que inclui medidas de planeamento e prevenção, de proteção da zona costeira e relocalização de construções nas zonas de risco. 

Por isso, o projeto "Geoatualidades de cá e de lá" volta ao tema com mais uma notícia.

Portugal é um dos países europeus mais afetados pela erosão costeira. Nas zonas mais expostas, a linha de costa já recuou cem metros.
A erosão é mais grave no centro e norte do país. Em Esposende, o mar tem vindo a aproximar-se das casas, nomeadamente em Cedovém e Pedrinhas. Foram colocados troncos de madeira e pedras para tentar travar as investidas das ondas.
                                                                              Clima@Edumedia
Os proprietários de casas (de segunda habitação) queixam-se de algumas opções tomadas pelas autoridades. "O mar está a encarregar-se naturalmente e infelizmente de ir comendo a areia, mas do norte para sul foram postos esporões que prejudicaram exatamente as dunas", realça Rui Lages.
O vice-presidente da Agência Portuguesa do Ambiente e presidente da Polis Litoral Norte, Pimenta Machado, reconhece que a construção de esporões para consolidar mais a norte, pode provocar problemas de erosão a sul, mas diz que são sempre feitas análises custo-benefício antes de qualquer intervenção.
Pimenta Machado diz que o plano para o litoral português inclui medidas de planeamento e prevenção, de proteção da zona costeira e relocalização de construções nas zonas de risco.
"Aquilo que temos previsto no nosso modelo é que esse recuo se vai intensificar agora com o efeito das mudanças climáticas. Vai acelerar e intensificar a erosão costeira em Portugal e é algo que nós temos de lidar com muito cuidado para mantermos a linha de costa", diz Pimenta Machado.
A aposta do Ministério do Ambiente consiste agora na alimentação artificial de praias. Vão ser colocados 35 milhões de metros cúbicos de areia nas zonas mais vulneráveis. Um especialista da Universidade do Porto diz que a medida só peca por tardia.
"Com o agravamento da situação e face às situações que nós herdamos há algo mais a fazer e em muitos casos soluções técnicas que já foram propostas há 40, 30, 20, 10 anos, nomeadamente a alimentação artificial de praias, que não tem sido feita ou quando muito tem sido feito na zona imersa, ou seja, debaixo de água, o que é muito pouco eficiente", afirma o professor Fernando Veloso Gomes da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.
Os geocilindros são outro dos recursos que as autoridades portuguesas têm usado para tentar travar o mar e proteger as casas em Esposende, mas alguns não têm resistido à força do Oceano Atlântico. @ Euronews
                                                                                                                             

terça-feira, 6 de novembro de 2018

uma visita à fábrica de lápis Viarco e ao Museu de Chapelaria


No dia 30 e 31 de outubro as turmas do 6º ano foram visitar a fábrica do lápis Viarco e o Museu da Chapelaria. 
Saímos da escola já organizados em grupos.
Metade do dia foi ocupado para fortalecermos as relações entre os nossos colegas e os professores que nos acompanharam.
Na fábrica do lápis percebemos como se faz um lápis, os materiais que o constituem bem como todas as etapas de fabrico. 


 No museu da chapelaria pudemos aprender a fazer um chapéu de pêlo de coelho.



Em ambas as visitas recordamos assuntos tratados nas aulas de Educação Visual e Tecnológica nos temas “materiais e processos de transformação”.
cortesia dos alunos de Armandino Vilas

Halloween nas escolas do agrupamento

     No âmbito da área curricular de Inglês, o Halloween foi celebrado nas escolas do 1.º ciclo do nosso agrupamento com uma fantástica exposição de chapéus de bruxa/feiticeiro elaborados pelos alunos dos 3.º e 4.º anos, com a preciosa ajuda dos respetivos encarregados de educação. A participação superou as expetativas, estando todos de parabéns pela dedicação, empenho e criatividade demonstradas. As exposições contaram com a presença de ilustres visitantes desde a pré até ao 4.º ano. Esta atividade decorreu, também, em parceria com os professores de Inglês do 2.º ciclo que receberam os melhores trabalhos de cada ano e escola, para a exposição na Biblioteca Escolar da escola sede.






cortesia de Ana Sobral e Rosa Azevedo

segunda-feira, 5 de novembro de 2018

eleventhB11Blog



A turma do 11º B abraçou a proposta que lhe foi sugerida de criar um blog, onde publicariam artigos em Inglês sobre as matérias que mais lhes chamem a atenção nas diversas disciplinas. 

Aqui fica a informação sobre este blog no nosso jornal, para poder ser visitado por toda a comunidade escolar. Esta é a morada: https://10besas2017.wixsite.com/11blog do 11B' blog

cortesia de Eugénia Fernandes

sexta-feira, 2 de novembro de 2018

histórias de escola (3)


A nossa equipa está no terreno e anda a inquirir elementos da nossa escola sobre "histórias de escola". As questões são sempre as que podem ler abaixo. Desta vez respondeu Isaura Lima, chefe dos serviços administrativos.

1. Que professor mais o marcou e porquê?
2. Qual era a sua disciplina favorita?
3. Que episódio mais o marcou?
4. Alguma vez sonhou ser...?

1. A professora que mais me marcou foi a professora de Português, porque era uma pessoa muito humana e muito amiga de ajudar os alunos nas suas dificuldades. No ano seguinte tive outra professora de Português que não ensinava nada, muito menos era capaz de tirar-nos dúvidas. Era a professora do ano anterior quem nos tirava as dúvidas e nos preparava para os testes nas suas horas livres.

2. As minhas disciplinas favoritas eram Geografia e Direito Comercial.

3. O que mais me marcou no meu pequeno percurso escolar foram as convulsões após o 25 de abril de 1974. Havia greves diárias contra os exames e contra os testes. Como só eu e uma colega não fazíamos greve, a turma andava atrás de nós a chamar-nos “chocas” e outros nomes mais pesados.

4. O meu sonho era ser enfermeira.

                                                                                                                                                                                                               Eva Mendes e Francisca Vieira

escola colorida

Há tantos espaços maravilhosos na nossa escola feitos pelas mãos dos nossos artistas! Vejam só.