Número total de visualizações de página

quarta-feira, 18 de abril de 2018

texto de autor



Como é habitual nesta rubrica, publicamos textos da responsabilidade dos seus autores. É com muito agrado que hoje se publica um poema da autoria da avó de uma nossa aluna.


Apreciem.


SAUDADE

À noite quando me deito
Na cama que é o meu fado
Minha almofada são penas
Por não te ter a meu lado.
O lençol que me cobre
É lenço prás minhas lágrimas
O cobertor não aquece
Coração cheio de mágoas.
No sono que nunca chega
Sonho contigo, amor
Porque te julgo a meu lado
Pressupondo o teu calor.
De manhã quando acordo
Da noite sem ter dormido
Eu volto a adormecer
Só para sonhar contigo.
Ao nascer da alvorada
Eu continuo acordada
E o dia nasce sem dó
Prevalecendo a noite 
Porque  continuo só.
Para mim a noite e o dia
Têm a mesma claridade
Os meus olhos já cegaram
Pela força da saudade.
Ninguém morre de saudade
Tantas vezes já ouvi
Mas não pode ser verdade
Meu coração vai morrendo
Aos pedacinhos por ti.


Rosa Pinto 

Sem comentários: