Número total de visualizações de página

segunda-feira, 26 de março de 2018

interrupção da Páscoa

Enquanto a escola para (parece parar) para as avaliações de 2º período e prepara o 3º e último período do ano letivo, o CRESCER fornece uma explicação para o fenómeno dos ovos de chocolate que invade a vida de todos nós.
Tenham uma doce interrupção letiva!
O ovo de chocolate é um dos maiores símbolos da Páscoa nos dias de hoje. Para os cristãos, é na Páscoa que é celebrada a morte e ressurreição de Jesus Cristo e, nessa ocasião, as pessoas costumam presentear amigos e familiares com ovos de chocolate. Mas qual a relação entre a celebração de caráter religioso e os ovos de chocolate?
Apesar de a Páscoa simbolizar a ressurreição de Jesus, o ovo de Páscoa não tem nada a ver com isso, uma vez que surgiu na Antiguidade, bem antes do cristianismo se tornar uma religião. Na verdade, muitos povos no Mediterrâneo, Leste Europeu e no Oriente davam ovos coloridos para celebrar a chegada da primavera, realizando rituais de adoração para a deusa da Primavera: Ostera. A deusa era representada na figura de uma mulher que observava um coelho saltitante enquanto segurava um ovo com as mãos. Havia na imagem três símbolos do ideal de fertilidade comemorado entre os pagãos: a mulher, o ovo e o coelho.
Em 325 a.C, os clérigos queriam ampliar o número de fiéis ao cristianismo e adaptaram aos eventos cristãos algumas tradições antigas e símbolos religiosos. Foi aí que surgiu a prática de associar o ovo com a Páscoa. A adoção dos ovos como símbolo da Páscoa está ligada ao fato de que o ovo simboliza o nascimento, a vida que retorna, a ressurreição de Cristo.
No entanto, naquela época, os ovos não eram comestíveis, muito menos de chocolate, como conhecemos atualmente. O chocolate surgiu entre os Maias e os Astecas, e foi pelas mãos dos espanhóis que chegaram ao Velho Mundo. Foi quando, 200 anos depois, os franceses tiveram a ideia de fabricar os primeiros ovos de chocolate da História, que logo ganharam grande aceitação e popularidade na celebração da Páscoa, prevalecendo a tradição até aos dias de hoje. @ daqui

sexta-feira, 23 de março de 2018

Maia no "New York New York"


Todas as sextas-feiras a Rádio Comercial pega no clássico "New York, New York" e transforma a letra num hino a uma cidade, vila ou aldeia de Portugal. Hoje foi a vez da Maia com o seu Parque dos Moutidos e o bacalhau à lidador.

notícias da UAEM da Pícua



Como habitualmente, vivenciamos os momentos do nosso dia-a-dia. Com a chegada da primavera, realizamos trabalhos alusivos ao tema. Preparamos uma sobremesa de flores da primavera de fruta.

Esta semana comemorou-se o Dia do PAI e os alunos da UAEM da Pícua elaboraram um pequeno presente.

Desejamos a toda a comunidade escolar uma Feliz Páscoa.

UAEM da Pícua


vem aí Ping Pong

Os resultados da eleição da proposta para o Orçamento Participativo dos alunos são:

Votos na proposta "PingPong+": 211

Votos nulos: 2

XII Edição dos Dias da Informática, 2018

Realizou-se nos dias 21 e 22 de março a XII Edição dos Dias da Informática, uma iniciativa dos professores do grupo de Informática com a colaboração dos alunos dos Cursos Profissionais de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos.
Mais uma vez, foram dois dias de muitas atividades planeadas em função dos nossos alunos. O programa completo pode ser consultado em https://diasdainformatica.aescas.net.
Para ver ou rever, deixamos-vos aqui um vídeo com algumas imagens do dia 1 (em alternativa veja em https://youtu.be/ktkvpziz1Zw).
cortesia de Jorge Silva

quinta-feira, 22 de março de 2018

chegaram ao fim os torneios de andebol


Terminou o Torneio Interturmas de Andebol do ensino secundário. Foi um evento com uma grande adesão da comunidade educativa, que contou com a presença de cerca de 230 alunos, distribuídos por 23 equipas (18 equipas masculinas e 5 equipas femininas) e que consagrou a turma do 10.º B, como campeã na competição masculina e feminina. De salientar ainda, as turmas do 10.º E e 11.º E, que ficaram em segundo lugar, na competição masculina e feminina, respetivamente. 

Estão todos de parabéns, pela demonstração de esforço, solidariedade e espírito de equipa.

faltam dois dias!







Faltam dois dias para o final do período e a Escola desdobra-se em atividades.



                                                                                                                                                         
São "os dias da informática", são os torneios de andebol, são as avaliações finais a decorrer, são as reuniões que se avistam, são as preparações para o 3º período...


Enfim, ainda o período não acabou, já tudo parece ter chegado ao fim.


Mas, calma, ainda faltam dois dias para a interrupção letiva!

quarta-feira, 21 de março de 2018

um poema no dia da poesia

Dia Mundial da Poesia celebra-se todos os anos em 21 de março.
A data foi criada na 30ª Conferência Geral da UNESCO em 16 de novembro de 1999.
A escolha do CRESCER:
URGENTEMENTE
Eugénio de Andrade
É urgente o amor 
É urgente um barco no mar 

É urgente destruir certas palavras, 
ódio, solidão e crueldade, 
alguns lamentos, muitas espadas. 

É urgente inventar alegria, 
multiplicar os beijos, as searas, 
é urgente descobrir rosas e rios 
e manhãs claras. 

Cai o silêncio nos ombros e a luz 
impura, até doer. 
É urgente o amor, é urgente 
permanecer. 


Eugénio de Andrade, in "Até Amanhã" 

terça-feira, 20 de março de 2018

à descoberta da Biodiversidade


Biodiversidades pela Bruna Rocha, do 8º I.

Chapim-real
Parus major Linnaeus 1758

Descrição
C 13-15 cm
O maior dos chapins, facilmente identificado por partes inferiores amarelas com barra central negra, cabeça preta e manchas das faces brancas. O dorso é verde. Patas e bico fortes.
Distribuição global
A espécie distribui-se pela Europa, noroeste de África e pela maior parte do continente asiático.
Distribuição nacional
Distribui-se de norte a sul.
Habitat
Frequenta habitats florestais de folhosas e resinosas, para além de jardins, pomares e matas ribeirinhas.
Alimentação
Alimenta-se de insetos.
Águas Santas
Aparece, sobretudo, em parques e jardins.
Reprodução
Inicia-se a meados de abril, situando-se o ninho em buracos de árvores. Põe 8 a 13 ovos, incubados pela fêmea durante 13 a 14 dias. Os juvenis permanecem no ninho por 16-22 dias.
Referências
Equipa Atlas (2008). Atlas das aves nidificantes em Portugal (1999-2005). Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade, Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves, Parque Natural da Madeira e Secretaria Regional do Ambiente e do Mar. Assírio & Alvim. Lisboa.
Mullarney, K., Svensson, L., Zetterstrom, D. & Grant, P.J. (2003). Guia de Aves. Guia de campo das aves de Portugal e Europa. Assírio & Alvim. Lisboa.

sexta-feira, 16 de março de 2018

vêm aí ... "Fragmentos"

O grupo de teatro da escola vai apresentar aos alunos de 12º e aos seus professores a peça "Fragmentos" , baseada nas várias obras de estudo do programa de Português de 12º ano.
É já no dia 10 de abril (segundo dia de aulas do 3º período) e haverá lugar para 3 sessões.
Para a comunidade, será feita uma sessão no auditório da Junta de Freguesia de Águas Santas, no dia 19 de abril.
Ficamos ansiosamente à espera.

quinta-feira, 15 de março de 2018

um prémio para um professor

É provável que haja muitos e merecedores professores para este galardão, porém distinguir um é distinguir o trabalho de milhares. Ou não? Candidate-se ou proponha um professor que o tenha marcado. Proponha ou candidate-se em globalteacherprizeportugal.pt
(O prazo foi alargado até 25 de março) 



A Evolução de um país mede-se pela qualidade da sua educação. Num tempo tão desafiador, de tantas e grandes mudanças, investir na educação é investir nos nossos filhos, nas nossas famílias, na qualidade de vida do país, na economia, no desenvolvimento e, sobretudo, na felicidade das nossas crianças.
Partilhar ideias e experiências é uma forma de encontrar novas soluções.
O prémio, no valor de €30.000, será entregue anualmente a um professor, como celebração do seu trabalho excecional e do contributo extraordinário para a sua profissão.

quarta-feira, 14 de março de 2018

morreu uma mente brilhante


O professor universitário Carlos Fiolhais afirma que a morte de Stephen Hawking representa a partida de um pensador brilhante.

Carlos Fiolhais considera que Hawking é um dos nomes mais importantes da ciência do seculo XX que só não recebeu o Nobel da Física porque muitas das questões que levantou estão ainda sem resposta.

Para o professor, Hawking deixa muitas perguntas que vão ocupar os cientistas durante décadas e é um exemplo notável de luta contra a doença. @ RTP

terça-feira, 13 de março de 2018

Sealife e Kartódromo

Hoje os 10ºs anos J e K vão embarcar numa aventura por terras do Porto e Matosinhos. 

De manhã vão descobrir a biomecânica numa visita ao Sealife


Após o almoço vão descobrir e vivenciar a condução de Karts no Kartódromo de Perafita

acompanhados pelas Professoras Carla Alves e Filomena Madureira.



Vruuuuuuuuuuuuuuummmmmmmmmmmmmmmmm!

segunda-feira, 12 de março de 2018

de Moutidos... com ternura






"atrás do nosso olhar, há uma história por contar"

Tal como o CRESCER anunciou, decorreu na sexta-feira passada, à noite, a Inauguração da Exposição do 12.º E
quem fez o quê?
Consultem o blogartes de modo a poderem visualizar, foto a foto, o que aconteceu. Estamos certos que todos os presentes, e as famílias em especial, ficaram muito orgulhosos com o produto apresentado.

sexta-feira, 9 de março de 2018

prémios e leituras




Decorreu na Biblioteca a entrega de prémios do Concurso "Traçando Leituras". Foram entregues pelo senhor Diretor diplomas e  presentes aos três premiados do 3º ciclo e aos três premiados do ensino secundário. Foram igualmente agraciados alunos aos quais foram atribuídas menções honrosas. 



Parabéns a todos os concorrentes e aos respetivos professores de Educação Visual e de Desenho A.

Os trabalhos a concurso podem ser apreciados na Biblioteca Escolar.

Os meninos do "Clube de Leituras" abrilhantaram o momento com declamação de poemas de Fernando Pessoa e uma aluna de 10ºano interpretou, cantando e musicando, um poema de Pessoa. (ver blogue da Biblioteca)

quinta-feira, 8 de março de 2018

para "A mulher mais bonita do mundo"

É necessário saber porque há "dias de...".  

Hoje comemora-se o Dia Internacional da Mulher porque, no dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.
A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.
Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o "Dia Internacional da Mulher", em homenagem às mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU(Organização das Nações Unidas). (daqui)


A homenagem do CRESCER às mulheres faz-se pela palavra, escrita e dita.
O escritor José Luís Peixoto escreveu o texto "A mulher mais bonita do mundo" e o Dizedor disse. Aqui fica, para que possam apreciar a conjugação de um excelente texto com um excelente diseur.

alunos e famílias não acreditam que estudar compense

"Estudo pedido pelo Governo mostra que os portugueses estão pouco informados sobre a oferta e os apoios existentes. Persistem as expectativas negativas relativamente ao retorno de uma qualificação superior."
NELSON GARRIDO

"As bolsas de acção social, os cursos superiores profissionais e as diferentes modalidades de entrada no ensino superior são realidades que passam ao lado de muitos estudantes e famílias. As conclusões são de um estudo encomendado pela Direcção-Geral do Ensino Superior (DGES) e levam a sua autora, Diana Aguiar Vieira, que é investigadora e pró-presidente do Instituto Politécnico do Porto, a afirmar que os portugueses “não conhecem o ensino superior”." (ler notícia completa @ PÚBLICO)

quarta-feira, 7 de março de 2018

uma semana dedicada à leitura

Era bom que fossem todas as semanas, mas esta consagra a leitura como algo maior. Apreciem o  programa e, para quem está na escola sede, o momento de amanhã pelas 10h05m na Biblioteca.


para além do nosso olhar, há uma história por contar



Os alunos do 12º E, do Curso Geral das Artes Visuais, e a professora Cristina Magalhães vão apresentar os trabalhos desenvolvidos ao longo do ano numa exposição coletiva "Para além do nosso olhar, há uma história por contar", no dia 9 de março, às suas famílias e aos seus professores.

terça-feira, 6 de março de 2018

o "Turismo" na BTL 2018




No passado sábado, dia 3 de Março, os alunos do Curso Profissional de Técnico de Turismo efetuaram uma visita técnica à Bolsa de Turismo de Lisboa – 2018.

Esta atividade permitiu a todos os intervenientes tomar contacto com o que se passa no setor do turismo e quais as tendências atuais.

Na edição deste ano estiveram em destaque a Região Centro e o município de Pampilhosa da Serra. Marrocos foi o país convidado.


Para saber mais siga #CantSkipPortugal

cortesia texto e fotos de Isabel Garção

quem será o vencedor?

É  já no dia 14 deste mês, pelas 15h30m,  que será tomada a decisão final. Afinal, quem será o "MiniChef" Moutidos?


cortesia de Ricardo Mazzei

segunda-feira, 5 de março de 2018

Ler... com o Gonçalo


Todos gostamos de uma sugestão de leitura. E acreditamos mais em algumas sugestões do que noutras. O Gonçalo Morais, nosso aluno de 12º ano, gosta muito de ler e sugere um livro que todos, certamente, gostaram ou vão gostar de ler.

Fiquem com 1984, de George Orwell


Atualmente, quando ouvimos o título do livro (1984) somos remetidos para um passado pouco distante, contudo, quando a obra foi publicada (em 1949), não era esse o objetivo, mas sim o contrário, que nos remetesse para um futuro pouco longínquo.
Sendo assim, Orwell, através de uma narrativa não muito complexa, consegue-nos transportar para um mundo completamente diferente e inimaginável (que, para mim, apenas Saramago consegue, no “Ensaio sobre a cegueira”, mas isso fica para outra altura) onde estamos constantemente a ser vigiados através de uns aparelhos chamados “telecrãs”, uma espécie de televisão com uma câmara incorporada, com a curiosidade de não se poder desligar o som completamente e sem nunca sabermos se e quando é que alguém nos estava a vigiar.
Esta era a realidade encarada por Wiston Smith, um homem como todos os outros, mas que acreditava que o mundo talvez já tivesse sido diferente, apesar de temer na mesma a vigilância constante e daí agir com muita cautela.
Por outro lado, numa análise mais séria, vemos que este livro serve de aviso em pelo menos duas perspetivas, esta sociedade ergueu-se no final da segunda guerra mundial, um período de fragilidades a todos os níveis e não podemos esquecer que vivemos climas de tensão equiparáveis aos da guerra fria. Para além do mais, também serve de alerta para como a vigilância constante pode ser prejudicial, na medida em que deixamos de agir livremente, não de forma forçada, mas de forma “forçosa”, para relatarmos constantemente a nossa vida.
Assim, faço um apelo a todos para que leiam a obra, que nos “transporta” e cativa a cada momento, levando-nos a pensar melhor na nossa existência, e fazendo-nos perspetivar um futuro praticamente inimaginável mas que pode estar muito próximo, se não nos acautelarmos.
 Gonçalo Morais

a natureza no Complexo Turístico de Rilhadas

Os alunos de 9.º ano inscritos em EMRC puderam passar um dia em contacto com a natureza no Complexo Turístico de Rilhadas em Fafe.


Estas atividades também permitiram que todos convivessem de uma forma mais próxima, num ambiente descontraído e de grande beleza paisagística.



No final, todos sentiram que tinha sido muito bom viver este dia diferente!


cortesia texto e fotos de Emanuel Mesquita

compreender o lema "Ora et labora" no Mosteiro de Tibães

Para dar a conhecer o dia a dia daqueles que optaram pela vida monástica, os alunos de 8.º ano de EMRC visitaram o Mosteiro de Tibães em Braga. 



Descobriram que os monges beneditinos se dedicavam a praticar o lema "Ora et labora" e viviam em perfeita harmonia com a natureza que os rodeava na cerca do seu mosteiro.
Não só extraíam os produtos que consumiam diariamente, como também experimentavam novas "receitas" de medicamentos naturais para tratar os mais necessitados através da sua botica, antecessora das atuais farmácias. Todos ficaram espantados com a biodiversidade presente neste paraíso natural.
Infelizmente o mosteiro teve que ser abandonado, como todos os outros em 1834, e assim permaneceu até aos anos 80 do século passado. Nessa altura o Estado Português adquiriu-o e iniciou obras de restauro que ainda não estão concluídas. A visita a todas as instalações permitiu compreender como era o quotidiano dos monges beneditinos e a complexidade da sua arquitetura.
O dia conclui-se com um conjunto de atividades que proporcionaram um convívio saudável no Complexo Turístico de Rilhadas em Fafe.
cortesia texto e fotos de Emanuel Mesquita

em prol da "conversão ecológica" dos nossos comportamentos

Para vivenciar um dia de contacto com a Natureza, os alunos de EMRC do 7.º ano estiveram na Quinta de Pentieiros, usufrindo da paisagem das Lagoas de Bertiandos e S. Pedro d'Arcos em Ponte de Lima.

Passando um dia imersos na realidade quotidiana de uma quinta, puderam experimentar atividades agrícolas, a criação de animais, os cuidados a ter com  cavalos e póneis e, ainda, experimentar algumas  atividades hípicas.

No final de um dia cheio de atividades e de muito convívio, ficou a certeza de que todos necessitamos de cuidar da nossa "casa comum".
O Papa Francisco chama a atenção para essa necessidade através da Carta Encíclica "Laudato si" afirmando que precisamos de fazer uma "conversão ecológica" dos nossos comportamentos.

cortesia fotos e texto de Emanuel Mesquita


quase 40.000 na última edição da "QUALIFICA"


Os alunos do Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos participaram no dia 2 de março numa visita de estudo à QUALIFICA – Feira de Educação, Formação, Juventude e Emprego.
A QUALIFICA é uma feira que pretende dar resposta às dúvidas e inquietações dos jovens, apresentando todo um leque de oportunidades para os que estão à procura de novos rumos e saídas profissionais. Assim o comprovaram os cerca de quarenta mil visitantes da última edição, que deram nota máxima à QUALIFICA, como principal evento deste setor.
Os alunos tiveram também a oportunidade de participar numa dinâmica promovida pela DGE com o tema “Future Classroom Lab”.

cortesia texto e fotos de Teresa Paulo

sexta-feira, 2 de março de 2018

“So you think you can…in English?”


Picking the best performances of the day was no easy task. 
Everybody did quite well, but  the winners are:              
 Best Overall Performance-Joana Sousa 9ºF

 Best Magic Performance-Miguel Costa 10ºA

 Best Comedy Performance-João Mendonça 10ºC

 Best Singing Performance- Ana Sofia 11ºD

Congratulations to all participants and winners.
See you next year!

4 truques para reduzir a utilização das redes sociais

A Patrícia Vasconcelos sugeriu e o CRESCER partilha. Todos vivemos o "drama" do excesso da utilização das redes sociais. Haverá algum truque para utilizar as redes sociais de forma mais sustentável? A Catarina Mourato diz que há quatro. Ora vejamos.

"Estamos fartos de te sugerir que ponhas de lado as tecnologias, e as redes sociais em particular, mas sabemos que uma coisa é dizer e outra é fazer. Além de que sabemos que as tecnologias são essenciais no sucesso da vida de um estudante. É sempre mais fácil reconhecer e concordar naquilo que é preciso mudar, agora concretizar, isso é que já é outra história. 
O truque-mor é gestão sustentável das tecnologias. Respira - inspira e expira -, desta vez trazemos-te os truques mais simples e acessíveis para que o difícil se torne fácil e sem (wait for it…) teres de eliminar contas de redes sociais e desaparecer do mapa completamente! Vamos a isso:

Truque 1: Ligar a internet depois das 12h (ou outra hora que seja distante do teu despertar)

Para a maioria das pessoas o despertador usado é o do telemóvel. Infelizmente isto facilita o acesso ao uso do mesmo logo ao acordar. MEGA erro! Como certamente já te apercebeste, quanto mais tempo passas ligado ao telemóvel, mais aditivo é. E, mais tramado ainda… é o tempo que te consome sem te aperceberes. Sendo estudante, o teu tempo está algo limitado, certo?! Para garantires que tens maior controlo sobre o tempo que tens disponível, conecta-te à internet apenas DEPOIS das 12h ou, garantindo o critério de que só o fazeres pelo menos 3 horas depois de acordares.
É garantia de que consegues focar-te melhor e despachar logo a logística do teu dia e trabalhos escolares, antes de passares ao entretenimento que sabes que mereces… assim também te sobrará mais tempo de qualidade para estares com os teus amigos na vida real, sem te martirizares porque precisas de estudar e “não tens tempo para tudo”!

Truque 2: Coloca o telemóvel em modo voo!

Este passo é essencial para os teus momentos de estudo. É um dos truques mais fácil e que exige menos de ti – basta ativar o modo de voo e plim! Podes usar todas as funcionalidades do telemóvel que te são úteis para o estudo (calculadora, notas, música e até câmara) sem que sejas interrompido por notificações do Facebook ou Instagram e, ainda… zero sms’s e telefonemas! Se estás a usar o PC, também tens esta mesma opção sem teres de desligar o router dos teus pais e os deixares malucos sem TV. Truque à prova de qualquer distração para uma super concentração – BAM!
Truque 3: Elimina (algumas) aplicações que tens instaladas!
Como vês, não te sugeri que eliminasses nenhuma das tuas contas de redes sociais. Para todos os que usam as redes sociais, pelo menos uma vez por dia, é óbvio que se tornou algo viciante. Naturalmente, uma alteração brusca não vai ajudar! Assim, o grande truque ao eliminares as aplicações que são de acesso imediato, é que quando quiseres ligar-te às tuas redes sociais terás que abrir um separador no navegador e inserir os dados de acesso. O trabalho que isso envolve pode ser um bom dissuasor do uso excessivo e inconsciente das redes sociais. Sê mais esperto que os designers de publicidade ;)
Truque 4: Coloca o telemóvel com imagem a preto e branco!
Já reparaste o quão coloridos são os brinquedos dos bebés? Porque são atrativos e apelam à diversão! O teu subconsciente (aquele que é o teu verdadeiro centro de comandos mental e emocional) pode ser comparado à mente de uma criança de 3 anos, por isso, é natural que a sua capacidade e forma de comunicação sejam idênticas.Assim sendo, as cores são um dos teus calcanhares de Aquiles aproveitados pela indústria de marketing publicitário. Se o teu dispositivo móvel (telemóvel ou tablet) tem esta opção, experimenta e conta-nos como foi!
Com estes truques já não há desculpa para ver o tempo voar e os exames ficarem por estudar!"
Catarina Mourato @ Inspiring Future

quinta-feira, 1 de março de 2018

Lembrar para não repetir!










  Auschwitz foi a razão principal da nossa visita a Cracóvia, na Polónia. Deixamos a visita para domingo, no último dia, para podermos absorver a experiência e regressar a Portugal a refletir sobre o assunto. Estávamos ansiosos, mas, ao mesmo tempo, nervosos porque não sabíamos, ao certo, o que iríamos encontrar!
  Estava planeado visitarmos Auschwitz I e, seguidamente, a 3 km de distância, Auschwitz – Birkenau.
  Entre as passagens pela segurança e a pausa para tomar uma bebida quente, de forma a combater os 13 graus negativos, o grupo reuniu-se com as guias.
  No entanto, o choque da realidade deu-se quando se chegou ao famoso portão de ferro com a inscrição «Arbeit macht frei», em português O trabalho liberta. De facto, a mensagem vinculada nesse portão transmite, desde logo, as atrocidades cometidas, o sacrifício, o terror e a humilhação a que vários seres humanos foram sujeitos.
  A partir daí, mergulhámos num silêncio profundo. Lembro-me de olhar de vez em quando para os meus colegas e reparar que todos estávamos muito pensativos, atónitos. Começávamos a recordar todos os documentos e fotografias que estavam no nosso manual de História A. Efetivamente, não há melhor maneira de perceber o que lá aconteceu do que visitar o local.
   Entre as várias camadas de neve que se estendiam ao longo dos vários quilómetros do campo e a extensa rede de arame farpado, encontravam-se vários edifícios. Nos blocos existiam várias salas com exposições de documentos oficiais, relatórios e fotografias autênticas captadas pela SS Russa. Curiosamente, foi o Bloco 4 que nos deixou mais perplexos e numa profunda tristeza perante as várias toneladas de cabelo humano expostas, sapatos, pentes, utensílios de cozinha, malas, produtos de higiene e roupas de crianças.
  Inesperadamente, ouvimos relatos perturbadores, como por exemplo, a fuga de um prisioneiro originou várias chamadas durante 20 horas, o que acabou por levar muitas pessoas à exaustão depois de várias horas ao frio em pé.
  Passámos, também, por um bloco onde é relatado todo o processo de extermínio que acontecia no campo. Estavam expostos mapas, fotos do campo, cópias de registos dos prisioneiros, maquetes das câmaras de gás e latas de Zyklon B, inseticida usado nas câmaras para provocar a morte dos prisioneiros. Os Blocos 7 e 11 permitiram-nos, de facto, observar de perto as condições inóspitas, insalubres e desumanas das divisões onde os prisioneiros dormiam e ocupavam grande parte do tempo. Na entrada desse mesmo bloco há um corredor longo e estreito repleto de fotos das pessoas que passaram por lá. Na parede esquerda encontram-se as fotos das mulheres e na da direita as fotos dos homens, todos já com as roupas do campo, sem cabelo e com os olhos arregalados. Constam ainda a profissão, data de nascimento, data de chegada ao campo e data de morte. Lembro-me de estar com várias colegas a fazer contas e a comentar a duração da vida dos prisioneiros no campo! A maioria não sobrevivia muito tempo em Auschwitz.
   De seguida, visitámos uma câmara de gás com fornos, uma das únicas que não foi destruída. Foi aí que senti um aperto mais forte na barriga. Por momentos imaginei todas as pessoas que lá passaram e perderam as suas vidas. Não encontro palavras para descrever o que vi.
   De seguida, dirigimo-nos para Auschwitz-Birkenau, construído para a “solução final”. O campo é enorme e impressiona desde logo com a extensa linha de comboio por onde eram transportados os prisioneiros. São vários os visitantes que, em homenagem às vítimas, colocam rosas na linha de comboio. Mais uma vez, ao entrarmos nos barracões, deparamo-nos com as duras condições de vida - pareciam estábulos, com terra batida e com as várias “camas” que eram ocupadas, muitas vezes, por 6 pessoas ao mesmo tempo.
  Perante tudo o que vi, não restam dúvidas das várias atrocidades e de todas as atitudes criminosas e tétricas do governo Nazi. Atrevo-me a dizer que todos nós, enquanto Seres Humanos e como membros de uma sociedade, devemos visitar Auschwitz. Para além de nos dar uma visão mais realista, desperta-nos para o mundo atual, que está repleto de conflitos que põem em causa os direitos humanos e nos transmitem a mensagem que somos nós que traçamos o nosso futuro e que estamos a tempo de impedir muitas crueldades. Afinal de contas, todas estas atrocidades não aconteceram assim há tanto tempo! Efetivamente, e citando George Santayana, “Aqueles que não são capazes de recordar o passado estão condenados a repeti-lo.”.
Margarida Morais 12ºF