Número total de visualizações de página

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

pena que o colorido dos nossos dois últimos dias não tenha chegado ao FB!

Por razões que nos são alheias, as publicações do CRESCER, que transitam para a página oficial do jornal CRESCER no Facebook, nos dois últimos dias não têm passado com as imagens. 

O problema ultrapassa a equipa que anseia que tudo se solucione, Porém queremos lembrar que aqui poderão sempre ler e ver tudo o que por cá se passa.

Pena que o colorido dos nossos dois últimos dias não tenha chegado ao FB!

queremos mais!


A Feirinha de Natal continua por mais um dia. 
Passeamo-nos estes dois dias entre fruta, legumes, azeite, colares, brincos, produtos biológicos, artesanato, adereços e objetos de decoração, com muito agrado.
Queremos mais!

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

venham, venham à feirinha de Natal!

Ora espreitem. Depois, venham e... comprem.




E há mais!

A, B, G, V: o que são?

Tal como anunciamos aqui, as eleições para a Associação de Estudantes decorrerão no dia 7 de dezembro, no refeitório/bar, entre as 10h e as 16h.
Até lá muita campanha se fará e a reflexão será obrigatoriamente feita na véspera da decisão.


Saiba-se, então, que listas há e quem são os seus representantes. São as listas A, B, G e V.

A lista A tem como presidente o Diogo Barbosa, do 8º J, e como vice-presidente o Rui Soares, do 8º E.
A lista B tem como presidente a Maria Inês Sousa, do 12º G, e como vice-presidente a Inês Vieira, do 12º G.
A lista G tem como presidente a Beatriz Queirós, do 8º G, e como vice-presidente a Carolina Taveira, do 8º G.
A lista V tem como presidente a Ana Margarida Ribeiro, do 11º E, e como vice-presidente o João Miranda, do 11º F.

terça-feira, 28 de novembro de 2017

ai, navegar, navegar!!!


No passado dia 24 de novembro, os alunos de 12º ano dos Cursos Profissionais visitaram o Museu dos Descobrimentos, no âmbito da disciplina de Português.
A visita teve como intuito incentivar os alunos para o estudo das obras Os Lusíadas, de Luís de Camões, e Mensagem, de Fernando Pessoa. Os alunos tiveram a oportunidade de aprofundar conhecimentos históricos e literários.
Durante a expedição, todos passaram pelas várias fases das jornadas náuticas portuguesas e realizaram uma “viagem no tempo”, que lhes permitiu conhecer as grandes conquistas portuguesas e vivenciar os detalhes da vida a bordo.

Foi uma experiência enriquecedora. 

já começou a fazer compras para o Natal?



Ainda não?

Então pode começar amanhã e continuar na quinta-feira, aqui na escola, junto dos artesãos que aqui se vão deslocar para vender os seus produtos. O verdadeiro comércio tradicional. Com o apoio do C. P. T. Turismo.


segunda-feira, 27 de novembro de 2017

geoatualidades: "Alentejo não sabe a água que tem"

Os alunos de Geografia do projeto "Geoatualidades de cá e de lá" continuam a investigar sobre a geografia humana e partilham connosco temas bem atuais. Hoje é sobre a seca. E a entrevista completa está no DN.

Reitora da Universidade de Évora, Ana Costa Freitas, defende que a agricultura pode poupar mais água com algumas alterações

Tem defendido a necessidade da agricultura alentejana apostar em culturas tradicionais que gastem menos água. Esta solução é um passo decisivo para encarar a seca?
Mesmo em Alqueva, que foi uma obra fantástica na região, estamos a fazer culturas de regadio com uma água que é cara e escassa. Provavelmente, teríamos maior eficiência se fizéssemos algum regadio em culturas de sequeiro, que poderiam ter uma produtividade maior com menor gasto de água.
Seria um grande risco para uma região como o Alentejo?
Sim, porque sabemos que uma parte do Alentejo, neste momento, não tem água e que está a ficar cada vez mais abandonado. Depois há Alqueva onde, eventualmente, se estão a produzir algumas coisas a preço mais caro daquele que poderíamos estar a praticar se produzíssemos outro tipo de culturas.
Tem conversado com agricultores, recordando que é licenciada em Agronomia e com experiência na área?
Deixei de fazer investigação há algum tempo, mas acompanho o trabalho do Instituto de Ciências Agrárias e Ambientais Mediterrânicas, onde estão os engenheiros agrónomos. As experiências realizadas confirmam o grande aumento da produtividade das culturas tradicionais com pouca rega, que pode ser a solução para agricultura do sul do mediterrâneo.
Além da agricultura, que estratégia definiu a Universidade para ajudar a encontrar uma solução no combate à seca no Alentejo?
Temos falado muito da necessidade de fazermos o cadastro das florestas, mas o cadastro de água no Alentejo também não está feito e é muito necessário. Há zonas afetadas pela seca extrema e o Alentejo não sabe a água que tem, nem em quantidade nem em qualidade. Há métodos de georreferenciação e geofísicos que nos permitem saber quais são os lençóis de água, onde estão e a que profundidades. 

a palavra de Vieira no Mosteiro de Águas Santas



Os alunos de 11º ano foram ao Mosteiro de Águas Santas para aí poderem apreciar o já estudado "Sermão de Santo António aos Peixes" de Padre António Vieira.


Os tempos são outros, mas a atualidade da palavra de Vieira não deixa ninguém indiferente. 


Mude-se o púlpito e o auditório e sinta-se se é ou não pertinente a advertência:



"Quem quer mais do que lhe convém, perde o que quer e o que tem."

sábado, 25 de novembro de 2017

os cantinhos da escola



Conhece este "apontamento" da escola?


O que é?


Onde se encontra?


Quem fez?


Aqui fica como desafio para o fim de semana.



sexta-feira, 24 de novembro de 2017

olá, amiguinhos do 3º B da Pícua!

Olá amigos,



Estamos a estudar o sistema circulatório e, como já vem sendo habitual, queremos partilhar convosco, as nossas experiências. Desta vez, observamos e tocamos num coração a sério!!! Tinha veias, artérias... vasos capilares. Era muito maior do que o nosso, porque pertenceu a um boi (ou uma vaca...). E vimos também o minúsculo coração de uma galinha. Foi uma aula rica de conhecimentos e muito divertida.   

Até à próxima!

Turma do 3.º B, Pícua



quinta-feira, 23 de novembro de 2017

vem aí mais uma noite de cinema

E se fosse contigo? Se um dia te pusessem uma pulseira eletrónica? Se um dia, a tua mãe ou o teu pai te fossem roubados? Se um dia, a tua vida desse uma volta de 180 graus? E se fosse contigo ou com alguém muito próximo? 

Esta é a temática da trilogia de curtas-metragens (ArenaCerro NegroRafa)de João Salaviza, que te queremos apresentar na próxima segunda-feira, às 21h30, na 
​confortável ​
sala de pausa
​, em grande ecrã.​
 Contamos contigo!



quarta-feira, 22 de novembro de 2017

vem aí a Feirinha de Natal



Convidam-se todos aqueles que se dedicam ao artesanato ou à produção de compotas caseiras, biscoitos, hortícolas, ovos, etc. a participar na já tradicional Feirinha de Natal que se vai realizar nos próximos dias 29 e 30 de Novembro na nossa escola.


Os interessados devem procurar e preencher uma ficha que foi enviada por e-mail, até ao próximo dia 26  de novembro para cptturismoesas@gmail.com










projeto "Geoatualidades de cá e de lá"

Este protejo, dinamizado pelos docentes de Geografia, consiste numa recolha feita pelos alunos de noticias relacionadas com o programa de 10º e  de 11º ano de Geografia e de Geografia A. O projeto consiste na recolha de noticias da imprensa diária em suporte papel e algumas em suporte informático.
A notícia que chegou ao CRESCER é sobre a longevidade humana. Vejam só.
daqui

Cientistas acreditam que no futuro muitos viverão até aos 125 anos

Dois geneticistas mostraram-se hoje confiantes que no futuro, mesmo longínquo, muitos seres humanos podem viver até aos 125 anos, mas é obrigatório adotar um estilo de vida saudável.

Em contrapartida, Sumit Jamuar e Gabriel Otte acham que a longo prazo é possível vivermos bem mais de 100 anos com a ajuda da tecnologia aplicada à saúde e com a mudança de hábitos de vida.
"Quem tem agora 50 anos e for saudável e praticar um estilo de vida saudável tem 50% de possibilidades de chegar aos 90 anos, mas a tendência é para aumentar a longevidade", disse Jamuar, do Instituto Indiano de Tecnologia de Deli.
O "segredo" da longevidade, segundo os especialistas, está na genética, mas também em cuidar do corpo diariamente, adotar um estilo de vida saudável, ter uma ação proativa, em suma, "fazermos um pacto de não agressão ao organismo", banindo "venenos como açúcar, gorduras, hidratos de carbono" e praticando exercício física desde a infância.
Recentemente, uma equipa de cientistas analisou dados demográficos de 40 países e sugere que há um limite máximo natural para a vida humana, fixado em cerca de 125 anos.
Os cientistas da faculdade de Medicina Albert Einstein, em Nova Iorque, fixam o limite médio da vida humana nos 115 anos.
"Para atingir a longevidade é importantíssimo o estudo da genética humana e a tecnologia tem permitido enormes avanços nos últimos anos. Porém, ainda há muito a fazer. Temos uma base de dados de três milhões de amostras de ADN e há sete mil milhões de pessoas", explicou Otte.
"O estudo da genética associado às novas tecnologias está a revolucionar a vida humana e fizeram-me imensos progressos nos últimos anos", sustentou Jamuar, acrescentando que a adoção de estilos de vida saudáveis permitirá um planeta saudável, funcionando como um "ciclo virtuoso".
No painel seguinte da Web summit dedicado à saúde, a questão abordada foi se alguma vez será possível abolir as doenças do mundo, um tema defendido pelo biólogo Pierre Meulien, diretor executivo da Innovative Medicines Initiative (IMI), e a norte-americana Lynne Davidson da Head of Innovation & Improvement.
Muelien foi perentório: "É uma utopia, absolutamente impossível viver num mundo sem doenças", enquanto Davidson considerou que já foram feitos tantos progressos, por exemplo no combate ao VIH e na Malária, que isso pode perfeitamente acontecer no futuro.
Muelien, que disse ser "completamente a favor da vacinação", defendeu que por muitos progressos que se façam nas diversas áreas da medicina, curativa ou preventiva, os vírus encontram-se sempre formas de sofreram uma mutação e provocar doenças.
Apesar de defenderam pontos de vista diferentes, ambos os intervenientes concordam que a tecnologia e mesmo a inteligência artificial são importantes ferramentas para a evolução da medicina e do estudo da genética.
"Notícias ao minuto",  9\11\2017

terça-feira, 21 de novembro de 2017

semana C&T 2017



Começou a semana das Ciências e Tecnologias e, como já é habitual, hoje, os meninos do 4º ano do agrupamento deslocaram-se à escola sede.

Os laboratórios de Física e de Biologia estiveram abertos das 9h às 13h e das 14h às 16h.

Como houve Sol, tivemos, também, uma cozinha solar a funcionar no telhado da cantina (conjunto de 4 fornos solares, construídos na escola).

Um sucesso!

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

vamos ter eleições




Vamos ter eleições e os eleitores são os alunos. São as eleições para a Associação de Estudantes.

Quantas listas?
Quem são os seus representantes? Qual o programa de cada lista?

Aguardem notícias. O CRESCER vai averiguar.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

entrega de diplomas aos alunos dos cursos profissionais


No passado dia 10 de Novembro, realizou-se no auditório da nossa escola a entrega de diplomas aos alunos que concluíram cursos profissionais no ano letivo de 2016/17.

A cerimónia foi simples, mas marcada por um clima de afeto que envolveu alunos, professores e encarregados de educação.

visita de Estudo à LGW

foto de Jorge Silva

Os alunos do 10.º e 11.º anos do Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos deslocaram-se ontem (quinta-feira, dia 16) a Lisboa para uma visita de estudo à Lisboa Games Week - o maior Evento Nacional de Videojogos - uma feira que decorre na FIL entre os dias 16 e 19 de novembro de 2017.


Durante a visita, os alunos puderam encontrar conteúdos e participações de especialistas nacionais e internacionais, tiveram a oportunidade de jogar e experimentar os títulos e dispositivos que constituem as novidades do mercado, participar em novas experiências lúdicas e partilhá-las com os professores acompanhantes, adquirir conhecimento num ambiente muito divertido e descontraído.

Os professores puderam também realizar contactos com várias entidades que permitirão no futuro estabelecer parcerias fundamentais para a nossa escola no âmbito do ensino de programação e robótica.

Sem dúvida, uma experiência a repetir!

hábitos diários que melhoram (e muito) a saúde mental

Stress, poluição, fast-food, sedentarismo, ruído. A nossa mente está todos os dias à mercê de um sem fim de agentes agressores que, a qualquer momento, podem facilmente começar a comprometer o bom funcionamento cerebral... mas não só.
© iStock
Falar em saúde mental é muito mais do que falar no desempenho cognitivo, é falar no estado da mente, na forma como ela lida com as emoções, com as complicações, com o próprio dia a dia. Do stress, à ansiedade, passando pela irritação constante e nunca esquecendo a depressão, são muitas as formas de espelhar uma saúde mental debilitada, mas são também muitas as formas de combater isso.
Como escreve o The Independent no seu site, a saúde mental beneficia de pequenos hábitos e gestos diários... como andar com a cabeça levantada e os ombros alinhados. Sim, uma postura confiante em cada passo que se dá é uma das estratégias mais eficazes para melhorar a disposição e afastar os pensamentos negativos.
Parar de tirar fotografias com o telemóvel a tudo e mais alguma coisa e passar a apreciar esses mesmos momentos é também uma forma de melhorar a saúde mental, como revelou um estudo publicado na revista científica Psychological Science. E por falar em telemóvel, importa começar a usar menos os dispositivos móveis, uma vez que a ciência já conseguiu mostrar como as redes sociais têm um impacto negativo na saúde mental dos utilizadores, aumentando a sensação de tristeza e até inveja.
Tal como a ciência tem vindo a alertar cada vez mais, o exercício físico é fundamental para a boa saúde da mente, tendo ficado já provado que as pessoas que combatem o sedentarismo tendem a ter menos pensamentos depressivos. E se a atividade desportiva é importante, a capacidade de parar de procrastinar é também fundamental, lê-se na publicação, que revela que quanto mais as pessoas adiam o que têm para fazer, mais ansiosas e stressadas ficam.
No leque de hábitos diários que melhoram a saúde mental - e, por consequência, a saúde física também - estão ainda a boa rotina de sono, a perda do hábito de querer fazer tudo ao mesmo tempo (sim, está na hora de dizer não ao multitasking) e a importância de dedicar uma parte do dia aos cuidados pessoais, que podem ser um banho mais longo, uma leitura, uma música, uma ida ao cinema, etc. @ NaoM

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

“A ideia de uma vida boa foi substituída pela de uma vida a ser invejada.”

Um dos mais influentes psicanalistas de Inglaterra, autor de dez livros e editor da nova tradução da obra de Sigmund Freud (1856-1939), Adam Phillips, mais parece um profeta do que um homem da ciência. Pelo menos essa é a ideia que se tem depois de ler a entrevista que ele concedeu à revista "Veja" em 12 de março de 2003, da qual se extraíram as dez denúncias abaixo numeradas:

1. Hoje as pessoas têm mais medo de morrer o que no passado. Há uma preocupação desmedida com o envelhecimento, com acidentes e doenças. É como se o mundo pudesse existir sem essas coisas.
2. A ideia de uma vida boa foi substituída pela de uma vida a ser invejada.
3. Hoje todo o mundo fala de sexo, mas ninguém diz nada interessante. É uma conversa estereotipada atrás da outra. Vemos exageros até com crianças, que aprendem danças sensuais e são expostas ao assunto muito cedo. Estamos cada vez mais infelizes e desesperados, com o estilo de vida que levamos.
4. Nos consultórios, qualquer tristeza é chamada de depressão.
5. As crianças entram na corrida pelo sucesso muito cedo e ficam sem tempo para sonhar.
6. No século XIV, se as pessoas fossem perguntadas sobre o que queriam da vida, diriam que buscavam a salvação divina. Hoje a resposta é: “ser rico e famoso”. Existe uma espécie de culto que faz com que as pessoas não consigam enxergar o que realmente querem da vida.
7. Os pais criam limites que a cultura não sanciona. Por exemplo: alguns pais tentam controlar a dieta dos filhos, dizendo que é mais saudável comer verduras do que salgadinhos, enquanto as propagandas dão a mensagem diametralmente oposta. O mesmo pode ser dito em relação ao comportamento sexual dos adolescentes. Muitos pais procuram argumentar que é necessário ter um comportamento responsável enquanto a "mídia" diz que não há limites.
8. [Precisamos] instruir as crianças a interpretar a cultura em que vivemos, ensiná-las a ser críticas, mostrar que as propagandas não são ordens e devem ser analisadas.
9. Uma coisa precisa ficar clara de uma vez por todas: embora reclamem, as crianças dependem do controle dos adultos. Quando não têm esse controle, sentem-se completamente poderosas, mas ao mesmo tempo perdidas. Hoje há muitos pais com medo dos próprios filhos.
10. Ninguém deveria escolher a profissão de psicanalista para enriquecer. Os preços das sessões deveriam ser baixos e o serviço, acessível. Deve-se desconfiar de analistas caros. A psicanálise não pode ser medida pelo padrão consumista, do tipo “se um produto é caro, então é bom”. Todos precisam de um espaço para falar e refletir sobre sua vida." @ Provocações Filosóficas

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

greve geral de professores e concentração em frente ao parlamento

Os professores realizam esta quarta-feira uma greve geral e uma concentração em frente ao parlamento, enquanto é debatida a proposta do Orçamento do Estado na especialidade com medidas polémicas como a não contagem do tempo de serviço. Conheça o que move os professores.

foto de João Relvas LUSA
Ontem as duas centrais sindicais de professores, FNE e FENPROF, foram chamados a reunir com as secretárias de estado, que, segundo Mário Nogueira, "não têm competências negociais". 
Os representantes sindicais percebem o impacto da reposição dos valores devidos e por isso dizem estar disponíveis para negociar essa reposição de forma gradual. No entanto, dizem que nem ministério da Educação nem ministério das Finanças têm mostrado abertura para o diálogo, o que agrava o descontentamento dos docentes. 
Qual é o motivo da discórdia
Em causa, para o descontentamento dos professores, está a polémica proposta de não contagem do tempo de serviço prevista na proposta do Orçamento de Estado para 2018. A progressão na carreira dos professores está interrompida há uma década e, segundo o OE2018, não será contabilizado o trabalho realizado entre 31 de agosto de 2005 e 31 de dezembro de 2007, nem entre janeiro de 2011 e 31 de dezembro de 2018. O Governo está disposto a descongelar sete anos de carreira, mas os sindicatos não abdicam dos nove anos e meio.

Quem não está abrangido
Os sindicatos estão dispostos a negociar, mas não aceitam a perda de tempo de serviço, que afetará mais de 100 mil professores, segundo Mário Nogueira, da Fenprof. O sindicalista salientou que a não contagem do tempo de carreira afeta docentes nalguns casos em 15 anos. Um professor com 30 anos de serviço, exemplificou, pode estar agora a passar para o quinto escalão quando devia estar no nono. E vai ganhar mais 90 euros quando devia ganhar 10 vezes mais. @ TVI

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Dia Mundial da Diabetes: doença mata mais de 10 pessoas por dia em Portugal

Segundo o relatório nacional divulgado esta terça-feira pela Direção-Geral de Saúde (DGS), esta doença afeta mais de um milhão de pessoas em Portugal. 
O documento revela que a mortalidade causada por esta doença tem vindo a diminuir, sendo que 2015 foi o ano que se registou a taxa mais baixa: 19,4 mortos por 100 mil habitantes.
Por ano, devido à diabetes, morrem entre 2.200 a 2.500 mulheres e cerca de 1.600 a 1.900 homens. Esta doença afeta mais de 13% da população portuguesa e estima-se que 44% das pessoas com diabetes ainda estejam com a doença por diagnosticar.
Apesar dos centros de saúde realizarem avaliações pra diagnosticar a doença precocemente, o Programa Nacional para a doença propõe que se aumente o número de diagnósticos precoces. De 2015 para 2016, o número de diagnósticos sofreu um decréscimo,de 621 mil para 619 mil.
A DGS pretende ainda, até 2020, aumentar o número de novos diagnósticos através da avaliação precoce, com o objetivo de diminuir a mortalidade prematura e o desenvolvimento da doença em pessoas de risco. @ SOL

do professor Carlos Simão

Este texto é da responsabilidade do professor Carlos Simão. Foi dito por ele no dia da entrega dos diplomas aos alunos dos cursos profissionais e chegou ao CRESCER com o pedido de divulgação. Aqui segue.

Parabéns, gente!
ESTA PARECE SER A MINHA ÚLTIMA PALESTRA PARA VOCÊS, PELO MENOS NESTE CONTEXTO DE PROFESSOR E ALUNOS. NUNCA SE SABERÁ O FUTURO.
Esta é a minha homenagem a vocês, A TODOS os que fizeram comigo este percurso nestes últimos três anos.
Que ninguém fique triste perante uma despedida. Uma despedida é sempre necessária para nos voltarmos a encontrar. E um reencontro, depois de um momento, ou depois de toda uma vida, é algo inevitável, se o sentimento de consideração for verdadeiro.
Cada vez que nos despedimos de alguém, faz-se noite no nosso coração e sempre que um reencontro acontece, de novo se faz dia. O Sol volta a brilhar como se essa pessoa fosse imprescindível para que houvesse diferença entre o dia e a noite. É na agonia de uma despedida, quando forçosamente esse momento acontece, é nesse instante que percebemos a profundidade dos nossos sentimentos, o valor de uma amizade. É COMO ME SINTO E NOS SENTIMOS HOJE.
Muitos jovens já passaram pela minha vida nestes 26 anos como professor e 31 anos como treinador de voleibol. Uns cruzaram-se comigo e nunca mais soube deles, ou porque a vida de cada um não nos permitiu, ou porque simplesmente pouco se manifestou em comum para que de novo nos cruzássemos.
Outros há que, se o destino existe e partindo do princípio que cada um de nós tem o seu traçado, quis o dito que cruzassem a minha vida e na minha vida ficassem.
Esses são aqueles que muito mais que meros seres humanos com quem tive o privilégio de trabalhar, partilhar momentos, sentimentos, sorrisos, brincadeiras, vitórias, derrotas, alegrias e lágrimas... são aqueles que entraram na minha vida e aí permanecem... são esses que não nos esquecem e eu não mais esquecerei.
Não me despeço de vocês, porque, na realidade, ainda que na ausência física, vocês estarão, sempre, comigo.
As recordações construíram um caminho que me permite, ainda hoje, sentir muitas dessas emoções vividas nas aulas no pavilhão, no exterior, nas aulas de dança e em todas as invenções que criávamos: nas autoavaliações, nas palestras, nas caminhadas na serra, nas atividades ao ar livre… Enfim, lembro-me de quase tudo (apesar de que a idade não perdoe).
Sei que barafustei, berrei, zanguei-me, impus castigos (alguns) e vocês, com certeza, lembram-se bem deles. Sei que não tinha esse direito, mas os adultos são assim!
Permanecerá a lembrança dos vossos rostos sempre sorridentes e felizes, que compreendiam tudo silenciosamente, que acalmavam a minha injusta conduta de "adulto" para convosco.
Acima de tudo vejo a amizade, o carinho, a enorme ternura e consideração que sempre senti por vocês. Por todos vocês!
Não esquecerei nenhum. Cada um a seu jeito, deixou a sua marca, marcou um território. Podem estar certos disso. Não esquecerei o rosto pessoal, o jeito e os maus feitios. De cada um.
Estou plenamente convicto que nesta hora do “SEJAM FELIZES”, apetece-me pedir-vos DESCULPA.
O meu pedido de desculpa prima por ser autêntico, verdadeiro, sincero e, sei que todos vocês, sem esquecer um, me perdoará, com um abraço sem mágoa, sensíveis como sois, não só nas tristezas, como nas alegrias da vida.
Foram traquinas, irrequietos, indisciplinados, fizeram-me e fizeram-nos por vezes a vida negra nas aulas e na escola, mas isso só vos dá um valor incalculável, porque mudaram, alteraram comportamentos, refletiram e acima de tudo entenderam a mensagem que era pretendida ser passada.
Para mim, como professor, felicito-vos pela compreensão, resignação e alegria com que aceitaram as minhas censuras aos vossos atos, por vezes menos corretos, que assumi para convosco para melhorar a situação, embora, por vezes, a dureza das palavras exigisse outra solução mais entendedora e calma.
Têm de compreender que não é fácil. Cada um de nós não tem apenas uma só turma, nem tão pouco vinte e poucos alunos. São muitos mais e, por vezes, as atitudes e comportamentos mais irrefletidos que temos, têm essa mesma justificação, simplesmente pela grande variedade de comportamentos e atitudes de todos esses alunos.
Cada gesto, cada palavra, cada som, cada atitude vossa, serão preservados como um tesouro imenso, uma riqueza incalculável, que ficará sempre comigo e me irá servir para usar com outros alunos que virão depois de vocês.

Neste momento, e para terminar, falta-me dizer duas coisas.
A 1ª prende-se com estes meus colegas aqui presentes, das diferentes áreas, que me receberam neste ambiente do ensino profissional, de uma forma espetacular, e que juntos tudo fizemos para vos dignificar como alunos e futuros profissionais;
A 2ª, homenagear à vossa frente todos os professores das áreas técnicas, que desenvolveram com vocês um trabalho magnífico de formação, e que sempre vos defenderam com unhas e dentes. Gostava de ter tido no meu percurso escolar, alguém que me tivesse defendido e ajudado como eles o fizeram.
POR ISSO, NESTA HORA FINAL, SÓ ME OCORRE DIZER:
OBRIGADO, ATÉ SEMPRE E FAÇAM O FAVOR DE SER FELIZES!


Carlos Simão

"O tempo está a esgotar-se"

Reuters

O tom da carta à humanidade assinada por mais de 15 mil cientistas de 184 países é grave: quase todas as grandes ameaças identificadas há 25 anos tornaram-se ainda mais preocupantes.

Vinte e cinco anos depois de cientistas de todo o mundo terem emitido um "alerta à humanidade" sobre o perigo de ignorar o ambiente, um novo alerta, divulgado esta segunda-feira, avisa que a maioria dos grandes problemas do planeta estão a piorar significativamente. Exceção feita para o buraco na camada do ozono, graças à redução do uso de aerossóis e poluentes que o originaram.
Publicada no BioScience, este "segundo aviso" é assinado por mais de 15 mil cientistas de um total de 184 países. A primeira carta, datada de 1992, foi subscrita por 1700 especialistas. Desde então, praticamente todas as grandes ameaças ao ambiente agravaram-se, com destaque para o crescimento da população mundial - mais 2 mil milhões, equivalentes a um aumento de 35 por cento. As emissões de dióxido de carbono provocadas pelo uso de combustíveis fósseis, a agricultura insustentável, a desflorestação, a falta de água potável, a perda de vida marinha e o aumento das chamadas zonas mortas nos oceanos são outras ameaças graves.
"Estamos a arriscar o nosso futuro", avisam, sublinhando que é "especialmente preocupante" que o mundo continue a encaminhar-se para "alterações climáticas potencialmente catastróficas devido ao aumento dos gases de estufa provenientes da queima de combustíveis fósseis".
Os cientistas alertam também para os efeitos das atividades humanas nos animais, que estão a desaparecer "a um ritmo sem precedentes".
"Desencadeámos um evento de extinção em massa, o sexto em cerca de 540 milhões de anos, em que muitas formas de vida atuais poderão ser aniquiladas ou pelo menos ameaçadas de extinção quando chegarmos ao fim deste século", lê-se ainda no documento.
"Em breve vai ser tarde demais para mudar o rumo da nossa trajetória descendente e o tempo está a esgotar-se", escrevem os cientistas, lembrando que é preciso "reconhecer, na nossa vida do dia a dia e nas nossas instituições de governo que a Terra, como toda a sua vida, é a nossa única casa". E para melhorar as perspetivas da humanidade nessa casa, os signatários apontam alguns passos necessários, que vão desde tornar a contraceção mais acessível a apostar numa alimentação à base de plantas e nas energias renováveis. @ Visão

segunda-feira, 13 de novembro de 2017

professores iniciam greve

AMARIO CRUZ/LUSA
A greve dos professores à primeira hora de trabalho, que começa esta segunda-feira, deverá afetar o rendimento dos alunos e funcionamento das escolas, mas será pouco visível, segundo a associação nacional de diretores escolares. Durante as duas próximas semanas, até dia 27 de novembro, os docentes poderão fazer greve à primeira hora de trabalho como forma de protesto ao descongelamento da carreira docente previsto no Orçamento do Estado.
Para o presidente da ANDAEP, Associação Nacional de Diretores de Agrupamentos de Escolas Públicas, Filinto Lima, a greve e manifestação em frente ao parlamento na quarta-feira, quando o ministro Tiago Brandão Rodrigues vai à Assembleia da República debater o OE na especialidade, é que deverá ter um forte impacto. “Os professores estão muito revoltados em relação à contagem de tempo de serviço e acredito que, na quarta-feira, haverá um mar de gente em Lisboa, muitas escolas fechadas e alunos sem aulas”, disse à Lusa. (adaptado daqui)

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

“no dia de São Martinho, vai à adega e prova o vinho”

AFP/Getty Images
O dia de São Martinho, 11 de novembro, é festejado um pouco por toda a Europa, mas as celebrações variam de país para país. Em Portugal é tradição fazer-se um grande magusto, beber-se água-pé e jeropiga. Esta é também uma altura em que se prova o novo vinho. Como diz o ditado popular, “no dia de São Martinho, vai à adega e prova o vinho”.

número de alunos com maus resultados está a descer em Portugal

Comissão Europeia alerta que a UE se está a afastar do que foi estabelecido como meta para 2020 no que toca à redução dos fracos desempenhos na literacia em leitura, matemática e ciências.


Portugal está em contraciclo com a União Europeia (UE) no que respeita à evolução da percentagem de alunos com 15 anos que têm fracos desempenhos em leitura, matemática e ciência, segundo mostram os dados coligidos para a edição de 2017 do Monitor da Educação e Formação, divulgado nesta quinta-feira pela Comissão Europeia (CE).
Com base nos resultados das edições de 2012 e 2015 dos testes PISA (Programme for International Student Assessment), realizados de três em três anos pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico, o relatório da CE mostra que a percentagem de alunos com fracos resultados decresceu em Portugal, sendo que na média da UE se registou um acréscimo. @ PÚBLICO

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

as ondas da Nazaré

Porque todos admiramos a força da Natureza e porque a temporada de ondas grandes na Praia do Norte está aberta, veja a grandiosidade deste mar, nestas imagens daqui retiradas.



o "sítio do professor"

Chegou ao CRESCER este pedido de divulgação, expressamente para professores. Segue, na íntegra, o texto que chegou à nossa redação:

"Conforme prometido cá estamos a divulgar o espaço e horário em que os professores da equipa estarão disponíveis para acolher/ouvir os colegas. O espaço será partilhado com o Gabinete de Informação ao Aluno.
O horário é o que se encontra na seguinte tabela.


Sítio do Professor

2ª feira
3ª feira
4ª feira
5ª feira
Ana Granja
12h25 - 13h15
8h15 - 9h05


Laura Vilela



10h25 – 11h15
Carlos Simão


11h25 - 12h15
14h30 - 15h20


          






Relembramos que estamos cientes que a reflexão partilhada que nos propomos levar a cabo com este projeto não se compadece com a exiguidade de um espaço único e/ou com a escassez de horas semanais que os (poucos) elementos da equipa podem disponibilizar.  Sempre que quiserem, usem (e abusem) (d)este endereço eletrónico ( sitiodoprofessor@aescas.netno sentido de entrar em contacto connosco. Este será o canal privilegiado de comunicação: através dele poderão colocar as vossas dúvidas e inquietações, assim como agendar um encontro presencial com qualquer um dos elementos da equipa. 

Contamos com a vossa participação neste projeto que é de todos!"