Número total de visualizações de página

quinta-feira, 9 de março de 2017

a portugalidade passou pelo bar

Este foi o poema dito pelos jovens do 7º B e L e do 12º B e C, hoje, no bar, no formato flashmob literário que aqui anunciamos.
                  

Era uma vez
um português
de Portugal.
               
O nome Luís
há de bastar
toda a nação
ouviu falar.        

Na guerra andou
a guerrear
e perde um olho
sem se queixar

Cantou o amor
ensinou a amar
poemas de cor
para recordar   

Poeta imortal
Teu livro estudado
És Portugal
Bem celebrado

Era uma vez
um português
de Portugal.       

Era uma vez
um português
de Portugal.      

O nome VHILS
há de bastar
toda a nação
ouvirá falar.      

Escolhe a rua
Para grafitar
Novos e velhos
a apreciar           

A arte urbana
É que está a dar
E com o VHILS
Não vai parar    

Do Porto a Bali
Dá que falar
Símbolo da nação
Se há de tornar
               

Era uma vez
um português
de Portugal.      

Era uma vez
um português
de Portugal.      

O nome Amália
há de bastar
toda a nação
ouviu falar.
            

Do Porto ao Japão
A dar que falar
Estás no coração
Da canção do mar           

Rainha do fado
Fado imortal
Cantas a alma
Alma nacional  

Eterna memória
Do seu cantar
Ficarás sempre
No nosso olhar

Era uma vez
um português
de Portugal.

Era uma vez
um português
de Portugal.      

O nome Ronaldo
há de bastar
toda a nação
ouviu falar.        

Menino pobre
rodeado por mar
escolhe a bola
para brincar
               
Para o Sporting
Veio jogar
Depois o Manchester
Foi conquistar  

Em todo o mundo
Fama ganhou  
Símbolo da nação
Já se tornou.   
  
Era uma vez
um português
de Portugal.            

Sem comentários: