Número total de visualizações de página

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

não há como negar: estamos a chegar ao período do Carnaval.

            Não há como negar: a música entra pelos nossos ouvidos adentro, os desfiles das escolas acontecem e as vestes de alguns são demasiado óbvias de que estamos a chegar ao período do Carnaval. Embora se celebre apenas no dia 28, a interrupção das atividades letivas favorece a antecipação da celebração.
              Acreditamos que a maioria dos docentes aproveitará estes dias para corrigir testes e que os mais jovens vão dar largas à sua imaginação para descobrirem o melhor disfarce.
                 A Liliana e a Patrícia deixam aqui um pouco da história do Carnaval.

           “No Carnaval, ninguém leva a mal”, quantas vezes não ouvimos esta frase nos três dias em que se celebra o Carnaval? 
                Assim, no último dia do mês de fevereiro, celebra-se o Carnaval. Em Portugal, esta é uma festa pagã que se festeja 47 dias antes da Páscoa mas não é considerado feriado oficial. 
A origem desta festa remete-nos até a Antiguidade Clássica, começando mais concretamente na Grécia Antiga, onde o povo agradecia aos deuses pelas boas colheitas.
Já na Roma Antiga, reinada pela Igreja católica, este período do Carnaval era um início de um período de jejum antes de se iniciar a quaresma.
Atualmente, o Carnaval não é celebrado como forma de agradecimento ou jejum mas sim como um período de diversão com fantasias onde miúdos e graúdos se podem mascarar e brincar. 
Quanto a tradições,  são várias em Portugal, mas a mais conhecida é a utilização de um disfarce, desde uma personagem de cinema até a um desenho animado. As escolhas são variadíssimas. Neste dia, as crianças, que gozam três dias de férias, vestem a pele daqueles que mais gostam andando em desfiles preparados pelas escolas. 
Falando em desfiles não são só as crianças o podem fazer. Em Portugal existem várias regiões que celebram o Carnaval com desfiles, desde Ovar até Loulé onde se fazem críticas sobre o estado do país, desde o futebol até à política sempre num sentido humorístico.
Por isso, não fique triste pois “A vida são dois dias, o Carnaval são três!”

Liliana Ferreira e Patrícia Miranda

Sem comentários: