Número total de visualizações de página

quinta-feira, 9 de abril de 2015

o Pessoa prosador que o poeta escondeu

A Assírio & Alvim acaba de publicar A Estrada do Esquecimento e Outros Contos, mais um volume de prosas ficcionais de Pessoa organizado por Ana Maria Freitas.

de Miguel Manso
“A noite estava ilegível. Não se via céu nem terra – só escuridão.” Com estas frases, que podem trazer à cabeça a “noite antiquíssima e idêntica” de Álvaro de Campos, inicia Fernando Pessoa a notável prosa que abre o volume A Estrada do Esquecimento e Outros Contos, agora lançado pela Assírio & Alvim, no qual Ana Maria Freitas recolhe, edita e comenta vinte e três ficções breves, quase todas inéditas, desse a quem chamaram, talvez com injustiça para o prosador que também foi, o poeta dos heterónimos.

Sem comentários: