Número total de visualizações de página

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

texto de autor: felicidade

Hoje dia 20 de outubro, vivenciei um acontecimento que me emocionou a mim e aos meus colegas de equipa. Às 4.30 da tarde, o jogo em que participamos terminou com uma vitória do nosso clube por um ponto. Foi um jogo difícil contra a Juventude Pacense, que acabou por nos ser favorável e nos manter invictos.
Para mim não foi um jogo fácil porque joguei pouco tempo. Desta vez não fui opção para o treinador e isso deixou-me de tal modo irritado que só consegui vibrar com o resultado mesmo no final. A alegria dos meus colegas, o espírito de equipa e as cores do clube falaram mais alto e consegui abstrair-me da minha irritação.
O momento que se seguiu contribuiu ainda mais para que eu me apercebesse de que estava realmente a reagir de forma errada. No nosso banco, estava um elemento, irmão de um colega nosso, que tem Trissomia 21 e que acompanha muitos jogos. Para ele era um dia especial porque fazia 21 anos. No clube temos uma tradição, quem faz anos ou se estreia a jogar ou “vai ao túnel”. O túnel consiste na formação de duas filas paralelas por onde o jogador passa e vai levando umas valentes palmadas nas costas, cumprindo assim a sua praxe.
Hoje foi a vez do Luís que, não sendo jogador do clube, é um elemento por quem temos um enorme carinho. Formamos o túnel, e ele passou a correr para um lado e para o outro com um grande sorriso de felicidade estampada no rosto. A felicidade nos olhos dele, da mãe, do pai e do irmão ao verem a sua alegria emocionou-nos a todos.
Este momento levou-me a pensar. Nós ficamos aborrecidos por coisas tão pequenas! Com a derrota do nosso clube, com a namorada que terminou a relação, por não termos sempre aquilo que queremos... Mas não nos lembramos que há pessoas que são felizes com coisas simples, como a amizade e a atenção e que nunca poderão experimentar o mesmo que nós.
Será que vale mesmo a pena zangar-me, irritar-me por tão pouco?

Obrigado, Luís, sem querer fizeste-me perceber que estava a agir de forma errada! Que tenhas um dia muito feliz!
André Vilarinho Castro*
*Tem 15 anos, frequenta o 10º ano, e escreveu este texto ao Luís no dia em que ele fez 21 anos.

1 comentário:

AR disse...

Obrigada André por esta lição de vida!E Parabéns para o Luís!