Número total de visualizações de página

quarta-feira, 11 de setembro de 2013

Milhões, biliões e triliões

Carl Sagan foi caricaturado por na série "cosmos" ter dito imensas vezes números de escalas tão grandes. Chamaram-lhe então o senhor biliões e biliões.
Sagan foi um cientista com uma qualidade excecional: a capacidade de comunicar ciência (com rigor) às pessoas.
De facto não se pode falar de ciências sem falar em números com muitos, muitos zeros.

Na ESÁS, durante o encontro “A Ciência por quem a faz e por quem a ensina” os grandes números estiveram presentes. Com o professor Orfeu Bertolami começamos a contar as estrelas, as distâncias e o tempo que nos separam.
Orfeu Bertolami durante a sua comunicação

Descemos à Terra com a cientista Helena Couto e recuamos mais de 3 mil milhões de anos ao tempo das bactérias que originaram os estromatólitos.
a Professora Helena Couto

O matemático Rui Costa mostrou-nos que é possível melhorar a transmissão dos biliões de bits nas nossas redes, aumentando a inteligência dos descodificadores e não a sua força.
Rui Costa

Depois o Químico Joaquim Esteves da Silva levou-nos para o infinitamente pequeno, um mundo da ordem dos 0,000001 milímetros, isto é, para os nanomateriais que nos estão a fazer mudar a maneira de olhar os elementos.
apresentação do cientista Joaquim Esteves da Silva

A manhã acabou com a ironia de António Amorim em torno dos milhões de pequeninos passos que fizeram a nossa espécie.
 professor António Amorim no início da sua comunicação

À tarde, a saga dos números continuou. Uns tiveram a sorte de viajar dos nossos dias até às praias de Valongo de há 400 milhões de anos e puderam contemplar e fotografar as ondas fixadas nas rochas.
rochas no parque paleozóico de Valongo

Outros começaram com as altas energias do nuclear, com a professora Helena Ferraz, e seguiram para os efeitos paradoxais das velocidades alucinantes próximas da luz, com o José Pedro Vieira.
Helena Ferraz

José Pedro Vieira

Mas a ciência também está presente em coisas mais comezinhas como objetos e substâncias que usamos no nosso quotidiano. Foi isto que nos recordou o workshop dinamizado pelo professor Arnaldo Madureira.
o efeito da tensão superficial

Os professores de matemática treinaram as suas artes com tesouras e calculadoras e de todas as áreas alguns puderam experimentar como pode ser uma aula com clickers.
a TInspire


                Luís Barata a mostrar o funcionamento dos clickers
                            Maria João Peres

E como a saúde é o mais importante, a doutora Raquel Ascenção, nossa aluna até ao ano 2000, falou-nos da importância da ciência na promoção deste nosso bem mais precioso.
doutora Raquel Ascenção

Este foi o terceiro encontro de cientistas e professores de ciências promovido na nossa escola e certamente haverão outros porque nos podemos orgulhar de termos formado vários cientistas que não nos esquecem e que nós também não esquecemos.

Sem comentários: