Número total de visualizações de página

segunda-feira, 18 de março de 2013

energia sem fim


Durante o mês de abril professores e alunos do 2º e 3º ciclos poderão visitar/presenciar, na biblioteca do AEAS, a exposição “Energia sem fim”, promovida por Cassefaz e com patrocínio da Vodafone.
Este projeto apresenta a sua 5.ª edição com o tema da Energia, possibilitando o enriquecimento da vida escolar em cerca de 300 estabelecimentos de ensino em Portugal Continental.

A energia está em todo lado. Não se esgota, mas a sua utilização depende da disponibilidade das suas fontes. A sustentabilidade, a longo prazo, de uma forma de energia, depende do seu ciclo – que vai desde a sua origem na natureza até ao momento do seu consumo, recomeçando depois na sua regeneração ou na reposição.
Esta exposição é, por isso, uma viagem pelo enorme potencial das Energias Renováveis, revelando-nos a importância que estas desempenham na gestão de um futuro sustentável.
Com esta exposição, desejamos que usufruam de uma experiência divertida e memorável, que sensibilize e também estimule a discussão sobre um dos maiores problemas contemporâneos.
Cada aluno que visitar a exposição receberá um desdobrável que apresenta um DESAFIO!

Este pode ser realizado individualmente ou em grupo, na sala de aula. O objetivo é que, a partir das pistas fornecidas no desdobrável, decifrem cinco anagramas, relacionados com as fontes de energia renováveis e não renováveis.
A exploração deste material pedagógico poderá ainda ser utilizado para o aprofundamento deste tema, desafiando-se os alunos a realizarem pesquisas na Internet, na biblioteca da escola e do município sobre estratégias e medidas de poupança de energia, o aquecimento global e o Protocolo de Quioto, o Pico do Petróleo, ou ainda sobre as principais invenções e inovações que transformaram o panorama energético mundial.
Portugal é, a nível europeu, um dos países que com maior número de horas de sol por ano: entre 2 200 a 3 000.
No entanto, no nosso país existem cerca de 220 000 m2 de painéis solares instalados, o que é muito pouco comparativamente com a Grécia, que tem 2,6 milhões m2, e a mesma exposição solar.
A forma como Portugal produz e consome a sua energia é uma das questões essenciais nas quais se joga o seu futuro. Os padrões de acesso e consumo de energia são determinantes na viabilidade e sustentabilidade dos países e das suas economias.
Neste capítulo, o país está ainda numa situação particularmente difícil: 62% de energia primária consumida divide-se entre energia fóssil e energia elétrica importadas do exterior.
Mas estamos no bom caminho: há menos de uma década, este valor era ainda de 80%! 
                                                                                                                                 M. Lurdes Cardoso
Rosa Pinelo

Sem comentários: