Número total de visualizações de página

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

25 anos sem Zeca

Primeiro, as palavras. Aí vão. VEJAM BEM:

Vejam bem
que não há só gaivotas em terra
quando um homem se põe a pensar
quando um homem se põe a pensar

Quem lá vem
dorme à noite ao relento na areia
dorme à noite ao relento no mar
dorme à noite ao relento no mar

E se houver
uma praça de gente madura
e uma estátua
e uma estátua de de febre a arder

Anda alguém
pela noite de breu à procura
e não há quem lhe queira valer
e não há quem lhe queira valer

Vejam bem
daquele homem a fraca figura
desbravando os caminhos do pão
desbravando os caminhos do pão

E se houver
uma praça de gente madura
ninguém vem levantá-lo do chão
ninguém vem levantá-lo do chão

Vejam bem
que não há só gaivotas em terra
quando um homem
quando um homem se põe a pensar

Quem lá vem
dorme à noite ao relento na areia
dorme à noite ao relento no mar
dorme à noite ao relento no mar

Depois, o som e a imagem para poderem acompanhar as palavras de ZECA AFONSO


O Zeca Afonso teimou em partir cedo mas nem por isso se fez esquecer das nossas memórias. E, quando assim é, eterniza-se o homem. "Vejam bem"!

4 comentários:

Alice disse...

Eterno!

Rui F disse...

Zeca, sempre Zeca!

AR disse...

Um génio!

Francisco Filipe disse...

Um artista inigualável!