Número total de visualizações de página

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

o Crescer saiu por aí e perguntou

Lembram-se da rubrica “o Crescer saiu por aí e perguntou”? Fizemos estas duas perguntas:

1. Por que razões os jovens (às vezes os muito jovens) aguardam os fins de semana para beberem até ficarem ébrios?
2. E por que razões ainda fumam tanto apesar de todas as campanhas de informação sobre os efeitos nocivos do consumo de tabaco?

Tal como prometemos, aqui vão algumas das respostas dos nossos alunos:

André Guimarães
1. Para aliviar o stress ou por exibição.
2. Por estatuto, para melhor integração no grupo.

Margarida Colino
1. Não conseguem divertir-se de outra maneira.

Ana Cristina Mota
1. A culpa é dos pais que se descartam das suas responsabilidades.

Ana Isabel
1. Porque aos fins de semana os pais não os controlam e podem curar a ressaca sem os pais se aperceberem.
2. São influenciados a começar a fumar e depois não conseguem deixar.

Ricardo Pereira/ Tiago Bessa
1. 2. Quer o consumo de tabaco quer o de álcool surgem como influência dos amigos.

João Paiva
2. Primeiro a curiosidade, depois o hábito, a seguir a dependência.

Joana Braegger
1. 2. Por razões emocionais.

Pedro Basto
1. 2. Por rebeldia.

Perguntamos-lhes se sugeriam soluções. Deixaram duas recomendações. Vale a pena pensar seriamente nelas, se tivermos em conta que vêm de um público jovem que podia considerar que a liberdade sem regras e sem balizas é a melhor das soluções.

Os pais devem estar atentos às companhias dos filhos e controlar as saídas e entradas nos fins de semana e no dia a dia.
Deve ser proibida a venda de álcool a menores de 18 anos.

4 comentários:

MA disse...

Estes meninos são extraordinários! Ainda dão lições a alguns pais.

Maria disse...

Grandes recomendações!É preciso que os pais não se demitam das suas obrigações.

marcelo disse...

gosto muito desta rubrica do Crescer! :) foi sempre a minha favorita!

Não resisto em relatar aqui um episódio que aconteceu em 2003/2004: deixaram um bando de inexperientes fazer esta peça do jornal. Ora, estes 3 inexperientes, todos entusiasmados, pegaram no gravador e na câmara fotográfica, e depois de terem entrevistado pessoas da sua própria turma e professores conhecidos, foi-lhe pedido para porem "outras pessoas".
E eles puseram! Para eles, pessoas totalmente desconhecidas! Mas nem por isso lhes perguntaram o nome! Na hora da edição, a imaginação falou mais alto. Os nomes saíram-lhes de dentro!

Pela minha parte peço desculpa aos lesados! :)
Claro que um dos artistas era eu!

Ana disse...

Eu também gosto desta rubrica. Em tempos idos também ajudei a fazê-la :)Saudades!