Número total de visualizações de página

sexta-feira, 13 de maio de 2011

desafio XVII

Este é o desafio: adivinhem o título ou atribuam-lhe um. O que vos parecer mais interessante.

Regresso devagar ao teu
sorriso como quem volta a casa. Faço de conta que
não é nada comigo. Distraído percorro
o caminho familiar da saudade,
pequeninas coisas me prendem,
uma tarde num café, um livro. Devagar
te amo e às vezes depressa,
meu amor, e às vezes faço coisas que não devo,
regresso devagar a tua casa,
compro um livro, entro no
amor como em casa.

Manuel António Pina, in "Ainda não é o Fim nem o Princípio do Mundo. Calma é Apenas um Pouco Tarde"

11 comentários:

carmen madureira disse...

Amor como em casa...
E é em casa onde me sinto melhor...
E é em casa que dispo todas as máscaras e "sou mais eu"...
E é em casa que gosto de
(re)encontrar todos os dias o meu amor...

Sara Antunes disse...

Podia ser "Lar" ou "Amor", não?

Isabel Osório disse...

Eu não sei. Mas que tem a ver com Amor, tem.
Reencontro???

Ana Isabel disse...

Pode ser "Regresso" ou "Saudade".

Tiago disse...

Como quem volta a casa?

Luzia Lemos disse...

Fechando os olhos....

Diogo disse...

Pão com manteiga. Porque sabe a casa. :)

Helena Borges disse...

O título é um dos versos do poema e foi bem escolhido. Porque o amor é a casa que todos procuramos, onde nos sentimos bem, onde somos melhores, onde nos sentimos felizes só por estarmos vivos...
Truz... truz...

Nídia disse...

Amor como em casa
o meu lugar sagrado
a minha vida
EU

iza disse...

Eu sou li agora o poema... e apraz me dizer o que sinti com ele,e o que pensei. Senti o conforto que a experiencia do amor nos dá, e pensei que é esse lugar em que o amor nos habita que nos sentimos em casa... Essa pode ser em qualquer sítio, no lugar onde se encontra o amor!

nós disse...

É curioso constatar que os posts com poemas são os que despertam o maior número de comentários.

Gostamos disso! ;)