Número total de visualizações de página

quinta-feira, 7 de abril de 2011

a pedagogia do erro

Já ouviram falar? É aquela que defende que um erro nunca deve ser escrito/visualizado
para que não se copie/repita.
A nós parece-nos que persistir na insistência deste modelo de ADD é  tão grave quanto visualizar um erro.
E a propósito disso partilhamos a opinião de Paulo Guinote.

"... é particularmente perturbador considerar que mais vale continuar algo até ao final do que suspendê-lo o mais depressa possível, tendo-se verificado erros e vícios evidentes na obra já realizada. Embora seja prática comum entre nós a insistência no erro, mesmo depois de identificado, essa não se torna uma prática correcta por ser repetida. Para além disso, é ridículo que isso seja afirmado por quem não pareceu incomodado com o facto de a ADD ter sido regulamentada em Janeiro de 2008 (com o ano lectivo a decorrer), remendada em Maio desse ano (com o ano lectivo a terminar), na sequência do entendimento ME/Sindicatos de Abril desse ano e de, já em 2010, vários aspectos deste segundo ciclo avaliativo terem sido legislados com o ano lectivo praticamente a terminar, na sequência do acordo ME/sindicatos de Janeiro."

ler toda a fundamentação em A educação do meu umbigo

1 comentário:

Alice disse...

Eu subscrevo o Paulo Guinote. E o que vocês pretendem dizer, também.
É um erro crasso insistir neste erro da ADD.