Número total de visualizações de página

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

a palmeira

foto de Luzia Lemos
Amigos,
Todos têm sido muito generosos com as visitas ao nosso blogue. Aproveitamos para agradecer a vossa participação e dizer-vos que nos sentimos muito honradas pelo reconhecimento.
É claro que o grande número de visitas e de amáveis comentários obrigam a fazer mais e melhor.  
 
Vai daí, tendo em conta que o post sobre a "nova casa" ofereceu os mais diversos comentários (alguns ainda anónimos - porquê, amigos? era tão mais giro sabermos quem são!) e muitos deles referiam a palmeira como o elo que nos liga à "antiga" casa, qual filho que nos acompanha nesta imensa viagem, hoje queremos dar-lhe (à palmeira) um lugar de destaque.
     Ela (a palmeira, claro!) ganhou tão grande importância, que um aluno de 11º ano, nos dizia, no dia de abertura da nova casa, que "a palmeira é que devia ser o logótipo da escola".
    Curioso, não?
    Longa vida lhe desejamos.

5 comentários:

Nós disse...

Obrigada, Luzia, pela foto enviada.
Abracinho

Marcelo disse...

A sobejamente conhecida palmeira da ESÁS! Que todas as manhãs nos recebia na escola, e que vai continuar a receber aqueles que me sucederam! Boa aposta esta de não terem destruído tudo!

Espero em breve visitar a novas ESÁS!
(este blog devia ser considerado serviço público de informação! Bem-hajam!

Teotónio Silva disse...

Eu por cá digo, já me habituei a vir espreitar o blog...
Parabéns!
Ah, gosto da escola nova.
Gosto dos fios a cair do tecto! (ou teto?!)
Gosto dos bastidores!
Não gosto do facto (fato???) da fibra não estar ligada!
Gosto do bar do A3!
Não gosto das infiltrações!
Gosto das pessoas!

Nós disse...

Marcelo, só tu para fazeres essa consideração... LOL

Teotónio, que bom teres esse hábito de nos espreitares! Muito obrigada.
Ficamos curiosas sobre esse tal bar do A3. Onde é?

Ah, já nos esquecíamos: Nós também gostamos MUITO das pessoas :)

Luísa Costa disse...

Também gosto das novas instalações. Estamos mais próximo uns dos outros e não perdemos tanto tempo nos corredores exteriores.
Luísa Costa