Número total de visualizações de página

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

desafio VIII

Esta frase merece o nosso destaque.
Foi proferida, sentida e emocionadamente, pela mãe de um aluno de 11º ano e é o mote que vos deixamos para uma reflexão sobre o papel do professor na escola pública:

"Muito obrigada, senhores professores, por tomarem conta dos nossos filhos."

Está lançado o desafio.

8 comentários:

marcelo disse...

este destaque é pela positiva ou pela negativa?

Nós disse...

O objectivo é suscitar discussão. Competirá a cada um considerar o que de positivo e de negativo existe neste conteúdo.
Vamos convertê-lo em desafio da fim de semana :)

M disse...

Eu gosto dos meus professores porque não entram naquelas salas só para me ensinar matéria. Os meus professores entram, normalmente, a sorrir. Saúdam-nos e há a típica conversa de iníco de aula. E depois aprendemos, absorvidos pela paixão deles pelo ensino, e na nossa função de aprendizes, recebemos novos conhecimentos e ideias. E depois há pausas e há brincadeiras. Conversas interessantes dentro e fora de uma sala de aula. Fazem-me sentir que tenho lá alguém que não está só para ensinar, é um amigo. Não acho que os professores devam ser pais, não quero nem preciso disso. Mas adoro que os meus professores sejam meus amigos.
Encontrar antigos professores e ficar horas na conversa, falando dos antigos colegas, das antigas turmas, das novas escolas onde eles estão, de projectos e da nossa vida, é (quase) melhor do que uma boa nota no final de um periodo. Não são amigos "normais", da nossa idade, com quem brincamos e fazemos asneiras. São amigos "diferentes" e ainda assim, com uma enorme importância na minha vida.
Eu não quero professores que sejam meus pais, mas também não quero professores que apenas me transmitam matéria.

Diana disse...

Concordo com M. Se os meus professores fossem só ensinadores (de matéria) eu não gostava tanto da escola. Tenho sorte por ter professores que falam comigo e com os meus colegas sobre assuntos que não são dos programas. Tenho sorte por eles gostarem desse papel. E acho que esse papel não é só o dos nossos pais pois eles às vezes não sabem discutir coisas importantes como por exemplo a eutanásia, a anorexia, a homofobia, os consumos de drogas e tabaco e álcool, a crise do país, a pena de morte, como já temos conversado com alguns professores. Felizmente que alguns professores fazem isso. Não são nossos pais mas são nossos educadores e são exemplos para nós.
Deve ter sido por isso que a tal mãe disse o que disse de uma forma sentida e emocionada.

EU disse...

É muito reconfortante saber que há alunos que falam dos seus professores e os incluem na sua lista de amigos " diferentes". Que ternurenta a expressão usada por M!.
É para que possamos continuar a receber elogios como este que prosseguiremos não só ensinando-lhes a matéria como dando-lhes a atenção que merecem.

carmen madureira disse...

Existe ainda uma grande confusão entre o ensinar e o "debitar matéria", que tal como já referi, é da responsabilidade de alguns pedagogos que provavelmente nunca se preocuparam muito em estar no terreno a ensinar. Eu gosto de ensinar! Encontrei num texto este parágrafo que queria partilhar convosco:
“Ensinar é questionar, partilhar e criar. É imaginar. É pensar o currículo como oportunidade única para que os alunos mergulhem a fundo nessa inesgotável fonte de inspiração que é a vida nas suas múltiplas dimensões. Ensinar implica seleccionar tarefas que desafiem as capacidades e a inteligência dos alunos. Para que possam compreender a vida. Para que lhe possam atribuir significado. Para que usufruam da liberdade que o conhecimento proporciona.”
http://www.apagina.pt
CM

mc disse...

Gosto da definição d' "a página". É um jornal muito interessante, tanto em conteúdo como em forma.

marcelo disse...

Este pode ser um comentário positivo ou negativo. Negativo porque, tal como foi dito, o nosso papel não é "tomar conta" dos filhos dos outros, e tal comentário demonstra que os pais não estão a desempenhar correctamente o seu papel. Como uma vez me disse uma professora, quando aí estive em Novembro, a escola cada vez mais se transforma num "contentor" onde os pais depositam as crianças.

Porém, este comentário deve ser encarado como muito positivo - até porque nenhum dos pais com as características que indiquei anteriormente faria tal comentário (o mais provável era dizerem que não fazemos mais do que a nossa obrigação). Este comentário revela apreço e consideração por parte dos pais, e isto só é possível se os nossos alunos tiverem uma opinião positiva dos professores (veio-me à memória um dia em que uma mãe me interpelou na rua e me disse "O Sr. Professor despertou-os para a História, obrigado pelo bom trabalho que está a fazer" - senti-me importante, é bom receber elogios de vez em quando!).

Por isso encaro este desabafo como um acto elogioso de uma mãe que reconhece e valoriza o bom trabalho dos professores.

Marcelo

PS: Não gostei da parte do "professores da escola pública". Os professores são professores e ponto final. A sua função (para não dizer missão, palavra que assusta algumas pessoas) é igual no ensino oficial e no particular. Ou pelo menos deviam ser. :)