Número total de visualizações de página

sábado, 27 de novembro de 2010

desafio IV

Em tempo de fim-de-semana, ele aí vem: o desafio.
Quem sabe quem foi o autor destas VERDADES? E o que acham delas?
Desfrutem. E não sejam "ridículos".

Todas as cartas de amor são
Ridículas.
Não seriam cartas de amor se não fossem
Ridículas.

Também escrevi em meu tempo cartas de amor,
Como as outras,
Ridículas.


As cartas de amor, se há amor,
Têm de ser
Ridículas.

Mas, afinal,
Só as criaturas que nunca escreveram
Cartas de amor
É que são
Ridículas.

Quem me dera no tempo em que escrevia
Sem dar por isso
Cartas de amor
Ridículas.

A verdade é que hoje
As minhas memórias
Dessas cartas de amor
É que são
Ridículas.

(Todas as palavras esdrúxulas,
Como os sentimentos esdrúxulos,
São naturalmente Ridículas.)

6 comentários:

ESÁS disse...

E quem respondeu ao desafio? Assim não o podemos parabenizar!
E o que acha do conteúdo do poema?
Ficamos à espera.

MANUELA B disse...

O autor das "cartas "desvendado, resta-me concordar com quem as considerou VERDADES!
Pena quando o sentido do ridículo nos invade, impedindo-nos de viver plenamente! Sejamos ridículos, sejamos esdrúxulos....sejamos obtusos! PIM! (à moda do Almada)
Manuela B.

Luís Vaz de CAMÕES disse...

Pois o anónimo já desvendou o autor do fantástico poema: Álvaro de Campos.
Resta-me contrapor algumas provocações célebres sobre o amor, que alguns "compinchas" meus avançaram:


"Sê paciente, espera que a palavra amadureça e se desprenda como um fruto ao passar o vento que o mereça"
Eugénio De Andrade


"O amor e a verdade estão unidos entre si, como as faces de uma moeda. É impossível separá-los. São as forças mais abstractas e mais poderosas desse mundo."
Mahatma Gandhi


"Há vários motivos para não se amar uma pessoa e um só para amá-la."
Carlos Drummond de Andrade

"O amor e o desejo são as asas do espírito das grandes façanhas."
Goethe

ESÁS disse...

Fantástico! :)

Luzia Lemos disse...

Desvendado que está o autor, o "Desafio" passa por assumir o saboroso ridículo de ter escrito cartas de amor, de continuar escrevendo outras mensagens de amor, mais ridículas talvez, por serem mais frágéis ou muito mais fortes, mais contidas ou muito mais expressivas, só que agora, escritas com o olhar!

Ana Patrícia disse...

Eu queria só dizer que ridículos são os que nunca escreveram cartas de amor.
E que o amor nos torna ridículos, sim, mas isso é maravilhoso!